Modelo de política pública para o desenvolvimento do turismo no estado de São Paulo: um olhar para os recursos financeiros destinados aos municípios turísticos / Public policy model for the development of tourism in the state of São Paulo: a look at the financial resources allocated to tourist municipalities

Aracelis Gois Morales Rigoldi, Graziela Oste Graziano Cremonezi, Valéria Rueda Elias Spers, Marli Terezinha Vieira, Angélica Góis Morales, Thel Augusto Monteiro

Abstract


As políticas públicas de turismo são ferramentas que direcionam os caminhos para a concretização de objetivos que possam fomentar o crescimento da atividade turística de maneira sustentável e, que consigam favorecer o bem estar à comunidade beneficiada. O estado de São Paulo apresenta uma proposta de política pública de turismo diferenciado e inovador perante os demais estados brasileiros, que por meio de ações regulamentadoras beneficiam municípios que apresentam atrativos e recursos turísticos com incentivos financeiros para concretização de programas de infraestrutura, programas de urbanização, projetos de melhoria para o desenvolvimento do turismo e programas de preservação ambiental às cidades consideradas e decretadas estâncias no estado de São Paulo. Observa-se que, desde a criação das estâncias as legislações sofreram diversas alterações com o propósito de melhorar e se adequar as novas realidades. Nesse prisma, a presente pesquisa tem como objetivo compreender e analisar as legislações que especificam sobre os recursos financeiros destinados as cidades estâncias no estado de São Paulo, além de apresentar os caminhos percorridos das prefeituras estâncias para a liberação desses incentivos e, os valores disponibilizados a esses municípios no período de 2014 a 2019. A pesquisa segue a metodologia qualitativa, pautada na análise exploratória e descritiva. Além da revisão bibliográfica, os estudos foram baseados em pesquisa documental coletada por meio da análise das leis, decretos, jornais, sites oficiais, documentos oficiais produzidos pelos órgãos governamentais e informações apuradas no Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos na Secretaria Estadual de Turismo do estado de São Paulo para análise e interpretação dos dados. O presente estudo apresenta as legislações do modelo de política pública de turismo de incentivo financeiro destinado ao fomento do turismo de maneira cronológica, além de ilustrar os valores disponibilizados as estâncias turísticas paulistas no ano de 2014 a 2019, como análise de reflexão para futuras pesquisas que abordam a gestão de políticas públicas relacionadas a recursos financeiros para o desenvolvimento do turismo. Considera-se que, além da compreensão dos fatos regulatórios de incentivo financeiro ao turismo através de um fundo, os resultados possam refletir a pesquisadores e gestores públicos sobre a importância da gestão das políticas públicas de turismo e, servir de análise para futuras pesquisas que possam compreender a realidade dos fatos que estão sendo viabilizados com valores financeiros disponibilizados para o fomento do turismo.


Keywords


políticas públicas de turismo, recursos financeiros turísticos, legislação, estâncias turísticas.

References


Acerenza, M. A. (2002). Administração do turismo: conceituação e organização. Bauru: EDUSC.

Aulicino, M. P. (2001). Turismo e Estâncias: impactos e benefícios para os municípios. São Paulo: Futura.

Beni, M. C. (2012) Planejamento estratégico e capacidade de gestão. São Paulo: Manole.

Boullon, R. C. (2002). Planejamento do espaço turístico. Bauru: EDUSC.

Brasil. Ministério do Turismo. (2018) Extrator de chegadas de turistas internacional ao Brasil. Disponível em: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/extrator-turistas.html. Acesso em 10 jan. 2019.

Brasil. Ministério do turismo. (2019a). Crescimento do turismo mundial pode chegar a 4% em 2019. Brasília, DF; Ministério do turismo. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/component/content/article.html?id=12306&fbclid=IwAR0uYU06lol7olt7IJAJCYYoRrezEgTpNAqcLTQGIoFOdQ14C7ZWG8AALjg. Acesso em 25 jan. 2019.

Brasil. Ministério do turismo. (2019b). Dados e fatos. Brasília, DF: Ministério do turismo. Disponível em: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/. Acesso em: 25 jan. 2019.

Constituição do Estado de São Paulo, 1967. (1967). São Paulo: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/leis/constituicoes/constituicoes-anteriores/constituicao-estadual-1967. Acesso em: 11 nov. 2017.

Cruz, R. de C. (2016). Políticas públicas de turismo no Brasil e pesquisa interdisciplinar: uma análise sobre o passado e o presente e reflexões sobre o futuro. In: AZEVEDO, Marta de. et al. (Orgs). Turismo, natureza e cultura: diálogos interdisciplinares e políticas públicas. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa. (Ebook).

Decreto nº 30.642, de 26 de outubro de 1989. (1989). Organiza e regulamenta o Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias e dá outras providências. São Paulo: Governo Estadual. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/decreto/1989/decreto-30624-26.10.1989.html. Acesso em: 10 mar. 2019.

Dias, R. & Matos, F. (2012). Políticas Públicas: princípios, propósitos e processos. São Paulo: Atlas.

Dwyer, L. & Kim, C. (2003). Destination competitivenes: determinants and indicators. Current Issues in Tourism. Reino Unido, v. 6(5), p 369-414. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13683500308667962. Acesso em: 24 jan. 2019.

Fernandes, I. P. (2011) Planejamento e Organização do Turismo. Rio de Janeiro, Elsevier.

Fino, P., & Queiroz, O. (2012). Políticas públicas de turismo no estado de São Paulo: evolução da legislação no caso das estâncias. Anais do 5° Congresso Latino americano de Investigação Turística, São Paulo, EACH/USP, p. 1-15.

Fratucci, A. C. (2008). A dimensão especial nas políticas públicas brasileiras de turismo: as possibilidades das redes regionais de turismo. Tese de Doutorado. Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro.

Gastal, S., & Moesch, M. (2007) Turismo, políticas públicas e cidadania. São Paulo: Aleph.

Godoi, C. K.; Mello, R. B. de, & Silva, A. B. (org.). (2010). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Saraiva.

Herzer, R. (2017). Estâncias turísticas do estado de São Paulo: um estudo sobre a inserção e atuação do bacharel em turismo na administração pública. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro.

Howlett, M.; Perl, A., & Ramesh, M. (2012). Política Pública: seus ciclos e subsistemas: uma abordagem integradora. Tradução técnica: Francisco Heidemann. Rio de Janeiro: Elsevier.

Köche, J. C. (2011). Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes.

Lei nº 10.167, de 04 de julho de 1968. (1968). Dispõe sobre a instituição do Fundo de Melhoria das Estâncias e dá outras providências. São Paulo: Governo Estadual. Disponível em: https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/1968/lei-10167-04.07.1968.html. Acesso em 25 mar. 2019.

Lei nº 16.283 de julho de 2016. (2016). Dispõe sobre o Fundo de Melhoria dos Municípios Turísticos e dá providências correlatas. Diário Oficial do Estado de São Paulo. v 126, nº 132.

May. Peter. J. & Jochim, Ashley. E. (2013). Policy Regime Perspectives: Policies, Politics, and Governing. The Policy Studies Journal. EUA, v. 41, n. 3, p. 426-452. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/psj.12024. Acesso em: 10 jan. 2019.

Moreno, I. A. C., & Villarreal, L. Z. (2017). Alcances de la política social y el turismo rural para el desarrollo local en San Mateo Almomoloa–México. Estudios y Perspectivas en Turismo. Buenos Aires, v. 26, p. 944-963.

Oliveira, C. T. F., Zouain, D. M., & Barbosa, L. G. M. (2015). Políticas públicas de turismo em Brasil: una evoluación em 65 municípios. Estudios y Perspectivas em Turismo. Buenos Aires, v. 24, p. 76-95.

Panosso Neto, A., & Trigo, L. G. G. (2009). Cenários do Turismo Brasileiro. São Paulo: Aleph.

Rascassi, M. (2018). Superintendente da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS). Entrevista concedida pessoalmente a autora com autorização. São Paulo, 19 set.

Rigoldi, A. G. M; Spers, V. R. E., & Vieria, M. T. (2018). Políticas públicas de turismo en Brasil: un análisis de la producción científica en el período de 2006-2016. Estudios y Perspectivas en Turismo. v. 27, p .699 – 715.

Rivas, J. I., & Magadán, M. (2012). Planificación y Gestión Sostenible del Turismo. Oviedo: Septem Ediciones.

Sachs, I. (2004). Desenvolvimento includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

Sampierieri, H. R.; et al. (2013) Metodologia de Pesquisa. 5ª. ed, McGraw Hill.

São Paulo (2018). Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo. Manual de Convênio DADETUR. São Paulo: Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo.

São Paulo (2019). Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos. Disponível em: http://www.turismo.sp.gov.br/publico/noticia_tour.php?cod_menu=111. Acesso em 10 mar. 2019.

Silva, F. C. da. (2015). A formação de agenda de políticas públicas de turismo em âmbito local: os casos de Ouro Preto (MG) e Paraty (RJ). Tese de Doutorado. Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Solha, K. T. (2004). Órgãos públicos estaduais e o desenvolvimento do turismo no Brasil. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo: USP.

Solha, K.T. (2005). Órgãos estaduais de turismo no Brasil. In. Trigo et al, Análises regionais e globais do turismo brasileiro. São Paulo. Roca.p. 39-47.

Subirats, J. (2012). Nuevos tempos? Nuevas políticas públicas? Explorando caminhos de respostas. Revista Del CLAD Reforma y Democracia. Caracas. Venezuela, n. 54.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-223

Refbacks

  • There are currently no refbacks.