Práticas de cuidado da equipe da estratégia saúde da família / Family health strategy team care practices

John Vinícius Oliveira da Silva, Victor Fernando Matos de Almeida, Francisco Alves Lima Junior, Karla Vanessa Morais Lima, Adriano Figueredo Neves, Priscila Gonçalves Jacinto Figueredo, Dhonnel Oliveira da Silva, Paula Cristina de Sousa Vieira

Abstract


Este estudo visa abordar as práticas de cuidado da equipe da estratégia Saúde da Família e tem como objetivo geral conhecer a influência dessas práticas de cuidado e suas consequências na comunidade em que ela está inserida. Objetiva-se, também, expor práticas de cuidado da estratégia Saúde da Família; apresentar a composição da equipe para o desenvolvimento dessa estratégia e conhecer o funcionamento dessa estratégia. Como metodologia utilizou-se uma pesquisa bibliográfica mediante uma abordagem qualitativa. Com base nos dados apresentados nesta pesquisa, foram suscitadas a reflexão acerca de enfermeiros e de ACS na visita domiciliar, além de possibilitar sua descrição. Questões como o planejamento, dificuldades na visita domiciliar e o contato entre enfermeiros e ACS foram pontos importantes discutidos. Percebe-se, como o estudo realizado, que a atuação da equipe da estratégia Saúde da Família na comunidade é uma ferramenta eficaz na diminuição e prevenção de doenças comumente encontradas. A familiarização dos ACS com os indivíduos das famílias visitadas torna o trabalho a ser realizado mais efetivo no que se propõe.


Keywords


Enfermeiro, Saúde, Trabalhador, Atuação

References


ANENT – Associação Nacional de Enfermagem do Trabalho. (2015). Disponível em: . Acesso em 10 out. 2019.

BELLUSCI, S. M. Doenças Profissionais ou do Trabalho. – 11. ed – São Paulo: Senac, 2010.

CASTILHO, K. F.; OLIVEIRA, D. L. T.; BRASILEIRO, M. E. Riscos ocupacionais no Brasil no período de 2005 a 2009: Uma revisão. Rev. Eletr de Enfer. Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição. Goiás, n. 1, v.1, p.1-17, jan-jul. 2010. Disponível em: < http://www.cpgls.ucg.br/ArquivosUpload/1/File/V%20MOSTRA%20DE%20PRODUO

%20CIENTIFICA/SAUDE/28-.pdf>. Acesso em: 10 out. 2019.

ELIAS M. A.; NAVARRO V. L. A relação entre o trabalho, a saúde e as condições de vida: negatividade e positividade no trabalho das profissionais de enfermagem de um hospital escola. Rev Latino-am Enfermagem. São Paulo, 2006, julho-agosto. Disponível em: . Acesso em 10 out. 2019.

JACQUES, M. da G. O nexo causal em saúde/doença mental no trabalho: uma demanda para a psicologia. Rev. Psicol Soc. Belo Horizonte, v.19, n.1, p. 112-119, 2007. Disponível em: Acesso em: 15 out. 2019.

LIMA, F. H. A. Biossegurança no uso de Cabine de Segurança Biológica no manuseio de substâncias químicas, drogas e radioisótopos. Rio de Janeiro: Fiocruz. 1998.

GARCIA, G. F. B. Legislação de Segurança e Medicina do Trabalho. São Paulo: Método, 2007.

MANTOVANI, M. de F.; LACERDA, M. R.; ULBRICH, E.; BANDEIRA, J. M.; GAIO, D. M. Panorama da produção do conhecimento em enfermagem na saúde do trabalhador: impacto e perspectivas. Rev. Bras Enferm. Brasilia, v.62, n.5, p.784-788, set-out. 2009. Disponível em:. Acesso em: 17 out. 2019.

MONTEIRO, M. S.; SANTOS; dos E. V.; KAWAKAMI, L. S., WADA, M. O ensino de vigilância à saúde do trabalhador no Curso de Enfermagem. Rev Esc Enferm USP. São Paulo, v.41, n.2, p. 306-310, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2019.

MORAES, M. V. G. Enfermagem do Trabalho: programas, procedimentos e técnicas. 3 ed. revisada, São Paulo: Iátria, 2010.

PINTO, A. L. T., WINDT, M. C. V. S., CÉSPEDES, L. Segurança e Medicina do Trabalho. – 5. ed. – São Paulo: Saraiva, 2010.

REINERT, M.; BULGACOV, S. Mudança organizacional e estresse ocupacional. Foz do Iguaçu, ENANPAD, 1999, Resumo dos Trabalhos. Disponível em: < http://www.medtrab.ufpr.br/arquivos%20para%20download/saude_mental/MUDAN%C7A%20ORGANIZACIONAL%20E%20ESTRESSE%20OCUPACIONAL1.pdf>. Acesso em: 23 out. 2019.

SILVA, G. B. Enfermagem profissional: análise crítica. 2ª Ed; São Paulo: Cortez, 1989.

SILVA, L. A. da; SECCO, I. A. de O.; DALRI, R. de C. de M. B. Enfermagem do trabalho e ergonomia: prevenção de agravos à saúde. Rev. enferm. UERJ. Rio de Janeiro, v.19, n, 2, p.317-323, abr-jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2019.

SILVEIRA, D. T. Consulta-Ação: educação e reflexão nas intervenções de enfermagem no processo trabalho- saúde- adoecimento. 1997. 132 f. Dissertação (Mestrado Expandido em Assistência de Enfermagem) – Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFSC/UFRGS, Porto Alegre, 1997. Disponível em:< http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/13296/000158266.pdf?sequence=1>. Acesso em: 15 nov. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-095

Refbacks

  • There are currently no refbacks.