Eternizar-Te: A Arte Na Prevenção / Eternalize You: Art in Prevention

Caroline Sousa da Silva, Eduardo Von Randow Pinheiro, Fabiana Aidar Fermino

Abstract


O projeto de Extensão Eternizar-te atua, desde 2015, com ações de promoção e prevenção de saúde em Foz do Iguaçu e região. A proposta de uma equipe multiprofissional, interdisciplinar e intersetorial, permite que a abordagem em saúde seja entendida em toda a sua complexidade. O uso do clown amplia possibilidades na educação em saúde, visando desenvolver e motivar a autonomia dos sujeitos sobre sua condição de saúde, garantindo a humanização das relações entre extensionistas e comunidade. A conscientização por meio da metodologia lúdica se debruça sobre determinantes modificáveis de saúde e objetivo específico para 2019 é a atuação na promoção de saúde mental. A pretensão de transformação social e de mudança de perfil epidemiológico da população da fronteira é a peça chave para a afinação do produto técnico-científico acadêmico na forma do Projeto de Extensão Eternizar-te.

 

 


Keywords


Arte, Clown, Prevenção, Saúde.

References


LIMA, R.; AZEVEDO, E.; NASCIMENTO, L.; ROCHA, S. A arte do teatro Clown no cuidado às crianças hospitalizadas. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 43, n. 1, p. 186-193, 1 mar. 2009. Disponível em: Acesso em 15 de maio de 2019.

MATRACA, Marcus Vinicius Campos; WIMMER, Gert and ARAUJO-JORGE, Tania Cremonini de. Dialogia do riso: um novo conceito que introduz alegria para a promoção da saúde apoiando-se no diálogo, no riso, na alegria e na arte da palhaçaria. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2011, vol.16, n.10, pp. 4127-4138.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de apoio à Gestão Participativa. Caderno de educação popular e saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2007.

TAKAHAGUI, FM; Moraes, ENS; Beraldi, GH; Akamine, GK; Basile, MA; Scivoleto, S. MadAlegria – Estudantes de Medicina atuando como Doutores-Palhaços: Estratégia Útil para a Humanização do Ensino Médico? Revista Brasileira de Educação Médica. 38 (1) : 120-126; 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-334

Refbacks

  • There are currently no refbacks.