Tecnologias aplicadas à educação: investigação da rede de coautoria em mestrados profissionais em Educação /Technologies applied to education: research of the network of co-authorship in professional masters in Education

Cinthya Rocha Tameirão, Diego Pablo Gomes Silva, Luciana Pereira de Assis, Alessandro Vivas Andrade

Abstract


O desenvolvimento do conhecimento científico é influenciado pelos relacionamentos entre instituições e pesquisadores. A observação da estrutura de relações entre pesquisadores em um campo científico permite entender de que forma essa conhecimento é construído e disseminado.  A  análise de redes sociais possibilita examinar o conjunto de relações entre os pesquisadores em um determinado campo ou área de investigação por meio da produção científica compartilhada. O conhecimento da estrutura e da evolução dessa rede pode ser estratégico para os agentes inseridos nesse campo, não somente pesquisadores, mas também as instituições e programas de pesquisa. Neste trabalho, avaliamos a rede de coautoria entre docentes membros de programas de mestrado profissional em educação, especificamente em linhas de pesquisas voltadas às tecnologias de informação aplicadas à educação. A análise da rede de coautoria em publicações de artigos entre os docentes mostrou que a rede é esparsa, com pouca produção conjunta. Essa produção, quando ocorre, limita-se a envolver docentes do mesmo programa. A análise em diferentes momentos no tempo não mostra mudança nos resultados apontados.


Keywords


análise de redes sociais, colaboração acadêmica, pós-graduação, ciência da informação

References


Abbasi, A., Chung, K. S. K., & Hossain, L. (2012). Egocentric analysis of co-authorship network structure, position and performance. Information Processing and Management, 48(4), 671–679. http://dx.doi.org/10.1016/j.ipm.2011.09.001.

Ahuja, G., Soda, G., & Zaheer, A. (2012). The Genesys and Dynamics of Organizational Networks. Organization Science, 23(2),434–448. http://dx.doi.org/10.1287/orsc.1110.0695

Andersen, K. V. (2013). The problem of embeddedness revisited: Collaboration and market types. Research Policy, 42(1), 139–148.

Andre, M., & Princepe, L. (2017). O lugar da pesquisa no Mestrado Profissional em Educação.

Autran M. D. M. M., Borges, M. M., & Mena-Chalco, J. P. (2015). A coautoria acadêmica interprogramas da pós-graduação em Ciência da Informação: uma análise baseada em métricas em grafos. XVI Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (XVI ENANCIB). João Pessoa.

Bassani, F. M., Souza, A. R. L., Behr, A., & Farias, E. S. (2019). Análise da produção científica dos docentes de programas de pós-graduação em contabilidade do brasil com temas relacionados a área de custos. Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Custos.

Baum, J. A. C., McEvily, B., & Rowley, T. J. (2012). Better with age? Tie Longevity and the Performance Implications of Bridging. Organization Science, 23(2), 529–546.

Brass, D. J., Galaskiewicz, J., Greve, H. R., & Tsai, W. (2004). Taking stock of networks and organizations: A multilevel perspective. Academy of Management Journal, 47(6), 795–817.

Burt Ronald, S. (1992). Structural holes: the social structure of competition. Boston, MA.

Buskens, V., & van de Rijt, A. (2008). Dynamics of Networks if Everyone Strives for Structural Holes. American Journal of Sociology, 114(2),371–407. https://doi.org/10.1086/590674

CAPES. (2018). CAPES - Sucupira: Coleta de Dados, Programas de Pós-Graduação stricto sensu no Brasil 2013 a 2016.

Coleman, J. S. (1988). Social Capital in the Creation of Human Capital. American Journal of Sociology, 94, S95–S120.

Csardi, G., & Nepusz, T. (2006). igraph - The network analysis package.

Dahlander, L., & Mcfarland, D. A. (2013). Ties that last: Tie formation and persistence in research collaborations over time. Administrative Science Quarterly, 58(1), 69–110. https://doi.org/10.1177/0001839212474272

Dias, P. M., Dias, T. M. R., Oliveira, J. F., Oliveira, R. P. S., & Moita, G. F. (2017) Analysis of the evolution of institutional scientific collaborations of post-graduate teachers between the years of 2012 to 2015. 2th Iberian Conference on Information Systems and Technologies (CISTI). IEEE. p. 1-6. https://doi.org/10.23919/CISTI.2017.7975717

Fischbach, K., Putzke, J. & Schoder, D. (2011). Co-authorship networks in electronic markets research. Electron Markets 21(1), 19–40. https://doi.org/10.1007/s12525-011-0051-5

Fischer, T. (2005). Mestrado profissional como prática acadêmica. RBPG. Revista Brasileira de Pós-Graduação, 2(4). https://doi.org/10.21713/2358-2332.2005.v2.74.

Galaskiewicz, J. (2007). Has a Network Theory of Organizational Behaviour Lived Up to its Promises? Management and Organization Review, 3(1),1–18. https://doi.org/10.1111/j.1740-8784.2007.00057.x.

Gomes, C. H. P. (2017). Redes Sociais de Coautoria Científica: reflexões sobre inovação na docência da Educação Superior (9). Universidade Federal de Pernambuco.

Grácio, M.C.C. (2018). Colaboração científica: indicadores relacionais de coautoria. Brazilian Journal of Information Science: research trends, 12(2).

Granovetter, M. (1973). The strength of weak Ties. American Journal of Sociology, 78(6), 1360–1380.

Granovetter, M. (1983). The Strenght of Weak Ties: A Network Theory Revisited. 1, 1–34.

Granovetter, M. (2007). Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE electrônica, 6(1). https://doi.org/10.1590/S1676-56482007000100006.

Hayashi, M. C. P., Hayashi, C. R., & Lima, M. Y. (2008). Análise de redes de co-autoria na produção científica em educação especial. 51,84–103.

Heinze, T., Heidler, R., Heiberger, R.H., & Riebling, J. (2013). New patterns of scientific growth: How research expanded after the invention of scanning tunneling microscopy and the discovery of Buckminsterfullerenes. Journal of the American Society for Information Science and Technology, 64(4), 829-843. doi:10.1002/asi.22760

Inc RSTUDIO. RStudio. Retrieved December 8, 2019, Disponível em: https://rstudio.com/

Kilduff, M., Tsai, W., & Hanke, R. (2006). A Paradigm too far? A Dynamic Stability Reconsideration of the Social Network Research Program. Academy of Management Review, 31(4),1031–1048.

Kuhn, T. (1970). The structure of scientific revolutions, p. 31-65.

Lungeanu, A., & Contractor, N. S. (2015). The Effects of Diversity and Network Ties on Innovations: The Emergence of a New Scientific Field. American Behavioral Scientist, 59(5), 548–564.

Maia, L.F.M.P., Lenzi, M., Rabelo, E.T., & Oliveira, J. (2019). Colaborações científicas em Zika: identificação dos principais grupos e pesquisadores através da análise de redes sociais. Cadernos de Saúde Pública, 35(3),e00220217, Epub. https://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00220217

Mcevily, B., Jaffee, J., & Tortoriello, M. (2012). Not All Bridging Ties Are Equal: Network Imprinting and Firm Growth in the Nashville Legal Industry , 1933 – 1978. Organization Science, 23(2), 547–563. http://dx.doi.org/10.1287/orsc.1100.0633

Mizruchi, M. S. (2006). Análise de redes sociais: avanços recentes e controvérsias atuais. Revista de Administração de Empresas, 46(3), 72-86.

Muller, E., & Peres, R. (2019). The effect of social networks structure on innovation performance: A review and directions for research. International Journal of Research in Marketing, 36(1), 3–19. https://doi.org/10.1016/j.ijresmar.2018.05.003

Negret, F. (2009). A Identidade e a Importância dos Mestrados Profissionais no Brasil e Algumas Considerações para a sua Avaliaç̃o. Meta: Avaliação, 1(2), 141–149.

Oliveira, W.A. (2017). Colaboração Científica nos programas de Pós-Graduação em Educação: Uma análise de redes de coautoria. Universidade Federal de São Carlos.

Pauli, J., Basso, K., Gobi, R. L., & Bilhar, A. (2019). O Efeito da Densidade da Rede de Coautoria no Desempenho dos Programas de Pós-graduação. BBR. Brazilian Business Review, 16(6), 576-588. https://doi.org/10.15728/bbr.2019.16.6.3

Popper, K. (2014) Conjectures and refutations: The growth of scientific knowledge. Routledge.

Rossoni, L., Hocayen-Da-Silva, A. J., & Ferreira Júnior, I. (2008). Aspectos estruturais da cooperação entre pesquisadores no campo de administração pública e gestão social: análise das redes entre instituições no Brasil. Revista de Administração Pública, 42(6),1041–1067. https://doi.org/10.1590/s0034-76122008000600002.

Silva, A. B. D. O. E., Matheus, R. F., Parreiras, F. S., & Parreiras, T. A. S. (2006). Análise de redes sociais como metodologia de apoio para a discussão da interdisciplinaridade na ciência da informação. Ciência Da Informação, 35(1), 72–93. https://doi.org/10.1590/S0100-19652006000100009

Silva, E.E., Leão, N.C.A., Kawai, R.M., Farina, M.C. (2020). Disseminação de informações em redes sociais superpostas: análise de consistência das relações de trabalho em uma empresa metalúrgica da região metropolitana da cidade de São Paulo. Brazilian Journal of Development. 6(6), 36131-36156. DOI:10.34117/bjdv6n6-236

Silveira, F. L. (1996). A metodologia dos programas de pesquisa: a epistemologia de Imre Lakatos. Caderno catarinense de ensino de física. Florianópolis. 13(3),219-230.

Sombra, T.R., Santini, R.M., Morais, E.C., Couto, W.O., Zissou, A.J., Campos, P.S.S., Almeida, J.F.S., Chase, O.A. (2020). Redes socias científicas e inteligência artificial – Uma revisão sistemática aplicada a reconhecimento de padrões. Brazilian Journal of Development. 6(3), 941-995. DOI:10.34117/bjdv6n3-030

Sorenson, O., & Waguespack, D. M. (2006). Social Structure and exchange: Self-confirming Dynamics in Hollywood. Administrative Science Quartely, 51,560–589. https://doi.org/https://doi.org/10.2189%2Fasqu.51.4.560

Tameirão, C. R. (2018). Ligação Preferencial na Rede de Produção de Cinema no Brasil, 1995-2013. III, 224–234.

Tomaél, M. I., Alcará, A. R., & Di Chiara, I. G. (2005). Das redes sociais à inovação. 93–104.

UNESCO. (2014). Tecnologias para a transformação da educação: experiências de sucesso e expectativas.

Vanz, S. A. S., & Stumpf, I. R. C. (2010) Colaboração científica: revisão teórico-conceitual. Perspectivas em Ciência da Informação, 15(2),42-55.

Walter, S. A., Cruz, A. P. C. , Espejo, M. M. S. B., & Gassner, F. P. (2009). Uma Análise Da Evolução Do Campo De Ensino E Pesquisa Em Contabilidade Sob a Perspectiva De Redes. Revista Universo Contábil, 5(4),76–93. https://doi.org/10.4270/ruc.2009432

Wasserman, S., & Galaskiewicz, J. (1994). Advances in social network analysis: Research in the social and behavioral sciences. Sage.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-104

Refbacks

  • There are currently no refbacks.