Avaliação da impressão 3d com matéria prima polycast sp802c para modelos de fundição / 3D print evaluation with polycast sp802c raw material for foundry models

Vitor Costa Colombo, Anderson Daleffe, Jovani Castelan, Daniel Fritzen, Emerson Maximiano Gonsalves, Alexandre Milanez, Fabio Peruch

Abstract


Por consequência da característica abrasiva da areia verde, matéria prima utilizada na moldagem de fundição, moldes e modelos da ferramentaria fundiária sofrem desgaste com o passar do tempo, assim exigindo a substituição dos mesmos. A utilização da impressão 3D no desenvolvimento de protótipos e modelos elaborados proporciona estudar uma forma moderna de evitar imperfeições e desgastes dos modelos. Atualmente os moldes e modelos são comumente fabricados de alumínio e madeira, pela fácil usinabilidade. Porém, como uma alternativa de melhoria, estuda-se a substituição desses materiais com o emprego da matéria prima SP802C (Polymaker), filamento aplicado na impressão 3D. Foi avaliada a resistência ao desgaste abrasivo dos materiais base acima citados para comparar a suas características de durabilidade e custo em relação aos respectivos meios de fabricação. Foram abordadas as variáveis envolvidas em um processo de desgaste, sendo dureza do material abrasivo, rugosidade superficial e abrasão linear. Para os ensaios em laboratório, foram produzidos corpos de prova para cada material, todos submetidos aos ensaios de micro dureza e rugosidade, e submetidos ao teste de abrasão linear por areia seca e roda de borracha, padronizado conforme norma ASTM G65. Após os testes realizados alcançamos resultados satisfatórios em resistência ao desgaste, melhora no acabamento do modelo transferida diretamente aos moldes de areia verde, diminuindo a adesão de areia ao modelo, melhorando a finalização de geometrias complexas, e consequentemente melhorando o nível de rebarbas na peça pronta. Visto que a análise em laboratório obteve resultados satisfatórios, foi implantado um projeto real em uma indústria, com dois modelos analisados, o teste prático se apresentou resistente a esforços e impactos, com boa durabilidade.


Keywords


Desgaste, impressão 3D, modelos, análise, resistência.

References


ARAÙJO, J, N; DROZDA, F, O;. Evaluation of the wear of parts produced by additive manufacture FDM. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 5, n. 12, p. 32099-32110, dec. 2019. ISSN 2525-8761

SCHUBERT, C. et al. Innovations in 3D printing: a 3D overview from optics to organs. Engineer Department, University of Utah. Salt Lake City. Utah. USA. 2013.

PASSINI, A. Estudo de Caso Para o Cálculo dos Sistemas de Alimentação e Enchimento em Moldes de Fundição. Monografia de graduação, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Florianópolis. SC. Brasil. 2005. 69 p.

SILVA, E. M. Os Pilares Tecnológicos da Indústria 4.0. Revista Ferramental, Editora Gravo Ltda., Joinville, SC, Brasil, 2018, pp. 14-16 (julho-agosto).

TAMEGA, F. Fundição e Processos Siderúrgicos. Editora Educacional S.A. Londrina. PR. Brasil. 2017. 200p. ISBN 978-85-8482-818-0

LIMA, V.T. Fundição. Processos Mecânicos e Metalúrgicos de Fabricação, Rio Verde, FESURV – Universidade de Rio Verde. 2007.

BOMBANA, G. A., Assad, N., Coelho, T. M., 2017. Produção de Modelos Impressos em 3D para Fabricação de Moldes de Fundição do Alumínio. Anais do V Simpósio de Engenharia de Produção - SIMEP 2017 - ISSN: 2318-9258

GRELLMANN, D. A. Utilização das tecnologias de estereolitografia e micro fusão para aplicações em prototipagem rápida e ferramental rápido. Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, Florianópolis-SC, Brasil. 2001.

CATÁLOGO: SP802C TECHNICAL DATA SHEET. Polymaker Industrial. New York. USA. Janeiro. 2018. 2p.

ASTM G65-16. Standard Test Method for Measuring Abrasion Using the Dry Sand/Rubber Wheel Apparatus. West Conshohocken. Pennsylvania. 2016.

ASTM G105-16. Standard Test Method for Conducting Wet Sand/Rubber Wheel Abrasion Tests. West Conshohocken, Pennsylvania, 2016.

BALL, A. The mechanisms of wear, and the performance of engineering materials. Vol. 86. n. 1. Ed. J.S. Afr. Inst. Min. Metall. 1986. 1-13p.

STOETERAU, R. L. et al. Tribologia – Apostila de Graduação. Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Departamento de Engenharia Mecância. Florianópolis. SC. Brasil. 2004. p. 110-180.

LEMM, J. D. et al. The influence of surface hardness on the fretting wear of steel pairs - Its role in debris retention in the contact. Tribology International, Vol. 81, 2015. pp 258-266. ISSN: 0301-679X.

HUTCHINGS, Ian M.; SHIPWAY, Phipip. Friction and wear of engineering materials. Ed. 2. Massachusetts: Butterworth–Heinemann. 2017. 412 p. ISBN 9780081009109.

ZUM GAHR, Karl-Heinz. Microstructure and Wear of Materials. 1 ed. Amsterdam: North Holland. 1987. 559 p. ISBN 9780444427540.

STRAFFELINI, Giovanni. Friction and wear methodologies for design and control. Vol. 1. New York: Springer. 2015. 283 p. ISBN 9783319359311.

TSCHIPTSCHIN, A, P. Falhas por Desgaste: Análise de falhas III. Universidade de São Paulo – USP. Disponível em: . Acesso em: 12 de Março de 2019.

ARCHAD, J. F.; Contact and Rubbing of Flat Surface. Journal of Applied Physics. p. 981–988, 1953.

SILVA, Tiago Pinho. Estudo dos efeitos de acumulação de dano por desgaste. Monografia de graduação – Universidade de Coimbra. Coimbra. 2014. 50p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-121

Refbacks

  • There are currently no refbacks.