Práticas de aleitamento materno em crianças prematuras no âmbito domiciliar: revisão integrativa da literatura / Breastfeeding practices in premature children at home: integrative review of the literature

Natália Mirelle Amaral de Lima, Marina Garcia Manochio Pina

Abstract


O leite materno é a melhor alimentação na primeira infância, devido ao aporte nutricional, imunológico, psicológico e econômico, para o binômio mãe/filho, reduzindo significativamente o risco de desenvolvimento de doenças e a morbimortalidade, principalmente quando relacionado à criança prematura, devido a fragilidade e susceptibilidade às doenças. Assim, esta revisão integrativa da literatura objetivou identificar as práticas voltadas para a adesão ao aleitamento materno em recém-nascidos prematuros. A busca bibliográfica foi realizada entre 2015 e 2019, sem restrição de idiomas, em três bases de dados: PubMed, ScieELO e Google acadêmico. Excluíram-se os artigos duplicados e os que não abordavam sobre intervenções voltadas para amamentação em prematuros. Definiram-se quatro critérios de inclusão: aleitamento materno em prematuros; práticas inovadoras de incentivo ao aleitamento materno no âmbito domiciliar; adesão ao aleitamento materno em prematuros e artigos de intervenção sobre a temática. Dentre os 1889 artigos selecionados, apenas um contemplava a temática proposta e atenderam os critérios de inclusão e exclusão. A prática de intervenção identificada foi à tecnologia educacional com uso de website, o qual proporcionou aumento nas taxas de aleitamento materno. Conclui-se que mesmo diante da relevância do aleitamento materno em prematuros, há poucas publicações referentes a praticas voltadas para a amamentação nesse grupo.


Keywords


Motivação, Aleitamento materno, Recém-nascido prematuro.

References


AZEVEDO, M.; CUNHA, M.L.C. Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo em prematuros no primeiro mês após a alta hospitalar. HCPA, v. 33, n. 1, p. 40-49, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/sony/Downloads/37653-159998-2-PB%20(3).pdf Acesso em: 06 jun. 2020.

BONILHA, A.L.L. et al. Ações para a promoção do aleitamento materno na prematuridade tardia. REAS, v. 9, n 3, p. 1347-1353, 2017. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/170606

/001053432.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 05 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde. 2. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_recem_nascido_profissionais_v1.pdf. Acesso em: 15 jul. 2019.

______. Ministério da Saúde. Saúde da criança: Aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

CORRÊA, C.C; COSTA, D.R.; FELIX, G.B. Websites em português sobre disfagia orofaríngea no idoso. Distúrb. Comum., v. 30, p. 140-146, 2018. Disponível em: http://ken.pucsp.br/dic/article/view/33801/25037. Acesso em: 06 ago. 2019.

DINIZ, C. M. M. et al . Contribuições dos aplicativos móveis para a prática do aleitamento materno: revisão integrativa. Acta paul. enferm., v. 32, n. 5, p. 571-577, 2019 . Disponível em . Acesso em: em 27 fev. 2020.

FERECINI, G.M. Desenvolvimento e Avaliação de um objeto digital de aprendizagem sobre o aleitamento materno do prematuro.2011. Tese (doutorado) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-28022012-142326

/publico/GeovanaFerecini.pdf. Acesso em 20 jul. 2019. Acesso em: 06 ago. 2019.

FREITAS, B.A.C. et al. Duração do aleitamento materno em prematuros acompanhados em serviço de referência secundário. Rev. paul. pediatr., v. 34, n. 2, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpp/v34n2/pt_0103-0582-rpp-34-02-0189.pdf Acesso em: 06 ago. 2019.

JÚNIOR, J.D.P, et al. Perfil da mortalidade neonatal no município de Ubá/MG, Brasil (2008-2010). Rev. Bras. Pesq. Saúde, .v.18. n 3, p. 24-31, 2016. Disponível em: http://www.publicacoes.ufes.br/RBPS/article/viewFile/15739/10886. Acesso em 06 de ago. 2019.

LUZ, L.S. et al . Fatores preditivos da interrupção de aleitamento materno exclusivo em prematuros: coorte prospectiva. Rev. Bras. Enferm., v.7, n.6, 2018.. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672018000602876&lng=en&nrm=iso&tlng=pt . Acesso em: 06 ago. 2019.

MARQUES et al. A influência da rede social da nutriz no aleitamento materno: o papel estratégico dos familiares e dos profissionais de saúde. Ciências da Saúde Coletiva, v. 15, p. 1391-400, 2010.Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2010.v15suppl1/1391-1400/. Acesso em: 06 jun. 2020.

MENDES K.D.S., SILVEIRA R.C.C.P.; GALVÃO C.M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidencias na saúde e na enfermagem. Enferm., Florianópolis, v.17, n.4, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400018. Acesso em: 22 de jul.2019.

NASCIMENTO M.B.; ISSLER H. Aleitamento materno em prematuros: manejo clínico hospitalar. J. Pediatr., v. 80, n 5, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572004000700008. Acesso em 05 ago. 2019.

OMS. MHealth New horizons for health through mobile technologies. Based on the findings of the second global survey on eHealth Global Observatory for eHealth series, vol. 3. 2011. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/44607/9789241564250_eng.pdf

Acesso em: 01 agos. 2019.

ROLLINS, N. C. et al. Why invest, and what it will take to improve breastfeeding practices?. The Lancet, v. 387, n. 10017, p. 491-504, 2016. Disponível em:

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2815%2901044-2

Acesso em: 29 de jul. 2019.

SILVA, L. M.; TAVARES, L. A. M.; GOMES, C. F. Dificuldades na amamentação de lactentes prematuros. Distúrbios da Comunicação, v. 26, n. 1, 2014. Disponível em: file:///C:/Users/sony/Downl

oads/19010-47639-1-SM.pdf. Acesso em: 29 de jul. 2019.

SILVA, D.V. Aplicação da tecnologia “flor de mãe” para promoção do aleitamento materno. . Monografia (Especialização saúde Materno e Neonatal) - Departamento de Enfermagem de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/1

/HELOISE%20DANIELLE%20VASCONCELOS%20DA%20SILVA%20-MATERNO%20-%20TCC.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 20 jul. 2019. Acesso em 20 jul. 2019.

SILVA, N.V.N. Efeito do website educativo para a prática do aleitamento materno em prematuros. Tese (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/17909/1/disserta%c3%a7%c3%a3o%20vers%c3%a3o%20final%20DIGITAL.pdf. Acesso em 20 jul. 2019.

TABATA, K.I. et al. Benefícios do aleitamento materno na redução do número de internações em crianças até dois anos . Braz. J. of Develop., v. 5, n. 11, p.27995-28010, 2019. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/5044/4619. Acesso em: 07 jul. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-125

Refbacks

  • There are currently no refbacks.