Problemas socioambientais e dos resíduos sólidos no entorno do lixão do Município de Apodi (RN)/Socio-environmental and solid waste problems around dump Municipality of Apodi (RN)

Iracilda Nazareno de Paiva Medeiros, Anne Katherine Holanda Bezerra Rosado, Roseano Medeiros da Silva, Márcia Regina Farias da Silva, Andréa Celina Ferreira Demartelaere

Abstract


Com o rápido crescimento redundante, a necessidade de cuidar adequadamente da gestão e gerenciamento dos Resíduos Sólidos impõe o dever de estudar seu destino adequado. Dessa forma, definiu-se como objetivo deste estudo verificar os procedimentos da coleta e do tratamento do espaço destinado à deposição final dos resíduos sólidos no município de Apodi (RN). Nesta pesquisa foi adotada a abordagem qualitativa, do tipo descritiva e exploratória. O público alvo foram os moradores da comunidade “Projeto de Assentamento Casulo”, localizado no entorno do lixão e o secretário de meio ambiente da Prefeitura Municipal de Apodi. A pesquisa de campo teve início no período de fevereiro de 2019 e estendeu-se até maio 2019, foram realizadas entrevistadas com um total de dez pessoas. Verificou-se o descontentamento da população que vive no entorno do lixão, que se sentem prejudicados com a proliferação de vetores, pois animais tem acesso ao lixão proliferando doenças pela região, mau cheiro, afetando-os com a intensa fumaça contribuindo para a poluição ar. Ademais, a população almeja a retirada do lixão do local para que assim eles consigam ter uma vida melhor. Percebeu-se a necessidade continua de ações de interferência por parte do poder público e órgãos competentes, pois as práticas desenvolvidas ainda são escassas.  Nesse contexto, foi averiguado a necessidade da construção de um aterro sanitário em outro local, e uma proposta de recuperação ambiental da área onde se localiza o atual depósito de resíduos sólidos.


Keywords


Resíduos sólidos, Descarte inadequado, Meio ambiente.

References


ABRELPE, PANORAMA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL, Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. 2017

Almeida, R. N. de et al. A problemática dos resíduos sólidos urbanos: s/i. Interfaces Cientificas: s/i, Aracaju, 2013; 2(1): 26-27.

Amorim, A, P. et al. Lixão municipal: abordagem de uma problemática ambiental na cidade do Rio Grande – RS. In Ambiente & Educação, 2010; 15(1): 65-66.

Andreoli, C. V. Resíduos Sólidos: origem, classificação e soluções para destinação final adequada, 2012. Disponível em: < https://www.agrinho.com.br/site/wp-content/uploads/2014/09/32_Residuos-solidos.pdf>. Acesso em: 25 de abril de 2019.

Araújo, A, B. “Análise caracterização da dinâmica da foz do rio Apodi, região de Areia Branca/RN, com base na cartografia temática multitemporal de produtos de sensores remotos”. Dissertação de mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal/ RN. 2006.

Araújo, K, K, S; Ribeiro, A, K, S, P. Perspectivas e Desafios para a Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos do Município de Marechal Deodoro – AL. Revista gestão e sustentabilidade ambiental, 2018; 7(4): 718-738.

Azevedo, P. B. de, Leite, J. C. A., Oliveira, W. S. N. de, Silva, F. M. da, Ferreira, P. M. L. Diagnóstico da degradação ambiental na área do lixão de Pombal – PB. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 2015; 10(1,): 20-34.

Boni, V.; Quaresma, S, J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC. 2005; 2(1): 68-80.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Saneamento. Brasília: Funasa, 2006.

BRASIL (2005). Lei Nº 11.107, de 6 de abril de 2005. Estabelece as normas gerais para contratação de consórcios públicos e dá outras providências. Brasília, 2005. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11107.htm>. Acesso em: 23 abril 2019.

BRASIL (2007). Lei Nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Brasília, 2007. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm>. Acesso em: 23 de abril de 2019.

BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Política Nacional do Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em abril de 2018.

BRASIL Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Política nacional de resíduos sólidos. recursos eletrônico. – 2. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2012. 73 p. – (Série legislação; n. 81).

BRASIL. Lei n° 12.305/2010. Conselho Nacional do Ministério Público. Guia de atuação ministerial: encerramento dos lixões e Inclusão social e produtiva de catadoras e catadores de materiais recicláveis / Conselho Nacional do Ministério Público. Brasília: CNMP, 2014.

BRASIL. Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos – 2014. Brasília:

Castro, A. E. M. Papel da educação ambiental na gestão do aterro sanitário de Araranguá/SC. Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - Edição nº 11, 2016; 01.

Costa, A, G; Sales, M, S; Cizenando, T, A, L; Lopes, T, C, S; Macêdo, I, R, C. Impactos Socioambientais Advindos do Lixão Municipal de Assú/RN. Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia – CONTECC’ 2015 15 a 18 de setembro de 2015 - Fortaleza-CE, Brasil.

Costa, B. S.; Ribeiro, J. C. J. Gestão e gerenciamento de resíduos sólidos: direitos e deveres. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2013.

ESTADÃO, 2018. Disponível em: https://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,ainda-o-problema-dos-lixoes,70002548659. Acesso em: 14 de abril de 2019.

G1. globo.com. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/quase-metade-das-cidades-brasileiras-nao-tem-plano-para-residuos-solidos-diz-ibge.ghtml. Acesso em: 14 de abril de 2019.

Gouveia, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Departamento de Medicina Preventiva, Faculdade de Medicina, USP. São Paulo – SP, 2012.

Heerdt, M. L. Metodologia científica e da pesquisa: livro didático / Mauri Luiz Heerdt, Vilson Leonel; design instrucional Luciano Gamez, [Carmen Maria CiprianiPandini]. – 5. ed. rev. e atual. – Palhoça: Unisul Virtual, 2007. 266 p.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2017. Disponível em: . Acesso: em maio de 2018.

Ismael, F. C. M; Leite, C. A; SILVA K. B. Proposta de um Plano de Recuperação para Área do Lixão em Pombal-PB. INTESA, 2013; 7(1): 001-019.

Jacobi, P. R.; Besen, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 25, n. 71, 2011.

Jornal da Câmara. Erradicar os lixões até 2014 é o primeiro desafio. Brasília-DF, novembro de 2011. Disponível em: . Acesso em: 05 de junho de 2019.

Kronemberger, D. M. P. et al. Saneamento e meio ambiente. Atlas de saneamento, 2011. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv53096_cap3.pdf. Acesso em: 17 de abril de 2019.

Lima, K. S. D. Alterações dos Parâmetros Climáticos no Município de Apodi- RN, antes e após a construção da barragem de Santa-Cruz do Apodi, e formação do lago. Mestrado em geografia. Natal- RN, 2007.

Lucena, K. A. M. Problemas ambientais gerados por aterros de resíduos sólidos não controlados: o caso de Ipueira-RN. Monografia. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Caicó – RN. 2016.

Matos, F, O. et al. Impactos Ambientais decorrentes do Aterro Sanitário da Região Metropolitana de Belém-PA: aplicação de ferramentas de melhoria ambiental. Programa de Pós-graduação em Geografia, 2011; 12(39): 297 p.

Marconi, M. A.; Lakatos, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1999.

MCIDADES. SNSA, 2016. Disponível em: . Acesso em: 23 de abril de 2019.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, 2010. Disponível em:https://mp-rn.jusbrasil.com.br/noticias/2182169/prefeitura-de-apodi-deposita-lixo-em-area-irregular. Acesso em: maio 2019.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília, 2012.

Minayo, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 2011.

Mucelin, C. A.; Bellini, M. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & Natureza. jun. 2014. Uberlândia, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sn/v20n1/a08v20n1.pdf. Acesso em: 10 de abril, 2019.

Neves, F. de O.; Mendonça, F. Por uma leitura geográfico-cultural dos resíduos sólidos: reflexões para o debate na Geografia. Cuadernos de Geografía: revista colombiana de geografia, 2016; 25(1): 153-169.

NOSSA CIÊNCIA. Caern esclarece diferença entre saneamento básico e esgotamento sanitário, 2016. Disponível em: https://nossaciencia.com.br/noticias/caern-esclarece-diferenca-entre-saneamento-basico-e-esgotamento-sanitario/. Acesso em: 17 de abril de 2019.

ONU. Assembleia Geral das Nações Unidas. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, 2015. Disponível em: . Acesso em: 13 de maio de 2019.

PEGIRS/RN, Natal/RN, 158p, 2012. Disponível em:< http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/semarh/doc/DOC000000000020200.PDF >. Acesso em: 25 abril de 2019.

Persich, J. C.; Silveira, D. D. Gerenciamento de resíduos sólidos - a importância da educação ambiental no processo de implantação da coleta seletiva de lixo – o caso de ijuí/rs. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, 2011; 4(4): 416 - 426.

Sanches, S. M. et al. Importância da Compostagem para a Educação Ambiental nas Escolas. Química Nova na Escola. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química. n. 23. 2006. p. 10-13.

Santana Júnior, H. E. de. Zoneamento Agroecológico do Município de Apodi/RN. 2010. 151 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal/RN, 2010. Disponível em: . Acesso em: 22 Abr 2019.

Santos, M. C. L; Dias, S, L, F, G. Resíduos sólidos urbanos e seus impactos sócios. São Paulo: IEE-USP, 2012. 82 p.

Santos, T.; Rovaris, N. R. S. Cenário brasileiro da gestão dos resíduos sólidos urbanos e coleta seletiva. Anais do VI SINGEP – São Paulo – SP – Brasil – 13 e 14/11/2017.

SEMARH - Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. Relatório síntese: Plano Estadual de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Rio Grande do Norte –

Silva, J, S. Gestão de Resíduos Sólidos e sua importância para a sustentabilidade urbana no Brasil: uma análise regionalizada baseada em dados do snis. Boletim regional, urbano e ambiental. Brasil. 2015. p. 66.

Silveira, R. M, C; Clementino, M. L. M. Novas Regras, Velhos Entraves: o Desafio da Gestão dos Resíduos Sólidos nos municípios Brasileiros. XVII Enanpur. São Paulo, 2017.

Tavares, F. G. R; Tavares, H. S. P. Resíduos sólidos domiciliares e seus impactos socioambientais na área urbana de Macapá-AP. Trabalho de conclusão de curso (graduação) – Fundação Universidade Federal do Amapá. Macapá-AP, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-115

Refbacks

  • There are currently no refbacks.