Perfil fitoquímico e potencial antioxidante de extratos Etanólicos da espécie Bauhinia Monandra Kurz (FABACEAE) / Phytochemical profile and antioxidant potential of Ethanol extracts of the species Bauhinia Monandra Kurz (FABACEAE)

Daniel Pereira de Oliveira, Eveline Solon Barreira Cavalcanti, Selene Maia de Morais, Cleonilda Claita Carneiro Pinto, Renato Almeida Montes, Lucas Mendes Brito dos Santos, Milena Lira Furtado, Eduardo Souza da Silva

Abstract


O gênero Bauhinia pertence à família Fabaceae e apresenta cerca de 300 espécies, presentes em regiões tropicais da África, Ásia e das Américas Central e do Sul, utilizadas principalmente na medicina popular no tratamento do diabetes. No Brasil são reconhecidas aproximadamente 200 espécies de Bauhinia, 98 das quais são nativas. Diversas espécies foram introduzidas por fins ornamentais, adaptando-se facilmente ao clima brasileiro e hoje são encontradas em diferentes regiões do Brasil. As folhas, flores e galhos maduros de B. monandra Kurz foram obtidos no campus da Universidade Estadual do Ceará (lat.:−3.47207; long:−38.33092), Fortaleza, Brasil. A exsicata da planta foi depositada no Herbário Prisco Bezerra da Universidade Federal do Ceará (UFC). Os extratos foram obtidos por maceração a frio com 96% de etanol, sem agitação por 7 dias e sem exposição a luz. A presença de metabólitos secundários foi analisada através da observação de mudanças de cor ou reações de formação de precipitados (Matos, 2009). O teor total de fenóis foi determinado utilizando o método de Folin – Ciocalteu (Sousa et al, 2007). O teor de flavonóides foi determinado pelo método de Funari e Ferro (2006). A atividade antioxidante foi executada utilizando o radical DPPH (2,2-difenil-1-picril-hidrazila), seguindo a metodologia de (Yepez, 2002). Entre os metabólitos secundários identificados estão: fenóis, taninos, flavonóides, esteróides e alcalóides. Tanto os teores de fenóis (169,96 ± 0,02 mg EAG/ g extrato) quanto de flavonoides (74,03±0,02 mgEQ/g extrato) se apresentam em maiores proporções nas flores da planta, sendo assim, contribuiram com a sua melhor atividade antioxidante de inibição do radical livre DPPH (CI50 =10,73 ± 0,18 µg/mL). Portanto as flores de B. monandra constitue uma rica fonte de fenóis e flavonoides com alta atividade antioxidante.


Keywords


Bauhinia monandra, potencial antioxidante, análise fitoquímica.

References


ADEROGBA, M.A; MCGAW, L.J; OGUNDAINI, A.O; ELOFF, J.N. Antioxidant activity and cytotoxicity study of the flavonol glycosides from Bauhinia galpinii. Nat Prod Res 21: 591–599, 2007

AJIBOYE, A. T. MUSA, M.D; OTUN K.O; JIMOH, A.A; BALE, A.T; LAWAL, S.O; Arowona MT. The studies of antioxidant and antimicrobial potentials of the leaf extract of Bauhinia monandra plant. Natural Products Chemistry & Research, [s.l.], v. 03, n. 04, p. 1-5, 2015

ARGOLO, A.C.C; SANT’ANA A.E.G; PLETSCH, M; COELHO, L.C.B.B. Antioxidant activity of leaf extracts from Bauhinia monandra. Bioresource Technology, [S.L.], v. 95, n. 2, p. 229-233, 2004

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política e Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos – Brasília, 2016.190 p.

CAROCHO, M.; FERREIRA, I. C.F.R. A review on antioxidants, prooxidants and related controversy: Natural and synthetic compounds, screening and analysis methodologies and future perspectives. Food and Chemical Toxicology, [s.l.], v. 51, n. 1, p.15-25, 2013

CECHINEL FILHO, V. Chemical composition and biological potential of plants from the genus Bauhinia. Phytotherapy Research, v. 23, p. 1347-1354, 2009

CHELI, F.; BALDI, A. Nutrition‐Based Health: Cell‐Based Bioassays for Food Antioxidant Activity Evaluation. Food Science, [s.l.], v. 76, n. 9, p.197-205, 2011

COAN, C. M.; MATIAS, T. A utilização das plantas medicinais pela comunidade indígena de Ventarra Alta - RS. Revista de Saúde e Biologia, [S.l.], 2014.

FUNARI, C. S.; FERRO, V. O. Análise de própolis. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 26, p. 171-178, 2006.

MATOS, F. J. A. Introdução à fitoquímica experimental. 3. ed. Fortaleza. UFC, 2009. 150 p.

MELO, E. A.; MACIEL, M.; LIMA, V. L. A. G.; LEAL, F. L. L.; CAETANO, A. C. S.; NASCIMENTO, R. J. Capacidade antioxidante de hortaliças usualmente consumidas. Ciência e Tecnologia dos Alimentos, Campinas [s.l.], v. 26, n. 3, p.639-644, 2006

MONTEIRO, S. C.; BRANDELLI, C. L. C. Farmacobotânica: aspectos teóricos e aplicação. [s. l.]: Artmed, 2017. 172 p. Disponível em: . Acesso em: 06 maio. 2020.

MORAIS, S. M.; BRAZ-FILHO, R. (Org.). Produtos Naturais: estudos químicos e biológicos (livro eletrônico). Fortaleza. EDUECE, 2007. 126 p.

MORAIS, S. M.; LIMA, K. S. B.; SIQUEIRA, S. M. C.; CAVALCANTI, E. S. B.; SOUZA, M.S.T.; MENEZES, J. E. S. A.; TREVISAN, M. T. S. Correlação entre as atividades antiradical, antiacetilcolinesterase e teor de fenóis totais de extratos de plantas medicinais de farmácias vivas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, [s.l.], v. 15, n. 4, p.575-582, 2013

MORAIS, S. M.; VIEIRA, Í. G. P. (Org.). Introdução à prospecção de produtos naturais (livro eletrônico). Fortaleza. EDUECE, 2018. 151 p

ORTIZ, Heidy et al. Poder antioxidante de los flavonoides de hoja y corteza de bauhinia kalbreyeri harms. (casco de vaca). Scientia et technica, v. 13, n. 33, p. 209-210, 2007.

PANCHE, A. N; DIWAN, A.D; CHANDRA, S.R. Flavonoids: An overview. Journal of Nutritional Science, v. 6, n. 5, p. 1-15, 2016.

PEIXOTO SOBRINHO, T. J. S.; GOMES, T. L. B.; CARDOSO, K. C. M.; ALBUQUERQUE, U. P.; AMORIM, E. L. C. Teor de flavonóides totais em produtos contendo pata-de-vaca (Bauhinia L.) comercializados em farmácias de Recife/PE. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 4, p.586-591, 2012.

PEREIRA, M. O. S. Estudo Comparativo de Métodos de Avaliação da Capacidade Antioxidante de Compostos Bioactivos. 2010. 40 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Alimentar), Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2010.

SCHAFRANSKI, K. Extração e caracterização de compostos fenólicos de folhas de amoreira preta (Morus nigra L.) e encapsulamento em esferas de alginato. 100 p. Dissertação de Mestrado - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2019.

SCHIAVON, D. B. A. Resgate etnobotânico de plantas medicinais e validação da sua atividade antibacteriana. 2015. 101 f. Tese (Doutorado em Ciências), Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015.

SILVA, A. P. P. Análise do remédio artesanal “Tintura de pata-de-vaca” tendo a tintura de Bauhinia monandra Kurz como referência. 2016. 93 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas), Instituto de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Pará, Belém, 2016.

SOUSA, C. M. M.; SILVA, H. R.; VIEIRA-JR., G. M.; AYRES, M. C. C.; COSTA, C. L. S.; ARAÚJO, D. S.; CAVALCANTE, L. C. D.; BARROS, E. D. S.; ARAÚJO, P. B. M.; BRANDÃO, M. S.; CHAVES, M. H. Fenóis totais e atividade antioxidante de cinco plantas medicinais. Química Nova, v. 30, n. 2, p.351-355, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-176

Refbacks

  • There are currently no refbacks.