Acessibilidade de consumo no varejo de vestuário da Cidade de Santa Maria RS / Consumption accessibility in the clothing retail in Santa Maria RS

Lenise David da Silva, Valéria Pinheiro Braccini, Shirley Nara Moreira de Souza

Abstract


Nas últimas décadas pessoas com deficiência alcançaram conquistas sociais que corroboraram para sua inserção no mercado de trabalho e participação na economia do país, no entanto ainda não há uma mobilização completa do setor comercial que garanta a participação integral do consumidor com deficiência no mercado.  A presente pesquisa analisou as ações desenvolvidas pelo varejo de vestuário que permitem contribuir para a autonomia da pessoa com deficiência durante todas as etapas do processo de compra. Utilizou-se a observação sistemática não participante, como metodologia de abordagem, em lojas localizadas em centros comerciais da cidade de Santa Maria/RS. A partir do estudo realizado foi possível perceber a inaptidão por parte dos estabelecimentos ao atender os diferentes tipos de deficiência, contudo observou-se que a deficiência motora é a mais assistida pelas empresas. Mesmo assim, é importante considerar que ainda existe negligência com uma parcela importante de consumidores que para exercer suas atividades sociais precisam a todo o momento contornarem barreiras criadas frente a suas limitações. Fundamentado pelas situações observadas na pesquisa, é possível afirmar que ainda existe uma imaturidade administrativa por parte das empresas ao abster-se da realidade social no que se refere ao cuidado e atenção a pessoa com deficiência.

Keywords


Marketing, pessoas com deficiência, varejo de vestuário, acessibilidade.

References


AMARO, L. E. Da S. et al. Em que posso ajudar? O varejo e os portadores de deficiência visual. III Encontro de Marketing da ANPAD, 2008. p. 1689–1699.

AMIRALIAN, M. LT et al. Conceituando deficiência. Rev. Saúde Pública [online]. 2000, vol.34, n.1, p.97-103.

BARBOSA, O.T. Estímulos táteis no ambiente de varejo: investigando a experiência de consumo de indivíduos com deficiência visual na perspectiva transformativa do consumidor. Dissertação – Universidade Federal de Pernambuco, 2014.

BARRETO; MEDEIROS, O.R.C; PAULA, F.A.V. Podem as pessoas com deficiência consumir? A representação incidental na publicidade e propaganda. Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 21, p. 416-437, 2020.

COSTA, V. B; SHIBUE, D.K.L; FERREIRA, W.A. A. F; RIBEIRO, M.I.P. Planejamento nas instalações físicas com foco às pessoas com deficiência. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 7, p. 47314-47323, 2020.

CRUZ, M. G. A acessibilidade das pessoas com deficiência nos estabelecimentos comerciais da cidade de Guarabira-PB. TCC—[s.l.] IFPB, 2019.

EMERSON, E. Relatório Mundial sobre a Deficiência. [S.l.]: [s.n.], 2012. V. 25.

FARIA, M. D.; VERGARA, S. C.; CARVALHO, J. L. F. D. S. Pesquisas com foco em pessoas com deficiência no campo da Administração: paradigmas e perspectivas epistemológicas. Revista Gestão & Planejamento, v. 15, n. 1, p. 21-39, 2014.

FARIA. M. D. D; SIQUEIRA, R. P.; CARVALHO, J. L. F. D. S. De. Diversidade no Varejo, Pessoas com Deficiências e Consumidores Não Deficientes: Impactos da Acessibilidade e da Inclusão na Intenção de Compra. V EMA – Encontro de Marketing da ANPAD, 2012. p. 1–16.

FREITAS. I. V. F; MELO. F. V. S. Acessibilidade no varejo brasileiro: o que pensa o consumidor deficiente? Revista contribuciones a las ciencias sociales, 2015 n. 30. Disponivel em:

GOUVEIA, F. S. et al. O Marketing e sua Importância para o Varejo. Revista Científica do ITPAC, 2011. v. 4, n. 1, p. 28–39.

KOTLER, P.; KARTAJAYA, H.; SETIAWAN, I. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. [S.l.]: [s.n.], 2012. V. 53.

KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. -12.ed.-São Paulo: Pearson, 2007.

KOTLER, Philip. Administração de marketing: Análise, Planejamento, Implementação e Controle. -5.ed.-São Paulo: Atlas, 2011

Maior, I. M. M. de L. (2017). Movimento político das pessoas com deficiência: reflexões sobre a conquista de direitos. Inclusão Social, 2017. v.10 n.2, p.28-36.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão, diferença e deficiência: sentidos, deslocamentos, proposições. Inclusão Social, v. 10, n. 2, 1 dez. 2017.

MEIRA, P. R.; AMARO, L. E.; ALMEIDA, C. Q. Ouvindo a voz do mercado: o varejo e os clientes portadores de deficiência auditiva. RGO – Revista Gestão Organizacional, 2009. v. 2, n. 1, p. 77–86.

OLIVEIRA, L. M. B. Cartilha do Censo 2010 – Pessoas com Deficiências. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD), 2012. p. 32.

Organização Mundial de Saúde. CIF: Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo: Edusp; 2015.

RICHARDSON, J. A pesquisa qualitativa crítica e válida. In: RICHARDSON, R. J. et al. (Org) Pesquisa Social. 3ª ed. Revista e Ampliada. São Paulo: Atlas, 2012, p. 90 – 103.

SANTOS, S.K.S; TEIXEIRA, L.N.B; KAFURE, I Acessível para quem? uma análise da acessibilidade em sítios institucionais. Brazilian Journal of Development. v. 5, n. 6, p. 4976-4989, 2019.

XAVIER, D.C. S. Acessibilidade em Área Comercial: Um estudo no bairro do Alecrim, Natal/RN. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal 28, de Março de 2014.p.1-125.

YIN, M; OVERTON, D.S.C; SMITH, D. A hidden market: The purchasings Power of Working-age Adulta with Disabilities. American institutos for research. 2018, 1-38.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-693

Refbacks

  • There are currently no refbacks.