Mapa do Transtorno do Espectro Autista em Maceió-Alagoas / Map of Autism Spectrum Disorder in Maceió-Alagoas

Thaynara Maria Pontes Bulhões, Anna Carla Soares da Silva, Nayara Conceição Feijó Cavalcante, Ivanise Gomes de Souza Bittencourt, Marilia Vieira Cavalcante, Thaís Mendes de Lima Gomes, Mariana de Oliveira Moraes, Maria Clara Firmino Simões de Oliveira

Abstract


Objetivo: Mapear o Transtorno do Espectro Autista (TEA) nas instituições do município de Maceió-Alagoas a fim de retratar a distribuição e características da população de pessoas diagnosticadas. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico de base populacional, de delineamento descritivo, com a população de pessoas diagnosticadas com TEA do município de Maceió- Alagoas. Os dados foram coletados, transportados para o programa Microsoft Office Excel e tabulados. Posteriormente, foram analisados a distribuição e as características das pessoas com TEA do município de Maceió-Alagoas e a escolarização continuada ou interrompida. Resultados: A coleta foi realizada no período de 2018 a 2020 em 763 prontuários, onde a faixa etária predominante foi de 10 a 14 anos, do sexo masculino; a Classificação Internacional de Doenças (CID) F84.0 foi o diagnóstico prevalente, embora o percentual de prontuários que não apresentaram registro do CID tenha sido considerável. Quanto a escolaridade, a taxa predominante foi o do ensino fundamental incompleto, porém, os dados correspondentes as escolarizações interrompidas foram elevadas, além da existência de um grande percentual de instituições que não registram a escolaridade em seus prontuários. Conclusão: Conclui-se que as pessoas diagnosticadas com TEA em assistência nas instituições investigadas eram predominantes do sexo masculino, com idade entre 10 a 14 anos, apresentavam o CID F84.0, além de, em alguns casos, possuírem outros diagnósticos/comorbidades associados ao TEA.


Keywords


Transtorno do Espectro Autista, Mapeamento, Escolarização.

References


BIANCHI, R. C. A educação de alunos com Transtornos do Espectro Autista no ensino regular: desafios e possibilidades. Franca: [s.n.], 2017. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/150651. Acesso em: 21 set. 2020.

BITTENCOURT, I.; FUMES, N. O cenário das pesquisas no âmbito das experiências de vida narradas por pessoas adultas com TEA. Braz. J. of. Develop., Curitiba, v.6, n.7, p.47752-47765, 2020.

BITTENCOURT, I. As vivências de pessoas adultas com transtorno do espectro autista na relação com a escolaridade e concepção de mundo. Tese de Doutorado em Educação. Universidade Federal de Alagoas. Centro de Educação. Programa de Pós Graduação em Educação. Maceió, 2018.

BRASIL. Lei Nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112. Brasília, DF: Casa Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm. Acesso em: 28 de mai. de 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: 1988. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 21 set. 2020.

CALHEIROS, D.; FUMES, N. A educação especial em Maceió/Alagoas e a implementação da política do atendimento educacional especializado. Rev. bras. educ. espec. Marília, v. 20, n. 2, p. 249264, junho 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbee/v20n2/08.pdf. Acesso: 10. Dez. 2018.

CERVO, A.L.; BERVIAN, P.A. Metodologia Científica. São Paulo: Pentrice Hall, 2002.

CID-11. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas relacionados à Saúde. 11ª revisão, v. 04. 2019. Disponível em: https://icd.who.int/browse11/l-m/en.

Acesso em: 28 de mai. de 2020.

COUTINHO, J; BOSSO, R. Autismo e Genética: Uma Revisão de Literatura. Revista Científica do ITPAC, Araguaína, 2015. CID-9. Classificação Internacional das Doenças. 9ª revisão. São Paulo, 1979.

FERNANDES, A.F.F.; GALLETE, K.G. da C..; GARCIA, C. D. A importância do cuidado de enfermagem diante do paciente com espectro autista. Revista Terra & Cultura: Cadernos de Ensino e Pesquisa, v. 33, n. 64, p. 36, 2018. ISSN 0104-8112. Disponível em:

http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/89. Acesso em 10. Dez. 2018.

FONTANA, L.B.; PEREIRA, D.S. RODRIGUES, T.P. O impacto do transtorno autista nas relações familiares. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v.3, n.3, p.6336-6340, 2020.

JENDREIECK, C. O. Dificuldades encontradas pelos profissionais da saúde ao realizar diagnóstico precoce de autismo. Psicol. Argum., Curitiba, v. 32, n. 77, p. 153-158, abr./jun. 2014.

LIMA-COSTA, M.F; BARRETO, S. M. Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 12, n. 4, p. 189 – 201, 2003.

LIMA, Stéfanie Melo; LAPLANE, Adriana Lia Friszman de. Escolarização de Alunos com Autismo. Rev. bras. educ. espec., Marília , v. 22, n. 2, p. 269-284, June 2016 . Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-65382016000200269&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 21 set. 2020.

MONTEIRO, S.A.S; RIBEIRO, P.R.M. A inclusão do aluno com Transtorno do Espectro Autista na sala de aula. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v.22, n. esp. 2, p. 905-919, dez., 2018. Disponível em: https://doaj.org/article/662aafc26a844ce8ace82024daeadb1e. Acesso em: 21 set. 2020.

NASCIMENTO, Y. C. M. L; CASTRO, C. S. C; LIMA, J. L. R; ALBUQUERQUE, M. C. S; BEZERRA, D. G. Transtorno do Espectro Autista: detecção precoce pelo enfermeiro na estratégia saúde da família. Rev baiana enfermagem, 2018.

PEREIRA, Cyelle Carmem Vasconcelos. Autismo e família: Participação dos pais no tratamento e desenvolvimento dos filhos autistas. Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança. Paraíba, 2011.

ROSA, Fernanda Duarte; MATSUKURA, Thelma Simões; SQUASSONI, Carolina Elisabeth. Escolarização de pessoas com Transtornos do Espectro Autista (TEA) em idade adulta: relatos e perspectivas de pais e cuidadores de adultos com TEA. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos , v. 27, n. 2, p. 302-316, June 2019 .Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2526-89102019000200302. Acesso em: 21 set. 2020.

SILVA, Micheline; MULICK, James A .. Diagnosticando o transtorno autista: aspectos fundamentais e considerações práticas. Psicol. cienc. prof. , Brasília, v. 29, n. 1, pág. 116-131, 2009. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932009000100010&lng=en&nrm=iso. Acesso: 22 Set. 2020.

SOUZA, A.P. et al. Assistência de Enfermagem ao portador de autismo infantil: uma revisão integrativa. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, v.3, n.2, p.2874-2886, 2020.

STELZER, F. G. Uma pequena história do autismo. Associação Mantenedora Pandorga, v. 1, Editora Oikos, São Leopoldo, 2010.

SVEN et al. The Familial Risk Of Autism. Original Investigation. JAMA, 2014.

ZANON, Regina Basso; BACKES, Bárbara; BOSA, Cleonice Alves. Identificação dos primeiros sintomas do autismo pelos pais. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília , v. 30, n. 1, p. 25-33, Mar. 2014 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722014000100004&lng=en&nrm=iso. Acesso: 02 Out. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-267

Refbacks

  • There are currently no refbacks.