Incidência de microrganismos em lotes de sementes de coentro do vale do submédio São Francisco/Incidence of micro-organisms in lots of coriander seeds of the São Francisco submediate valley

Gilmario Noberto de Souza, Ana Caroline Coelho Pereira da Silva, Isa Gabriela Vieira de Andrade, Itala Laine Silva Gomes, Eduardo Santana Aires, Carlos Alberto Aragão, Barbara França Dantas, Ana Rosa Peixoto

Abstract


 O coentro é uma olerícola anual de grande importância para o Brasil, com destaque na comercialização das regiões Norte e Nordeste do país. Para manter uma boa produtividade a utilização de sementes de qualidade é de suma importância. O presente trabalho teve como objetivo verificar a incidência de microrganismos associados a sementes de coentro e o vigor das mesmas, provenientes de diferentes lotes de produtores da região do Vale do Submédio São Francisco. Desta forma foi conduzido um experimento em Juazeiro-BA no Departamento de Tecnologia de Ciências Sociais da Universidade do Estado da Bahia em condição de laboratório e em casa de vegetação, analisando as características de vigor e sanidade de quatro lotes sementes em delineamento inteiramente casualizado. Observou-se diferença significativa entre os lotes analisados tanto em condições controladas quanto em situação de campo, com melhores resultados obtidas das sementes tratadas comercialmente e das sementes provenientes do distrito Maniçoba (lote 3) e ao final do experimento foram identificados cinco gêneros de fungos fitopatogênicos associados às sementes de coentro produzidos na região do Vale do Submédio São Francisco.


Keywords


Coriandrum sativum L, vigor, fitopatógenos.

References


BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: Mapa/ ACS, 2009, 395p.

GUEDES, R. S.; ALVES, E. U.; COSTA, E. M. T.; SANTOS-MOURA, S. S.; SILVA, R. S.; CRUZ, F. R. S. Avaliação do potencial fisiológico de sementes de Amburana cearensis (Allemão) A.C. Smith. Bioscience Journal, v. 29, p. 859-866, 2013.

LABOURIAU, L.G. A germinação das sementes. Washington: Secretaria geral da Organização dos Estados Americanos, 1983, 174p.

LABOURIAU, L.G. & VALADARES, M.E.B. On the germination of seeds of Calotropis procera (Ait.) Ait.f. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 48, p. 263-284, 1976.

LINS, H.A.; FERRAZ, J. C. B.; COSTA, J. A.; ALMEIDA NETO, I. P.; PIMENTA, T. A. Análise germinativa de sementes comerciais de coentro (Coriandrum sativum L.) in Serra Talhada – PE. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 10, p. 05-07, 2015.

MAGUIRE, J.D. Seed of germination and relation evaluation for seedling emergence vigor. Crop Science, v. 2, p. 176-177, 1962.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados na avaliação das plântulas. In: In: KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. cap.2, p.1-24.

PEREIRA, M.F.S.; TORRES, S.B.; LINHARES, P.C.F.; PAIVA, A.C.C.; PAZ, A.E.S.; DANTAS, A.H. Qualidade fisiológica de sementes de coentro [Coriandrum sativum (L.)]. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 13, p. 518-522, 2011.

REIS A; BOITEUX, L.S.; SILVA, P.P.; CÂMARA, M.P.S. Alternaria dauci, agente de manchas foliares em salsa e coentro no Brasil. Fitopatologia Brasileira, v. 28, p. 202-203, 2003.

REIS, A.; SATELIS, J.F.; PEREIRA, R.S.; NASCIMENTO, W.M. Associação de Alternaria dauci e A. alternata com sementes de coentro e eficiência do tratamento químico. Horticultura Brasileira, v. 24, p. 107-111, 2006.

SEVERIANO, R. L.; PINHEIRO, P. R.; PEREIRA M. D. Condicionamento fisiológico em sementes de coentro. Revista de Agricultura, v. 91, p. 130-142, 2016.

SILVA, F. de A. S. E.; AZEVEDO, C. A. V. de. The Assistat Software Version 7.7 and its use in the analysis of experimental data. African Journal of Agricultural Research, v. 11, p. 3733-3740, 2016.

SILVA, M.A.D.; COELHO JUNIOR, L.F.; SANTOS, A.P.. Vigor de sementes de coentro (Coriandrum sativum L.) provenientes de sistemas orgânico e convencional. Revista Brasileira de plantas Medicinais, v. 14, p. 192-196, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-161

Refbacks

  • There are currently no refbacks.