Efeitos de diferentes concentrações de nitrato de Amônio e Nitrato de potássio na micropropagação de Physalis angulata L. / Effects of Different concentrations of Ammonium nitrate and potassium nitrate on the micropropagation of Physalis angulata L.

Osmar Alves Lameira, Simone de Miranda Rodrigues, Isis Naryelle Goés Souza, Meiciane Ferreira Campelo, Ruanny Karen Vidal Pantoja Portal Moreira, Ana Caroline Batista da Silva, Mila Cristine Almeida dos Santos, Allan Christiam Santos Ramires

Abstract


O camapú (Physalis angulata L.) pertence à família Solanaceae, encontra-se distribuída em regiões tropicais e temperada do mundo. Tem se destacado no mercado agroindustrial e apresenta grande potencial farmacológico. A propagação in vitro é de fundamental importância para a conservação de espécies cujas propriedades medicinais são forte alvo de pesquisa. O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito das diferentes concentrações do composto mineral nitrato de amônio e nitrato de potássio na micropropagação de Physalis angulata L. visando à redução de custos do meio de cultura MS. O experimento continha cinco tratamentos meio de cultura sólido MS completo, MS + ½ NH4NO3, MS + ½ KNO3, MS + ¼ NH4NO3 e MS + ¼ KNO3. Cada tratamento era composto por quatro repetições com dois frascos, e cada frasco contendo 30 mL de meios de cultura com três explantes. As avaliações ocorreram após 30 dias da inoculação para as variáveis, número de brotações, número de raízes, comprimento do maior broto e da maior raiz, além do peso médio de massa fresca e massa seca do matéria vegetal. Não ocorreu diferença significativa para número de brotos e de raízes, e para peso de massa seca. Para comprimento do maior broto, comprimento da maior raiz e peso da massa fresca, os meios de cultura MS completo, MS + ½ NH4NO3 e ½ KNO3 foram os mais significativos, respectivamente.


Keywords


propagação in vitro, cultura de tecido, plantas medicinais.

References


AM, M.; NIDAVANI, R. B. Physalis Angulata L.: An Ethanopharmacological Review. IndoAmerican J Pharm Res, v. 4, n. 03, p. 1479–1486, 2014.

BRITANNICA, E. Solanaceae: plant family.The Editors of Encyclopaedia Britannica, , 2015. (Nota técnica).

CAPALDI, F. R. Avaliação de diferentes fontes de nitrogênio em explantes de Cryptomeria japonica D. DON. “Elegans” cultivados in vitro: análises bioquímicas e relações entre reguladores vegetais. 2002. 65 f. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba.

DE SOUZA, H. C.. Estudo Biotecnológico de plântulas de Physalis angulata Linn. cultivadas in vitro numa abordagem de investigação química e biológica. 2018. 111 f. Tese (Doutorado em Biotecnologia e Biodiversidade)- Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

FERREIRA, D.F. Sisvar: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.35, n.6, p.1039-1042, nov./dez. 2011.

FENG, S., JIANG, M., SHI, Y., JIAO, K., SHEN, C., LU, J., & WANG, H. Application of the Ribosomal DNA ITS2 Region of Physalis ( Solanaceae ): DNA Barcoding and Phylogenetic Study. Frontiers in Plant Science, v. 7, n. July, p. 1–11, 2016.

FREITAS, T. A.; OSUNA, J. T. A.; RODRIGUES, A. C. Cultivation of Physalis angulata L. and Anadenanthera colubrina [(Vell.) Brenan] species of the Brazilian semi-arid. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 8, n. esp, p. 201-204, 2006.

KINDSCHER, K., LONG, Q., CORBETT, S., BOSNAK, K., LORING, H., COHEN, M., & TIMMERMANN, B. N. The Ethnobotany and Ethnopharmacology of Wild Tomatillos, Physalis longifolia Nutt., and Related Physalis Species: A Review. Economic Botany, v. 66, n. 3, p. 298–310, 5 set. 2012.

HARTMANN, H. T.; KESTER, D. E.; DAVIS JUNIOR, F. T.; GENEVE, R. L. Plant propagation: principles and practices. 7. ed. New York: Englewood Clipps, 2002. 880 p.

JUALANG AZLAN, G., MARZIAH, M., RADZALI, M., & JOHARI, R. Accumulation of Physalin in Cells and Tissues of Physalis minima L. Acta Horti, v. 2, n. 676, p. 53–59, 2005.

MEDINA-MEDRANO, J. R., ALMARAZ-ABARCA, N., GONZÁLEZ-ELIZONDO, M. S., URIBE-SOTO, J. N., GONZÁLEZ-VALDEZ, L. S., & HERRERA-ARRIETA, Y. Phenolic constituents and antioxidant properties of five wild species of Physalis (Solanaceae). Botanical Studies, v. 56, n. 1, p. 24–37, 18 dez. 2015.

MURASHIGE, T.; SKOOG, F. A revised medium for rapid growth and bioassays whith tobacco tissue cultures. Physiologia Plantarum, v. 15, n. 3, p. 473-497, July 1962.

LORENZI, H. Plantas daninhas do Brasil. Nova Odessa, São Paulo, Brasil, 1982. 372p.

RAMADAN, M. F. Bioactive phytochemicals, nutritional value, and functional properties of cape gooseberry (Physalis peruviana): An overview. Food Research International, v. 44, n. 7, p. 1830– 1836, 2011.

RIBEIRO, J.M.; TEIXEIRA, S. Substituição de nitrato de potássio (PA) por salitre potássico no preparo de meio de cultura de tecidos vegetais esterilizado com hipoclorito de sódio. Ciência e Agrotecnologia, v.32, n.4, p.1209-1213, 2008.

SILVA, A. B.; PIO, R.; RAMOS, J. D.; MENDONÇA, V.; PASQUAL, M.; CALEGARI, M. Influência das fontes de nitrogênio NH4NO3 e KNO3 no desenvolvimento in vitro do porta-enxerto ‘Trifoliata’. Revista Científica Rural, v. 6, n. 2, p. 147-152, 2001.

SCHEIBLE, W.R. et al. Accumulation of nitrate in the shoot acts as signal to regulate shoot-root allocation in tobacco. Plant Journal, v.11, p.671-691, 1997.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 918 p.

TOMASSINI, T. C. B. et al. Gênero Physalis: uma revisão sobre vitaesteróides. Química Nova, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 47-57, 2000.

ZAMORA-TAVARES, P. VARGAS-PONCE, O., SÁNCHEZ-MARTÍNEZ, J., & CABRERA-TOLEDO, D. Diversity and genetic structure of the husk tomato (Physalis philadelphica Lam.) in Western Mexico. Genetic Resources and Crop Evolution, v. 62, n. 1, p. 141– 153, 28 jan. 2015.

ZHANG, W.-N.; TONG, W.-Y. Chemical Constituents and Biological Activities of Plants from the Genus Physalis. Chem. Biodiversity, v. 13, n. 48, p. 4–65, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-067

Refbacks

  • There are currently no refbacks.