Perspectiva da neurociência no transtorno do espectro do autismo – TEA e a formação de professores / Perspective of neuroscience in autism spectrum disorder - TEA and teacher training

Maria Auxilene Venancio Fontenele, Lídia Andrade Lourinho

Abstract


A educação de pessoas com o Transtorno do Espectro do Autismo - TEA tem sido alvo de dúvidas e discussões por parte de educadores e profissionais da saúde no que se refere à inclusão destes indivíduos na escola e sociedade. O objetivo deste estudo foi refletir sobre a importância da Neurociência na Formação do Professor do Atendimento Educacional Especializado – AEE e Sala Comum numa perspectiva Vygotskiana no que diz respeito ao processo de ensino aprendizagem de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Procurou-se mostrar como a Neurociência pode influenciar na formação dos professores que atuam com as crianças com autismo apresentando algumas sugestões de intervenção para estimular as funções cognitivas destes estudantes.  A metodologia adotada foi a pesquisa bibliográfica realizando uma busca nas bases de dados online e nos livros que discutem a temática. Os estudantes com autismo carecem de recursos específicos quer sejam apropriados à sua condição. Portanto, o currículo adotado deve ser funcional natural, significando que a abordagem a ser utilizada nas intervenções, deve ter como fundamento central, desenvolver as habilidades funcionais. Concluiu-se que a educação de pessoas com autismo demanda, antes de tudo, uma nova configuração, um novo planejamento, requerendo investimentos na formação continuado do professor e de todos os agentes que atuam com as crianças autistas. Nesse sentido, o desafio é superar as práticas excludentes e construir práticas inclusivas efetivas.


Keywords


Neurociência, Autismo, Formação de Professores.

References


CUNHA, Eugenio. Autismo e inclusão. Psicopedagogia práticas educativas na escola e na família. 6ª ed. Rio de Janeiro. Wak Ed., 2015.

CAVACO, Nora. Autismo o que precisamos saber: caderno de apoio teórico e prático. Rio de Janeiro: Wak editora, 2020.

GRANDIN, Temple. O cérebro autista. 10ª Ed. Rio de Janeiro: Record, 2019.

DELDUQUE, MARILZA. (org.) A Neurociência na sala de aula. Uma abordagem neurobiológica. Rio de Janeiro: Walk Editora, 2016.

DIAS, Sandra. Asperger é Sua síndrome em 1944 e na atualidade. Rev. latinoam.psicopatol. fundam. , São Paulo, v. 18, n. 2, p. 307-313, junho de 2015. Disponível a partir . Acesso em 22 de julho de 2020. http://dx.doi.org/10.1590/1415-4714.2015v18n2p307.9.

JORGE, R.P.C. et al. Diagnóstico de autismo infantil e suas repercussões nas relações familiares e educacionais. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v. 2, n. 6, p. 5065-5077, 2019. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/4466/5609. Acesso em: 22 set. 2020.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Pesquisa Bibliográfica. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1987.cap. 2, p. 44-79.

LAMEIRA, Allan Pablo; GAWRYSZEWSKI, Luiz de Gonzaga; PEREIRA JR., Antônio. Neurônios espelho. Psicol. USP, São Paulo , v. 17, n. 4, p. 123-133, 2006 . Disponível em . acessos em 22 julho. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65642006000400007.

MAIA. Heber. (org). Neurociências e desenvolvimento cognitivo. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

ORRÚ, Silvia Ester. Aprendizes com Autismo: Aprendizagem por eixos de interesse em espaços não excludentes/Silvia Ester Orrú; prefácio de Maria Teresa Eglér Mantoan. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2016.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

ZANON, Regina Basso; BACKES, Bárbara; BOSA, Cleonice Alves. Identificação dos Primeiros Sintomas do autismo Pelos pais. Psic .: Teor. e Pesq. , Brasília, v. 30, n. 1, p.25-33, março de 2014. Disponível a partir . Acesso em 22 de julho de 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722014000100004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-026

Refbacks

  • There are currently no refbacks.