História oral de LGBTs frente a revelação da identidade de gênero e orientação sexual / Oral history of LGBTs in the face of revelation of gender identity and sexual orientation

Heloane Medeiros do Nascimento, Sávio Marcelino Gomes, Amanda Haissa Barros Henrique, Luciana Maria Pereira de Sousa, Alynne Mendonça Saraiva

Abstract


As relações domésticas e familiares se mostram como potencialmente reprodutoras de estruturas de poder e opressão, podendo acarretar em reprodução de experiências de violência. Nessa perspectiva, este estudo se propôs a conhecer as vivências de sujeitos do grupo LGBT quanto a suas experiências familiares a partir da revelação de suas identidades. O estudo é de abordagem qualitativa e exploratória, norteado pelo método de História Oral, onde os colaboradores foram os participantes de um grupo LGBT do município de Cuité, no interior da Paraíba, e suas histórias foram apreendidas a partir de um roteiro semiestruturado, captadas em áudio e posteriormente transcritas, textualizadas, transcriadas e conferidas, onde a análise propiciou a inferência de três categorias, sendo estas: 1) Quando o “armário” se abre, revelam-se histórias; 2) Produções de violências na família; 3) Redes de apoio e estratégias de enfrentamento. O momento da revelação da identidade de gênero ou orientação afetivo sexual é, na maioria das vezes, momento de tensão familiar, marcando conflitos e processos diferenciados motivados especificamente pela condição LGBT, estes, no entanto, são amenizados na experiência dos sujeitos pela interlocução das redes de amizade, estas a principal fonte de apoio e solidariedade em seus relatos.

Keywords


Relações familiares, Apoio social, Minorias Sexuais e de Gênero, Violência, Histórias.

References


Lima MDA, Souza A da S, Dantas MF. Os desafios à garantia de direitos da população LGBT no sistema único de saúde (SUS). Interfaces Saúde, Humanas e Tecnol. 2016;3(11):119–25.

Pinto IV, Andrade SS de A, Rodrigues LL, Santos MAS, Marinho MMA, Benício LA, et al. Perfil das notificações de violências em lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais registradas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Brasil, 2015 a 2017. Rev Bras Epidemiol [Internet]. 2020;23(suppl 1). Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2020000200404&tlng=pt

Soliva TB, Junior JB da S. Entre revelar e esconder: pais e filhos em face da descoberta da homossexualidade. Sex Salud y Soc. 2014;(17):124–48.

Sarti CA. A família como ordem simbólica. Psicol USP. 2004;15(3):11–28.

Sedgwick EK. A epistemologia do armário. Cad pagu. 2007;28(1):19–54.

Richardson RJ. Pesquisa social: métodos e técnicas. 2015. 336 p.

Meihy JCSB, Holanda F. História Oral: como fazer, como pensar. Contexto. São Paulo; 2011. 176 p.

Matos JS, Senna AK de. História Oral como Fonte: problemas e métodos. Historiæ. 2011;2(1):95–108.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Cidades - Cuité [Internet]. 2019 [cited 2020 Jan 25]. Available from: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/cuite/panorama

Bento B. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Garamond. Rio de Janeiro; 2006. 256 p.

Miskolci R. O armário ampliado – notas sobre sociabilidade homoerótica na era da internet. Gênero. 2009;9(2):171–90.

Silva LV da, Barbosa BRSN. Sobrevivência no armário: dores do silêncio LGBT em uma sociedade de religiosidade heteronormativa. Estud Reli. 2016;30(3):129–54.

Scardua A, Filho EA de S. O debate sobre a homossexualidade mediado por representações sociais: perspectivas homossexuais e heterossexuais. Psicol reflexão e crítica. 2006;19(3):482–90.

Perucchi J, Brandão BC, Vieira HI dos S. Aspectos psicossociais da homofobia intrafamiliar e saúde de jovens lésbicas e gays. Estud Psicol. 2014;19(1):65–76.

SilvaI MM de L, Frutuozo JFF, Feijó MR, Valerio NI, Chaves UH. Família e orientação sexual: dificuldades na aceitação da homossexualidade masculina. Temas em Psicol. 2015;23(3):677–92.

Schulman S. Homofobia familiar: uma experiência em busca de reconhecimento. Bagoas. 2010;28(1):19–54.

Borsa JC, Nunes MLT. Aspectos psicossociais da parentalidade: O papel de homens e mulheres na família nuclear. Psicol Argumentativa. 2011;64(29):31–9.

Butler J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Editora Re. Rio de Janeiro; 2016. 287 p.

Souza MHT de, Malvasi P, Signorelli MC, Gomes PPP. Violência e sofrimento social no itinerário de travestis de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saude Publica. 2015;31(4):767–76.

Araújo KS da S, Pinheiro TD. Mortes que precedem a morte: trilhas e particularidades para a compreensão do transfeminicídio. Inter-legere. 2017;(21):43–62.

Pierre Bourdieu. A dominação masculina. Bertrand B. Rio de Janeiro; 2015. 160 p.

Soliva TB, Silva Junior JB da. Entre revelar e esconder: pais e filhos em face da descoberta da homossexualidade. Sex Salud y Soc (Rio Janeiro) [Internet]. 2014 Aug;(17):124–48. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-64872014000200124&lng=pt&tlng=pt

Lomando E, Wagner A, Gonçalves J. Coesão, adaptabilidade e rede social no relacionamento conjugal homossexual. Psicol Teor e prática. 2011;13(3):95–109.

Campos LS, Guerra VM. O ajustamento familiar: associações entre o apoio social familiar e o bem-estar de homossexuais. Psicol Rev. 2016;25(1):33–57.

Mello L. Novas famílias: conjugalidade homossexual no Brasil contemporâneo. Garamond. Rio de Janeiro; 2005. 215 p.

Santos GG da C. Mobilizações homossexuais e Estado no Brasil: São Paulo (1978-2004). Rev Bras Ciências Sociais. 2007;22(63):122–35.

Freire P. Pedagogia do oprimido. Paz e Terr. Rio de Janeiro; 1994. 288 p.

Ferraz DL de S, Nogueira JM da S, Carvalho D da S, Pinto VC, Brito DBS de, Santos RL de A. A fala de gays sertanejos: aproximações e distanciamentos disursivos em duas gerações. Bagoas. 2016;(15):203–22.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Brasília; 2011.

Torres RC, Sousa PHSF, Silva MML, Azevedo MVC, Morais AL de J, De Andrade AFSM. Conhecimento de discentes e enfermeiros acerca da política nacional dos

direitos LGBT+. Brazilian Journal of Development( Curitiba) [Internet]. 2020; 6(10): 75032-75042. Available from: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/17752/14394




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-302

Refbacks

  • There are currently no refbacks.