Projeto CTE Jr.: criação de uma empresa júnior multidisciplinar / CTE Jr. Project: creation of a multidisciplinary junior company

Regina Maria Mendes Oliveira, Gustavo Araújo de Andrade, Jefferson Fontinele da Silva, Mariele Ferreira Costa, João Pedro Moreira Rocha, Paulo Victor Scherer Oliveira, Roger Müller Saraiva De Sousa, Maria Teresa Assis Soares Nunes, Airton Arruda Ramos, Lucas Vilarins Brito, Juliana Mycaelle Oliveira Silva, Thalissa Almeida Castro de Oliveira

Abstract


Promover novas competências ao aproximar os alunos do ensino superior da realidade social, mercadológica, econômica e ambiental da comunidade é finalidade de uma Empresa Junior (EJ). Este trabalho é um relato de experiência do projeto de criação de uma EJ multidisciplinar, denominada “Ciência, Tecnologia e Engenharia Júnior (CTE Jr.)”, na Universidade Federal do Maranhão/Campus Balsas. Objetiva atender aos cursos de graduação desta unidade acadêmica a partir de uma experiência empreendedora, visando contribuir no processo formativo dos alunos. A operacionalização do trabalho envolveu atividades como aquisição de estrutura física, seleção de alunos, treinamentos, pesquisas no ambiente interno e externo, constituição jurídica da empresa e ações colaborativas. Como resultado, o planejamento do negócio foi feito, o regimento e o estatuto foram aprovados e o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica realizado. Além disso, o grupo de alunos se engajou na organização de eventos durante as semanas de meio ambiente e de ciência e tecnologia. Com essas atividades, os alunos enfrentaram situações que exigiram métodos de organização interna, atitudes empreendedoras e aplicação de conhecimentos adquiridos no curso.


Keywords


Empresa Junior, Ciência, Tecnologia, Universidade, Comunidade.

References


ANEEL. Agência Nacional de Energia Elétrica. Resolução normativa nº 414/2010. Estabelece as Condições Gerais de Fornecimento de Energia Elétrica de forma atualizada e consolidada. Disponível em: http://www2.aneel.gov.br/cedoc/ren2010414.pdf . Acesso em: 8 set. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES No. 776/1997. Orientação para diretrizes curriculares dos Cursos de Graduação. Brasília, DF, 1997a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/superior/legisla_superior_parecer77697.pdf . Acesso em: 19 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia. Plano de Ação 2007-2010: Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Brasília, DF, 2007b. Disponível em:http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/725/1/Ciencia%2C%20tecnologia%20e%20inova%C3%A7%C3%A3o%20para%20o%20desenvolvimento%20nacional.pdf . Acesso em: 25 mar. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei Nº 13.267, de abril de 2016. Disciplina a criação e a organização das associações denominadas empresas juniores, com funcionamento perante instituições de ensino superior. Brasília, DF, 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13267.htm . Acesso em: 15 jun. 2016.

BRASIL JÚNIOR. CONHECENDO O MEJ. Brasília: Confederação Brasileira de Empresas Júnior, 2015. 28 p.

BAUDOUIN, J. M. A competência e a questão da atividade: rumo a uma nova conceituação didática da formação. In: OLLAGNIER, E.; DOLZ, J. (Org.). O enigma da competência em educação. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 151-171.

CORRÊA, E. J. Extensão Universitária, Política Institucional e Inclusão Social. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 1, n. 1, p. 12-15, 2003.

DA SILVA, R.K.S.; ROMÃO, É.A.; GOMES, E.M.S. A empresa Júnior como agente potencializadora de ensino e sua influência no desenvolvimento social - um estudo de caso para I9 engenharia JR. Braz. J. of Develop., v. 5, n. 8, p. 12342-12353, 2019.

DELUIZ, N. O modelo das competências profissionais no mundo do trabalho e da educação: implicações para o currículo. Boletim Técnico do Senac, v. 27, n. 3, p. 13-25, 2003.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo coorporativo. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. 166 p.

FRANCO, D. S.; SEIBERT, A. Z. A importância da empresa júnior para uma aprendizagem andragógica. Revista Brasileira de Ensino Superior, v. 3, n. 4, p. 59-78, 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Balsas. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=210140&search=maranhao|balsas . Acesso em: 13 jul. 2016.

MATOS, F. A Empresa júnior no Brasil e no Mundo. São Paulo: Martin Claret, 1997. 208 p.

NUNES, S. C. Formar competências: uma realidade no curso de Administração? Revista Gestão e Planejamento, v. 12, n. 2, p. 152-178, 2011.

UFMA. Universidade Federal do Maranhão, Campus Balsas. Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia. 2013. Disponível em: http://www.ufma.br/portalUFMA/arquivo/SNrkdYLBkUxp9O0.pdf . Acesso em: 21 mar. 2019.

RAFAEL, S. S.; OLIVEIRA, L. R. Empresa Júnior: uma Cultura Empreendedora Capaz de Fortalecer o Elo Entre Universidade e Comunidade. Revista Fluminense de Extensão Universitária, Vassouras, v. 2, n. 1, p. 61-70, 2012.

VALADÃO JÚNIOR, V. M.; DE ALMEIDA, R. C.; MEDEIROS, C. R. O. Empresa Júnior: espaço para construção de competências. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 15, n. 4, p. 665–695, 2014.

ZARIFIAN, P. Objetivo Competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2008. 200 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-279

Refbacks

  • There are currently no refbacks.