Retrato geoepidemiológico das pessoas assistidas por organização não governamental de apoio ao câncer / Geoepidemiological portrait of people assisted by cancer supporting non-governmental organization

Sheilla de Oliveira Faria, Daniela Braga Lima, Tábatta Renata Pereira de Brito, Daniel Hideki Bando, Murilo César do Nascimento, Eliane Garcia Rezende

Abstract


Justificativa e Objetivos: O câncer é considerado importante problema de saúde pública e as organizações não governamentais vem ganhando mais reconhecimento na assistência ao indivíduo, agindo como parceiras dos setores público e privado. O objetivo foi descrever o retrato geoepidemiológico dos indivíduos com câncer assistidos por uma organização não governamental. Método:  Estudo transversal, descritivo, a partir dos cadastros de indivíduos com câncer realizados entre maio de 2002 e maio de 2017, obtidos do banco de dados da organização não governamental. Para a descrição do perfil epidemiológico foram utilizadas as variáveis idade, sexo, local de residência, estado civil, renda, situação de acompanhamento junto à associação e localização do tumor. A distribuição espacial foi feita por meio da construção de mapas temáticos. Resultados: No período analisado, 2732 indivíduos foram assistidos. Os tumores dos órgãos digestivos (23,17%) foram os mais prevalentes, seguido de câncer de mama (16,73%) e órgão genitais masculinos (12,88%). Verificou-se que a maioria dos assistidos era idosos, casados e com renda familiar entre 1 e 2 salários mínimos. A análise espacial evidenciou que o município sede apresentou o maior número de indivíduos assistidos (1394), seguido pelos municípios vizinhos.  Conclusão: Entender o perfil dos indivíduos que procuram pelo apoio de organização não governamental no enfrentamento do câncer é fundamental para colocar em discussão e dar mais direcionamento ao processo de cuidado oferecido por essas instituições.


Keywords


Neoplasias, Epidemiologia, Distribuição Espacial da População, Organizações não Governamentais.

References


Wild CP, Weiderpass E, Stewart BW, editors. World Cancer Report: Cancer Research for Cancer Prevention. Lyon, France: International Agency for Research on Cancer. 2020. https://www.iarc.fr/featured-news/new-world-cancer-report/

Bray F, Ferlay J, Soerjomataram I, Siegel RL, Torre LA, Jemal A. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA Cancer J Clin. 2018;68:394-424. https://doi.org/10.3322/caac.21492

Guerra MR, Bustamante-Teixeira MT, Corrêa CSL, Abreu DMX de, Curado MP, Mooney M et al. Magnitude e variação da carga da mortalidade por câncer no Brasil e Unidades da Federação, 1990 e 2015. Rev Bras Epidemiol. 2017; 20(1):102-15. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700050009.

Instituto Nacional de Câncer José alencar Gomes da Silva. Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil. [Web site] Feb 06, 2020. Available at: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//estimativa-2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf

Moraes, ES, Mello, MSC, Melo, FA, Otero, UB, Carvalho, FN. Análise de indivíduos com leucemia: Limitações do sistema de vigilância de câncer. Cien Saude Colet [periódico na internet] (2017/Set). [Citado em 2020 abr 16]. Disponível em: http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/analise-de-individuos-com-leucemia-limitacoes-do-sistema-de-vigilancia-de-cancer/16336?id=16336

Shah SC, Kayamba V, Peek RM Jr, Heimburger D. Cancer Control in Low- and Middle-Income Countries: Is It Time to Consider Screening? J Glob Oncol. 2019;5:1–8. 10.1200/JGO.18.00200

Goss PE, Lee BL, Badovinac-Crnjevic T, Strasser-Weippl K, Chavarri-Guerra Y, St Louis J et al. Planning cancer control in Latin America and the Caribbean. Lancet Oncol 2013; 14(5): 391–436. https://doi.org/10.1016/S1470-2045(13)70048-2

Galvão JR, Almeida PF de, Santos AM dos, Bousquat A. Percursos e obstáculos na Rede de Atenção à Saúde: trajetórias assistenciais de mulheres em região de saúde do Nordeste brasileiro. Cadernos de Saúde Pública [online]. v. 35, n. 12 [Acessado 17 Abril 2020] , e00004119. https://doi.org/10.1590/0102-31100004119

Nwogu CE, Mahoney M, Okoye I, Ejiogu K, George S, Dy G. Role of Private Enterprise in Cancer Control in Low to Middle Income Countries. J Cancer Epidemiol. 2016;2016:7121527 https://dx.doi.org/10.1155/2016/7121527

Collins T, Mikkelsen B, Axelrod S. Interact, engage or partner? Working with the private sector for the prevention and control of noncommunicable diseases. Cardiovasc Diagn Ther 2019;9(2):158-64. https://dx.doi.org/10.21037/cdt.2018.08.04

Giovanella L, Almeida PF de. Atenção primária integral e sistemas segmentados de saúde na América do Sul. Cadernos de Saúde Pública [online]. 2017, v. 33, n. Suppl 2 [Acessado 17 Abril 2020] , e00118816. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00118816

Contreiras H, Matta GC. Privatização da gestão do sistema municipal de saúde por meio de Organizações Sociais na cidade de São Paulo, Brasil: caracterização e análise da regulação. Cad. Saúde Pública 2015;31(2):285-97. https://doi.org/10.1590/0102-311X00015914.

Machado LCS, de Almeida MAD. O papel da comunicação nas organizações do terceiro setor: um estudo de caso do Gacc de Sergipe. Temática 2015; 06: 101-114. http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/tematica

de Oliveira Avellar W, de Melo AC, Ferreira da Silva C, Aran V. Cancer research in Brazil: Analysis of funding criteria and possible consequences. Journal of Cancer Policy 2019;20:100184. https://doi.org/10.1016/j.jcpo.2019.100184

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo 2010. [Acessado 07 Ago 2019] Disponível em: https://www.ibge.gov.br

Associação Vida Viva de Alfenas. História: Nasce a segunda unidade da Vida Viva, a Casa do Café. [Citado em 2020 abr 16]. Disponível em: http://vidavivaalfenas.org.br/institucional.asp?act=Hist%C3%B3ria

Santa Casa de Alfenas. Serviços - Centro de Oncologia. [Citado em 2020 abr 16]. Disponível em: https://santacasaalfenas.com.br/centrodeoncologia.html

Durstine A, Leitman E. Building a Latin American cáncer patient advocacy movement: Latin American cancer NGO regional overview. Salud Publica Mex. 2009;51 (suppl2): S316-S322. https://doi.org/10.1590/s0036-36342009000800023

Travado L, Reis JC, Watson M, Borràs J. Psychosocial oncology care resources in Europe: a study under the European Partnership for Action Against Cancer (EPAAC). Psycho‐Oncology 2017, 26: 523– 530. https://doi.org/10.1002/pon.4044.

Bravo, Rosana L et al. Linking primary care and community organizations to increase colorectal cancer screening rates: the HAPPI project. Salud Pública de México [online].61 (4): 427-435 [Accessed 27 April 2020]. https://doi.org/10.21149/9450

Levorato CD, Mello LM de, Silva AS da, Nunes AA. Fatores associados à procura por serviços de saúde numa perspectiva relacional de gênero. Cien Saude Colet 2014; 19 (4): 1263-74. https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.01242013.

Gordon EH, Peel NM, Samanta M, Theou O, Howlett SE, Hubbard RE. Sex differences in frailty: A systematic review and meta-analysis. Exp Gerontol 2017;89:30-40. https://doi.org/10.1016/j.exger.2016.12.021

Pedersen JK, Engholm G, Skytthe A, Christensen K (on behalf of the Academy of Geriatric Cancer Research - AgeCare).Cancer and aging: Epidemiology and methodological trials, Acta Oncologica 2016;55(sup1):7-12. https://doi.org/10.3109/0284186X.2015.1114670

Silva JHL, Peixoto MI, Barros DM, et al. Avaliação das características, estado nutricional e capacidade funcional de pacientes oncológicos atendidos ambulatorialmente em um hospital do Recife-PE. Braz. J. of Develop. 2020; 6 (4): 19987-20001. https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-245

Rocha ME, Silva LN, Soares PR, et al. Câncer de mama: caracterização quanto a idade e aos aspectos tumorais (tipo de tumor e extensão). Braz. J. of Develop. 2020; 6 (1): 2375-2387. https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-175




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-271

Refbacks

  • There are currently no refbacks.