Nível de Ruído Ocupacional em Atividades de Aplicação de Agrotóxicos Tratorizadas na Cultura do Cafeeiro/Occupational Noise Level in Tractorized Pesticide Application Activities in Coffee Culture

Bruna Aparecida da Costa, Geraldo Gomes de Oliveira Júnior, Lucas Deleon Ramirio, José Antônio Ramos, Lucas Eduardo de Oliveira Aparecido, Kleber Moreira Martins, Adriano Bortolotti da Silva, Patrícia Ribeiro do Valle Coutinho

Abstract


Na cafeicultura tradicional, o controle de doenças, pragas e vegetação espontânea tem sido realizado tradicionalmente por meio do uso de agrotóxicos. Em locais onde a topografia favorece a mecanização, essas atividades tem ocorrido através de tratores acoplados a pulverizadores do tipo canhão ou atomizadores e aplicadores de herbicidas. Muito embora a utilização desses equipamentos seja de grande importância para a cafeicultura, vale destacar que o conjunto tratorizado pode expor o trabalhador a níveis elevados de ruído. Neste sentido, o presente estudo objetivou analisar os níveis de ruído ocupacional em atividades de aplicação de agrotóxicos tratorizadas na cultura do cafeeiro. O trabalho foi realizado por meio de coleta dos níveis de ruído das atividades de pulverização e aplicação de herbicidas em atividades cafeeiras registradas em Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho - LTCAT (2008 a 2011). Os resultados demonstraram que o nível de ruído de todas as operações foi superior ao permitido para uma jornada de trabalho de 8 horas de exposição, necessitando da adoção de medidas de proteção. O maior nível de ruído numérico foi obtido durante atividade de aplicação de herbicidas (MF250X - PH 400) com 93,4 dB (A) ± 1,78. Ainda pode-se constatar que não houve diferenças significativas para os níveis de ruído quantificados nas diferentes operações tratorizadas para aplicação de agrotóxicos.


Keywords


Mecanização, Proteção, Risco físico.

References


COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB. Acompanhamento da safra brasileira de café. Brasília, v.5, n.1, p.1-62, 2019. Disponível em: http://www.conab.gov.br>. Acesso em 06 set.2019.

CUNHA, J. P. B.; SILVA, F. M.; DIAS, R. E. B. A. Eficiência de Campo em Diferentes Operações Mecanizadas na Cafeicultura. Coffee Science, Lavras, v. 11, n. 1, p.76 - 86, mar.2016.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), Lavras , v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

FUNDAÇÃO JORGE DUPRAT FIGUEIREDO DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO - FUNDACENTRO. Norma de Higiene Ocupacional. Procedimento Técnico. Avaliação da Exposição Ocupacional ao Ruído. NHO 01. São Paulo: Fundacentro. 2001. 37 p.

LOPES, A. C.; OTOWIZ, V. G.; LOPES, P. M. B.; LAURIS, J. R. P.; SANTOS, C. C., Prevalence of noise-induced hearing loss in drivers. International Archives of Otorhinolaryngology, São Paulo, v.16, n.4, p. 509-514, oct./dec. 2012.

REICHAMAN, D.R. Big Coffee in Brazil: Historical origins and implications for antropological political economy. Journal of latin American and Caribbean Antropology, United States , v. 23, n. 2, p. 241-261, 2018.

SALIBA, T. M. Curso básico de segurança e higiene ocupacional. 5ª ed. São Paulo, LTr, 2013. 479p.

SANTOS, M; ALMEIDA, A. Ruído e saúde ocupacional: consequências para além da hipoacusia. Revista Portuguesa de Saúde Ocupacional, v. 1, n. 1, p.1-3, 2016.

SILVA, J. L. L.; COSTA, F. S.; SOUZA, R. F.; SOUSA, J. L.; OLIVEIRA, R. S. O ruído causando danos e estresse: possibilidade de atuação para a enfermagem do trabalho. Avances en Enferméria, Bogotá, v. 32, n. 1, p. 124-138, enero./jun. 2014.

SILVA, J. A. R. da.; OLIVEIRA JUNIOR, G. G. de.; COSTA, C. E. de. M.; SILVA, A. B. da.; GABRIEL, C. P. C.; PUTTI, F. F. Occupational noise level in mechanized and semimecanized haverst of coffee fruits. Coffee Science, Lavras, v. 13, n. 4, p. 448 - 454, out/dez.2018.

STOKHOLM, Z. A.; HANSEN, A. M.; GRYNDERUP, M. B.; BONDE, J. P.; CHISTENSEN, K. L.; FREDERIKSEN, T. W.; LUND, S. P.; VESTERGAARD, J. M.; KOLSTAD, H. A. Recent and long-term occupational noise exposure and salivary cortisol level. Psychoneuroendocrinology, v. 39, p. 21-32, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-146

Refbacks

  • There are currently no refbacks.