A relação entre fatores biopsicossociais e os desfechos clínicos de hospitalização, institucionalização e mortalidade segundo o paradigma de desenvolvimento lifespan / The relationship between biopsychosocial factors and clinical outcomes of hospitalization, institutionalization and mortality according to the lifespan development paradigma

Gabriela Campana Barbosa, Thais Knopp de Faria, Pricila Cristina Correa Ribeiro, Cláudia Helena Cerqueira Mármora

Abstract


Envelhecer causa diversas alterações no organismo que podem trazer perdas ao indivíduo e culminar na maior possibilidade de desenvolvimento de doenças crônicas, principais responsáveis pelos desfechos clínicos de hospitalização, institucionalização e mortalidade nos idosos. Entretanto, estes desfechos não são influenciados apenas por aspectos biológicos e fisiológicos. O objetivo deste trabalho é analisar como questões biopsicossociais podem estar relacionadas a estes desfechos e, a partir do paradigma lifespan, apresentar possibilidade de manejo das perdas vivenciadas durante o desenvolvimento, na busca por um envelhecimento bem-sucedido. Para tanto, a metodologia utilizada consistiu em uma pesquisa bibliográfica, a partir de uma revisão da literatura. De maneira geral, o isolamento social, a falta de apoio, o baixo nível de instrução e escolaridade e as mudanças que ocorreram na composição e organização das famílias foram os fatores psicossociais que mais se associaram à vivência dos desfechos clínicos investigados. O paradigma lifespan ofereceu bases para dialogar sobre as possibilidades que se abrem mesmo diante das perdas experimentadas na senescência, abarcando mecanismos de otimização para que esta etapa do ciclo da vida seja vivenciada da melhor maneira possível.


Keywords


Idoso, Hospitalização, Institucionalização, Mortalidade, Condição sócia, Lifespan.

References


ALAMGIR, H., MUAZZAM, S., NARRULLAH, M. Unintentional falls mortality among elderly in the United States: time for action. Injury., v. 43, n.12, p. 2065-71, 2012.

ALBERTE, J. S. P. Fatores biopsicossociais no envelhecimento e percepção da qualidade de vida do idoso. Tese (Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2009.

ALENCAR, M. A., BRUCK, N. N. S., PEREIRA, B. C., CÂMARA, T. M. M. & ALMEIDA, R. D. S. (2012). Perfil dos idosos residentes em uma instituição de longa permanência. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., v. 15, n. 4, p. 785-796, 2012.

ALVES, L. C., LEITE, I. da C., MACHADO, C. J. Perfis de Saúde dos idosos no Brasil: análise da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio de 2003 utilizando o método Grade of Membership. Cad. Saúde Pública, v. 24, n.3, p. 535-546, 2008.

AMARAL, F. L. J. dos S., GUERRA, R. O., NASCIMENTO, A. F. F., MACIEL, A. C. C. Apoio social e síndrome da fragilidade em idosos residentes na comunidade. Ciênc. saúde coletiva, v. 18, n. 6, 2013.

BALTES, P. B. Theoretical propositions of life-span developmental psychology: on the dynamics between growth and decline. Developmental Psychology, v. 32, n. 5, p. 611-626, 1987.

BALTES, P. B. On the incomplete architecture of human ontogeny. Selection, optimization, and compensation as foundation of developmental theory. American Psychologist, v. 52, n. 4, p. 366-380, 1997.

BALTES, P. B., & BALTES, M. M. Plasticity and variability in psychological aging: Methodological and theoretical issues. In G. E. Gurski (Ed.), Determining the effects of aging on the central nervous system. Berlin: Schering, 1980.

BALTES, P. B., & BALTES, M. M. Psychological perspectives on successful aging: The model of selective optimization with compensation. In: P. B. Baltes & M. M. Baltes (Eds). Successful aging. Perspectives from behavioral sciences (pp. 1-34). Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

BALTES, P. B., REESE, H. W., & LIPSITT, L. P. Life-span developmental psychology. Annual Review of Psychology, v. 31, p. 65-110, 1980.

BALTES, P. B., LINDENBERGER, U., STAUDINGER, U. M. Life-span Theory in Developmental Psychology. In R. M., Lerner (Ed), Handbook of Child Psychology: V. 1. Theoretical Models of Human Development. New York: Wiley, 1998.

BALTES, P. B., STAUDINGER, U. M., LINDENBERGER, U. LIFESPAN PSYCHOLOGY: Theory and Application to Intellectual Functioning. Annu. Rev. Psychol., v. 50, p. 471-507, 1999.

BALTES, P. B., SINGER, T. Plasticity and the ageing mind: an

exemplar of the bio-cultural orchestration of brain and behaviour. European Review, v. 9, n. 1, p. 59-76, 2001.

BALTES, P. B., & SMITH, J. New frontiers in the future of aging: From successful aging of the young old to the dilemmas of the fourth age. The Gerontologist, v. 49, p. 123-135, 2003.

BALTES, P. B., & SMITH, J. Lifespan Psychology: From developmental contextualism to developmental biocultural co-construtivism. Research in Human Development, v. 1, n.3, p. 123-144, 2004.

BARBOSA, G. C. Análise da Relação de Fatores Biopsicossociais e os Desfechos Clínicos de Hospitalização e Óbito de Idosos: segunda onda do estudo FIBRA-JF. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2019.

BORIM, F. S. A., FRANCISCO, P. M. S. B., NERI, A. L. (2017). Fatores sociodemográficos e de saúde associados à mortalidade em idosos residentes na comunidade. Revista de Saúde Pública, v. 51, n. 42, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC nº 283, de 26 de setembro de 2005. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.741 de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outros providências. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Estatuto do Idoso. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. [E-book]

CABRERA, M.A.S., ANDRADE, S.M., WAJNGARTEN, M. (2007). Causas de mortalidade em idosos: estudo de seguimento de nove anos. Geriatr Gerontol., v. 1, n.1, p.14-20, 2007.

CARVALHO, M.H.R., CARVALHO, S.M.R., LAURENTI, R., PAYÃO, S.L.M. (2014). Tendência de mortalidade de idosos por doenças no município de Marília- SP, Brasil: 1998 a 200 e 2005 a 2007. Epidemiol Serv Saude., v. 23, n. 2, p. 347-54, 2014.

COLE M. Interacting minds in a life–span perspective: a cultural/historical approach

to culture and cognitive development, p. 59–87, 1996.

DAHBERG, L., AGAHI, N., SCHÖN, P., & LENNARTSSON, C. Planned and Unplanned Hospital Admissions and Their Relationship with Social Factors: Findings from a National, Prospective Study of People Aged 76 Years or Older. HSR: Health Services Research. 2018.

DAPP, U., MINDER, C.E., ANDERS, J., GOLGERT, S., RENTELN-KRUSE, W. Long-term prediction of changes in health status, frailty, nursing care and mortality in community-dwelling senior citizens: results from the longitudinal urban cohort ageing study (LUCAS). BMC Geriatr., v.14, 2014.

DOS SANTOS, A. A. H., DE OLIVEIRA, A. L., KAMIMURA, Q. P., & OLIVEIRA, E. A. D. A. Q. Longevidade: Tempo de escolhas. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 75204-75220, 2020.

DUPRE, M. E., et al. Socioeconomic, Psychosocial, and Behavioral Characteristics of Patients Hospitalized with Cardiovascular Disease. The american Journal of the Medical Sciences, 2017.

DURHAM, W. H. Coevolution: Genes, Culture and Human Diversity. Stanford, CA: Stanford Univ. Press, 1991.

FARIA, T. K. de., BARBOSA, G. C., MÁRMORA, C. H. C. Novos Paradigmas de Desenvolvimento do Adulto. In: ARAUJO, R. C., JÚNIOR, J. D. de P. (orgs). Conceitos Aplicados em Psicologia. 1ª ed. Rio de Janeiro:Autografia, 2018.

FONSECA, A. C. C., SCORALICK, F., SILVA, C. L., BERTOLINO, A., PALMA, D., PIAZZOLLA, L. Perfil epidemiológico de idosos e fatores determinantes para a admissão em instituições de longa permanência do Distrito Federal. Brasília Méd. v. 48, n. 4, p. 366-71, 2011.

FREIRE, J. C. G., NÓBREGA,I. R. A. P. DA, DUTRA, M. C., SILVA, L. M. DA, DUARTE, H. A. (2017). Fatores associados à fragilidade em idosos hospitalizados: uma revisão integrativa. Saúde e debate, v. 41, n. 115, 2017.

GBD. GBD 2013 Mortality and Causesof Death Collaborators. Global, regional, and national age-sex specifc all-cause and cause-specifc mortality for 240 causes of death, 1990-2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013. Lancet., v. 385, n. 9963, 117-71, 2014.

GIACOMIN, K. C. ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E OS DESAFIOS PARA AS POLÍTICAS PÚBLICAS. IN: M. V., BERNIZIS, M. C., BORGES. Políticas Públicas para um país que envelhece (17-44). São Paulo: Ed. Martinari, 2012.

GONÇALVES, T. R., PAWLOWSKI, J., BANDEIRA, D. R., PICCININI, C. A. Avaliação de apoio social em estudos brasileiros: aspectos conceituais e instrumentos. Ciência e Saúde Coletiva, v. 16, n. 3, p. 1755-1769, 2011.

GUEDES, M. B. O. G et al. Apoio social e o cuidado integral à saúde do idoso. Physis: Revista de saúde coletiva, v. 27, p. 1185-1204, 2017.

HOEFELMANN, C. P., BENEDETTI, T. R. B., ANTES, D. L., LOPES, M. A., MAZO, G. Z., KORN, S. Aptidão funcional de mulheres idosas ativas com 80 anos ou mais. Motriz: Revista de Educação Física. p. 19-25. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, 2017. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

LIMA, E.E.C., QUEIROZ, B.L. (2014). Evolution of the deaths registry system in Brazil: associations with changes in the mortality profle, under-registration of death counts, and ill-defned causes of death. Cad Saude Publica, v. 30, n. 8, p. 1721-30, 2014.

LINI, E. V., PORTELLA, M. R., DORING, M. Fatores associados à institucionalização de idosos: estudo caso-controle. Rev. Bras. Geriatr. Gerontal, v. 19, n. 6, p. 1004-1014, 2016.

LOURENÇO, R. A., DELGADO, F. E. F., ATALAIA, K., BANHATO, E., MARMORA, C. H. C., & GUEDES, D. V. Prevalência e fatores associados à fragilidade em uma amostra de idosos que vivem na comunidade da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil: estudo FIBRA-JF. Ciência e Saúde Coletiva, 2019.

MIRANDA, G. M. D., MENDES, A. DA C. G., SILVA, A. L. A. da. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol, v. 19, n. 3, p. 507-519, 2016.

MORAES, E. N. de. Princípios Básicos de Geriatria e Gerontologia. Belo Horizonte: Editora Coopmed, 2009.

MORAES, M. P.; COSTA, M. A. Condições de Funcionamento e Infraestrutura das Instituições de Longa Permanência para Idosos no Brasil. In: M. P., Morais, M. A., Costa (Orgs.), Infraestrutura social e urbana no Brasil: subsídios para uma agenda de pesquisa e formulação de políticas públicas. Brasília: Ipea, 2010.

MOREIRA, V. G., LOURENÇO, R. A. Prevalence and factors associated with frailty in na older population from the city of Rio de Janeiro, Brazil: the FIBRA-RJ Study. (2013). Clinical Science, v. 68, n. 7, p. 979-985, 2013.

MOREIRA, V. G. Massa muscular. força e desempenho funcional em idosos clientes de uma operadora de saúde, que vivem na zona norte da cidade do Rio de Janeiro: um estudo sobre sarcopenia e sua associação com fatores sociodemográficos, funcionalidade, comorbidades e mortalidade. 128 f. Tese (Doutorado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2017.

NERI, A. L. O legado de Paul B. Baltes à psicologia do desenvolvimento e do envelhecimento. Temas em Psicologia, v. 14, n. 1, p. 17-34, 2006.

NERI, A. L. Conceitos e Teorias sobre o Envelhecimento. In L. F., Malloy-Diniz, D. Fuentes & R. M., Consenza (Orgs.). Neuropsicologia do Envelhecimento: uma abordagem multidimensional. São Paulo: Artmed, 2013.

NETO, J. A. C., SIRIMARCO, M. T., CÂNDIDO, T. C., BARBOZA, D. F., GONÇALVES, E. C. Q., & GONÇALVES, R. T. Perfil epidemiológico dos idosos institucionalizados em Juiz de Fora. HU Revista, v. 37, n. 2, p. 207-216, 2011.

NUNES A. O envelhecimento populacional e as despesas do sistema único de Saúde. In:

A, Camarano (editor). Os novos idosos brasileiros: muito além dos 60? p. 427-49. Rio de Janeiro: IPEA.

OLIVEIRA, M. P. F., NOVAES, M. R. C. G. Perfil socioeconômico, epidemiológico e farmacoterapêutico de idosos institucionalizados de Brasília, Brasil. Cien Saude Colet, v. 18, n. 4, p.1069-1078, 2013.

OLIVEIRA, L. P. DE. Mortalidade e Fatores Prognósticos em Idosos Residentes em Instituições de Longa Permanência. (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências da Saúde. Natal, RN, Brasil, 2016.

PEREZ, M. A População Idosa e o Uso de Serviços de Saúde. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, p. 30-37, 2008. Disponível em: . Acesso em: 31 jul. 2018.

PEREZ, M. Probabilidade de internações repetidas: estudo de validação preditiva de um instrumento de rastreamento de fragilidade em idosos. 122 f. Tese (Doutorado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2017.

PEREZ, M., LOURENÇO, R. A. Rede FIBRA-RJ: fragilidade e risco de hospitalização em idosos da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, v. 29, n. 7, p. 1381-1391, 2013.

PERLINI, N.M.O., LEITE, M.T., FURINI, A.C. Em busca de uma instituição para a pessoa idosa morar: motivos apontados por familiares. Rev Esc Enferm USP, v. 41, n. 2, p. 229-36, 2007.

PIMOUGUET C., RIZZUTO, D., LAGERGREN, M., FRATIGLIONI, L., XU,W. Living alone and unplanned hospitalizations among older adults: a population-based longitudinal study. The European Journal of Public Health 27 (2), 251-256, 2017.

PIMOUGUET, C., RIZZUTO, D., SCHÖN, P., SHAKERSAIN, B., ANGLEMAN, S., LAGERGREN, M., FRATIGLIONI, L., XU, W. Impact of living alone on institucionalization and mortality: a population-based longitudinal study. The European Journal of Public Health, v.26, n. 1, p.182-187, 2015.

PINHEIRO, N. C. G., HOLANDA, V. C. D., MELO, L. A. de., MEDEIROS A. K. B. de., LIMA, K. C. de. Desigualdade no perfil dos idosos institucionalizados na cidade de Natal, Brasil. Ciência e Saúde Coletiva, v. 21, n. 11, p. 3399-3405, 2016.

RIBEIRO, J. L. P., PONTE, A. C. S. L. C. Propriedades métricas da versão portuguesa da

escala de suporte social do MOS (MOS Social Support Survey) com idosos. Psicologia, Saúde e Doenças, v. 10, n. 2, p. 163-174, 2009.

ROCKWOOD, K., MITNITSKI, A. Frailty defined by deficit accumulation and geriatric medicine defined by frailty. Clin Geriatr Med., v. 27, p. 17–26, 2011.

ROWE, J. W., KAHN, R. L. Successful aging 2.0: conceptual expansions for the 21st century. Journals of Gerontology, Series B: Psychological Sciences and Social Sciences, v.70 ,n. 4, 593-596, 2015.

RÖNNEIKKÖ, J. K., MÄKELÄ, M., JÄMSEN, E. R.., HUHTALA, H., FINNE-SOVERI, H., NORO, A., & VALVANNE, J. N. Predictors for Unplanned Hospitalization of New Home Care Clients. Journal of the American Geriatrics Society, v. 65, n. 2, 407–14, 2017.

ROSA, L. H. T. da, ROSSATO, D. D., BOMBARDELLI, C. L., STURMER, G., ROSA, P. V. da. Estudo da mortalidade em população idosa de municípios do Rio Grande do Sul no período de 1996 a 2004. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. v. 13, n. 1, p. 111-119, 2010.

SCHMIDT, M.I., DUNCAN, B.B., AZEVEDO E SILVA, G., MENEZES, A., MONTEIRO, C.A., BARRETO, S.M., et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet., v. 377, n. 9781, p. 1949-61, 2011.

SIMÕES, C. C. da S. Relações entre as alterações históricas na dinâmica demográfica brasileira e os impactos decorrentes do processo de envelhecimento da população. Rio de Janeiro: IBGE, Coordenação de População e Indicadores sociais, 2016.

SIMÕES, E.J., et al. A priority health index identifes the top six priority risk and related factors for non-communicable diseases in Brazilian cities. BMC Public Health., v. 15, n. 443, 2015.

SOUSA, F. de J. D. de., GONÇALVES, L. H. T., PASKULIN, L. G. M., GAMBA, M. A. Perfil sociodemográfico e suporte social de idosos na atenção primária. Rev enferm UFPE on line, v. 12, n. 4, p. 824-31, 2018.

SOUSA, F. de J. D. de., GONÇALVES, L. H. T., PASKULIN, L. G. M., GAMBA, M. A. Perfil sociodemográfico e suporte social de idosos na atenção primária. Rev enferm UFPE on line, v.12, n. 4, p. 824-31, 2018.

SOUSA, C. M. S., COELHO, J. L. G., SANTANA, W. J., LUNA, C. A., BRITO, A. R. O., SOUSA, A. A. S., SOUZA, F. J. M., ALVES, J. B., LUZ, D. C. R. P. Qualidade devida dos idosos que participam das atividades realizadas no centro de referência de assistência social (CRAS). Brazilian Journal of Development, v.6, n.10,p. 74715-74724, oct. 2020.

STHAL, H. C., BERTI, H. W., PALHARES, V. de C. Grau de dependência de idosos hospitalizados para realização das atividades básicas da vida diária. Texto Contexto Enferm, v. 20, n. 1, p. 59-67, 2011.

VALSINER, J., LAWRENCE, J.A. Human development in culture across the life-span. In J.W. Berry, P.R. Dasen, T.S. Saraswathi (Ed), Handbook of Cross–Cultural Psychology (2:69–106). Boston: Allyn & Bacon, 1997.

VERAS, R. P. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Revista Saúde Pública, v. 43, n. 3, p. 548-54, 2009.

VERAS, R. P., & OLIVEIRA, M. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciênc. Saúde Colet., v. 23, n. 6, 2018.

VIEIRA, R. A. Fragilidade, quedas e autoeficácia em idosos brasileiros: dados da rede FIBRA. 173 f. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, BH, 2013.

VIEIRA, R. A., GUERRA, R. O., GIACOMIN, K. C., VASCONCELOS, K. S. de S., ANDRADE, A. C. de S., ... DIAS, R. C. Prevalência de Fragilidade e Fatores associados em idosos comunitários de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: dados do estudo FIBRA. Cad. Saúde Pública, v. 29, n.8, p. 1631-1643, 2013.

VIEIRA, C. P. DE B., NASCIMENTO, J. DE J. DO., BARROS, S. S., LUZ, M. H. B. A., VALLE, A. R. M. da C. Prevalência referida, fatores de risco e controle da hipertensão arterial em idosos. Cienc Cuid Saúde, v. 15, n. 3, p. 413-420, 2016.

ZAGONEL, A. D., COSTA, A. E. K., PISSAIA, L. F., MORESCHI, C. As percepções sociais frente à implantação de uma Instituição de Longa Permanência para Idosos em um município do Vale do Taquari/RS, Brasil. Scientia Plena, v. 13, n. 2, 2017.

ZENG, A., SONG, X., DONG, J., MITNITSKI, A., LIU J., GUO, Z., ROCKWOOD, K. (2015). Mortality in relation to frailty in patients admitted to a specialized geriatric intensive care unit. J Gerontol A Biol Sci Med Sci, 70, 1586-1594.

WHO. Active Ageing – A Police Framework. A Contribution of the World Health Organization to the second United Nations World Assembly on Aging, 2002. Disponível em: . Acesso em 31 jul. 2018.

WHO. World report on ageing and health., 2015. Disponível em: http://www.who.int/ageing/publications/world-report-2015/en/




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-124

Refbacks

  • There are currently no refbacks.