Aceitabilidade de bebidas tipo Smoothie de morango e banana preparadas com diferentes concentrações de aveia/Acceptability of strawberry and banana Smoothie drinks prepared with oat different concentrations

Fernando Antônio de Oliveira Camargo, Andrea Silva Oliveira Camargo, Ademir José de Abreu, Eric Batista Ferreira, Eveline Monteiro Cordeiro de Azeredo, Flávia Della Lucia

Abstract


Alguns alimentos apresentam constituintes que podem exercer efeitos benéficos ao organismo. A aveia é um alimento que contém fibras solúveis que contribuem na modulação dos lipídios, além de favorecer o controle glicêmico e o trânsito intestinal. Por sua vez, as frutas também apresentam diversos nutrientes que favorecem a saúde como um todo, especialmente pela concentração de vitaminas, minerais, fibras e componentes bioativos. Esse trabalho visou verificar a aceitabilidade de smoothies elaborados a base de aveia associada ao morango e banana. As formulações com diferentes concentrações de aveia foram submetidas a análise sensorial onde se verificou o grau de aceitabilidade por meio de Escala Hedônica de 9 pontos ANOVA / Tukey e foram ajustados modelos de regressão.  Todas as formulações elaboradas apresentaram uma boa aceitação em todos os atributos avaliados. Nos atributos aroma e sabor não houve diferença estatística entre as médias, porém, nos atributos aparência, textura e impressão global ocorreu variação. As três formulações com menor teor de aveia obtiveram melhores médias pelos provadores. As preparações F2 (0,081 g/mL) e F3 (0,095 g/mL) foram as mais bem aceitas, sendo que até na concentração de 0,095 g/mL de aveia mantêm-se uma melhor aceitabilidade em todos os atributos com o maior benefício possível, contribuindo com uma alimentação saudável. Dentre os componentes dessa formulação, merecem destaque as fibras, sendo que uma porção de 250mL (F3) fornece aproximadamente 10% das necessidades diárias para homens e 15% para mulheres.


Keywords


Avena sativa L, β-glucanas, Fragaria vesca, Musa sp, Aceitabilidade.

References


AFRIN, S. et al. Promising health benefits of the strawberry: a focus on clinical studies. Journal of agricultural and food chemistry, 64(22):4435-4449, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA. Resolução - RDC nº 275 de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União 2002; 23 out.

BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA. Resolução - RDC nº 216 de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Diário Oficial da União 2004; 16 set.

BRENNAN, C. S.; TUDORICA, C. M. Carbohydrate‐based fat replacers in the modification of the rheological, textural and sensory quality of yoghurt: comparative study of the utilisation of barley beta‐glucan, guar gum and inulin. International journal of food science & technology, 43(5):824-833, 2008.

CASTILLEJO, N. et al. Red fresh vegetables smoothies with extended shelf life as an innovative source of health-promoting compounds. Journal of food science and technology, 53(3):1475-1486, 2016.

DALL'ALBA, V.; AZEVEDO, M. J.. Papel das fibras alimentares sobre o controle glicêmico, perfil lipídico e pressão arterial em pacientes com diabetes melito tipo 2. Revista HCPA. Porto Alegre, 30(4):363-371, 2010.

FONSECA, V. V. et al. Emoções associadas a diferentes sabores de iogurte de frutas: estudo com consumidores de distintas classes sociais. Embrapa Agroindústria de Alimentos-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 25.; CIGR SESSION 6 INTERNATIONAL TECHNICAL SYMPOSIUM, 10, 2016, Gramado. Anais... Gramado: SBCTA Regional, 2016. Disponível em: . acesso em 11 nov. 2018.

FUJITA, A. H.; FIGUEROA, M.O.R.. Composição centesimal e teor de b-glucanas em cereais e derivados. Ciência e Tecnologia de Alimentos, 23(2):116-120, 2003.

GUAZI, J. S. Produção de smoothie com polpas de morango e banana desidratadas em leito de espuma. 2016. 99 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia e Ciência de Alimentos, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São José do Rio Preto, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2018.

GUTKOSKI, L. C.; TROMBETTA, C.. Avaliação dos teores de fibra alimentar e de beta-glicanas em cultivares de aveia (Avena sativa L). Food Science and Technology, v. 19, n. 3, p. 387-390, 1999.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: despesas, rendimentos e condições de vida. Rio de Janeiro: IBGE, 2010a.

KOLLING, A; LEHN, D. N;.SOUZA, C. F. V.. Elaboração, caracterização e aceitabilidade de “iogurte” de soja com adição de prebiótico. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, 8(2S):1545-1556, 2014.

KUMAR, K.P.S. et al. Traditional and medicinal uses of banana. Journal of Pharmacognosy and Phytochemistry, 1(3):57-70, 2012.

LIMA, C. B. et al. Consumo de frutas e hortaliças entre vegetarianos frequentadores de Igrejas Adventistas do Sétimo Dia. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde/Brazilian Journal of Health Research, 2014.

MÅRTENSSON, O. et al. Formulation of an oat‐based fermented product and its comparison with yoghurt. Journal of the Science of Food and Agriculture, 81(14):1314-1321, 2001.

NASCIMENTO, F. M. C.; DIAS, N. K. F.; MENDES, G. F.. Estado nutricional e nível de atividade física de vegetarianos e onívoros do Distrito Federal. RBNE-Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, 12(74):740-746, 2018.

NEPA – NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISA EM ALIMENTOS. Tabela brasileira de composição de alimentos – TACO/NEPA – UNICAMP. – 4.ed. revisada e ampliada. –Campinas: UNICAMP, 2011. Disponível em: http://www.nepa.unicamp.br/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf

PADOVANI, Renata Maria et al. Dietary reference intakes: application of tables in nutritional studies. Revista de Nutrição, 19(6):741-760, 2006.

PIZARRO, S.; RONCO, A. M.; GOTTELAND, M.. ß-glucanos:¿ qué tipos existen y cuáles son sus beneficios en la salud?. Revista chilena de nutrición, 41(4):439-446, 2014.

RASANE, P. et al. Nutritional advantages of oats and opportunities for its processing as value added foods-a review. Journal of food science and technology, 52(2):662-675, 2015.

R Core Team (2018). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. Disponivel em: https://www.R-project.org/. Acesso em 15/09/2018

REBELLO, C. J.; O’NEIL, C. E.; GREENWAY, F. L.. Dietary fiber and satiety: the effects of oats on satiety. Nutrition reviews, 74(2):131-147, 2015.

ROSE, D. J. Impact of whole grains on the gut microbiota: the next frontier for oats?. British Journal of Nutrition, 112(S2):S44-S49, 2014.

SLAVIN, Joanne. Fiber and prebiotics: mechanisms and health benefits. Nutrients, 5(4):1417-1435, 2013.

STEINERT, R. E.; RAEDERSTORFF, D.; WOLEVER, T.. Effect of consuming oat bran mixed in water before a meal on glycemic responses in healthy Humans—A pilot study. Nutrients, 8(9):524, 2016.

SONATI, J.G.. A alimentação e a saúde do escolar. In: BOCCALETTO, E. M. A. ; MENDES, R. T. (Orgs). Alimentação, Atividade Física e qualidade de vida dos Escolares do Município de Vinhedo/SP. 1ª ed. Campinas: IPES Editorial, p. 31-38, 2009.

THIES, F. et al. Oats and CVD risk markers: a systematic literature review. British Journal of Nutrition, 112(S2):S19-S30, 2014.

VAGULA, J. M. et al. Desenvolvimento e análise sensorial de esfirra integral com e sem farinha de aveia. Brazilian Journal of Food Research, 8(1):1-15, 2017.

WAN DER MAAS, C. A. et al. Elaboração e análise sensorial de picolé de frutas zero lactose. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 5, p. 28036-28051, 2020.

WOLFE, K. L. et al. Cellular antioxidant activity of common fruits. Journal of agricultural and food chemistry, 56(18):8418-8426, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-033

Refbacks

  • There are currently no refbacks.