As Políticas de desenvolvimento da pesca no Brasil (décadas de 1960 - 1980) e seus efeitos sobre os modos de vida das comunidades de pescadores artesanais / Fisheries Development Policies in Brazil (1960s - 1980s) and their effects on the livelihoods of artisanal fishing communities

Tito Carvalho Tsuji, Camila Andrade dos Santos

Abstract


Presumindo a grande capacidade produtiva de seu litoral, o Brasil experimentou nos anos 1960 a 1980 uma forte intervenção estatal. Políticas de Estado destinavam ações visando o desenvolvimento do setor pesqueiro. As diretrizes do modelo de desenvolvimento adotado pressupunham a incorporação de tecnologia moderna e a industrialização da atividade, com o objetivo claro de aumentar a produção nacional de pescado. Um conjunto de Leis e de programas de governo foram criados para atingir esses objetivos. Na costa Norte do Brasil está localizado uma das maiores e mais importantes áreas de pesca de camarão do mundo, e seu principal recurso, o camarão-rosa (Farfantepenaeus subtilis) foi sistematicamente explorada por uma frota industrial composta de 250 barcos. A produção por essa pescaria alcançou o máximo de 6.435 t no final dos anos 1980, mas, declinou para a quantidade de 2.759 t em 2005, sugerindo uma condição de sobrepesca do recurso. Entretanto, os efeitos não foram sentidos apenas nos estoques de camarão, mas também, nos ecossistemas e nas comunidades de pescadores artesanais existentes no entorno dessas áreas de pesca. Usando uma abordagem etnográfica, este estudo buscou compreender e discutir os efeitos dessas políticas sobre as comunidades pesqueiras. Os relatos demonstram que vários pescadores foram motivados a buscar outros locais de moradia em busca de melhores condições de pesca, uma vez que, os recursos em seus lugares de origem já não estavam disponíveis em níveis que satisfizesse suas necessidades. Estes efeitos, pouco estudadas, mostram os efeitos secundários de uma prática de pesca predatória que ameaça a manutenção dos meios de subsistência de muitas comunidades costeiras.

Keywords


pesca artesanal, pesca industrial, deslocamentos ambientais, meio ambiente e crescimento, avaliação dos efeitos ambientais.

References


Alverson, D.L.; Freeberg, M.H.; Pope, J.G.; Murawski, S.A. A global assessment of fisheries bycatch and discards. FAO Fisheries Technical Paper. No. 339. Rome, FAO. 1994. 233p.

ARAÚJO JUNIOR, E. S.; PINHEIRO JUNIOR, J. R.; CASTRO, A. C. L. 2005. Ictiofauna acompanhante da pesca do camarão-branco Penaeus (Litopenaeus) schmitti Burkenroad (1936) no estuário do Rio Salgado, Alcântara-MA. Boletim do Laboratório Hidrobiologia, São Luís, v. 18, p. 19-24.

CLUCAS, I. A study of the options for utilization of bycatch and discards from marine capture fisheries.FAO Fisheries Circular. No. 928. Rome, FAO. 1997. 59p.

DIAS-NETO, J. & MARRUL-FILHO, S. 2003. Síntese da situação da pesca extrativa marinha no Brasil. IBAMA, Disponível em: consultado em 20 de junho de 2015.

DIAS-NETO, J. 2011. Proposta de Plano Nacional de Gestão para o uso sustentável de Camarões marinhos do Brasil. José Dias Neto, Organizador. Ibama. Brasília.

DIEGUES, A. C. 2004. A Pesca Construindo Sociedades: Leituras em Antropologia Marítima e Pesqueira. NUPAUB – USP. São Paulo.

EMERCIANO, I. A. A. 1981. O camarão na área de Tutóia – Maranhão. SUDAM/UFMA. Belém.

ESCOBAR, Arturo., 1996. La invención del Tercer Mundo: construcción y desconstrucción del desarrollo. Grupo Editorial Norma, Barcelona.

FERGUNSON, J. 1994. The Ecologist, Vol. 24, n° 5, september/october 1994.

FURTADO, C. O. 1974. Mito do Desenvolvimento Econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

GILLETT, R. Global study of shrimp fisheries.FAO. Document technique sur les pêches. N°. 475. Rome, FAO. 2008. 331p

IBAMA, 1994. Camarão Norte e Piramutaba. Coleção meio ambiente. Série estudos – pesca; n° 09. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais - IBAMA. Brasilia.

JOHNSON, K. 2002. A Review of National and International Literature on the Effects of fishing on Benthic Habitats (p. 72). Maryland: US Department of Commerce, National Oceanic and Atmospheric Administration, National Marine Fisheries Service.

ISAAC, V. J.; DIAS-NETO, J.; DAMASCENO, F. G. Camarão-rosa da costa Norte. Biologia, dinâmica e administração pesqueira. Brasília: Ibama, 1992. p. 1-187. (Série Estudos de Pesca, nº 1).

LONERGAN, STEVE. 1998. The Role of Environmental Degradation in Population Displacement. Environmental Change and Security Project Report, Issue 4 (Spring 1998): 5-15.

MYERS, NORMAN. 2002 Environmental refugees: a growing phenomenon of the 21st century. Phil. Trans. R. Soc. Lond. B (2002) 357, 609–613

OECD. 1997. Towards sustainable fisheries: economic aspects of the managment of living marine resources. OECD Paris.

Oliveira, O. M. B. A. D., & Silva, V. L. D. (2012). O Processo de Industrialização do Setor Pesqueiro e a Desestruturação da Pesca Artesanal no Brasil a partir do Código de Pesca de 1967. Sequência (Florianópolis), (65), 329-357.

PAIVA, M. P. 1997. Recursos pesqueiros estuarinos e marinhos do Brasil. EUFC. Fortaleza.

PACÍFICO, A. M. P. A necessidade de criação de um regime ambiental internacional: o caso dos deslocados ambientais. Boletim Meridiano 47 vol. 13, n. 133, set.-out. 2012 [p. 3 a 9]

SCHUHBAUER, A., CHUENPAGDEE, R., CHEUNG, W. W. L., GREER, K., & SUMAILA, U. R. (2017). How subsidies affect the economic viability of small-scale fisheries. Marine Policy, 82, 114–121. https://doi.org/10.1016/j.marpol.2017.05.013

VIOLA, A. R. 2000. La crisis del desarrollismo y el surgimento de la antropologia del deserrollo, en VIOLA, A. R. (comp.) Antropologia del Desarrollo - teorias y estúdios etnográficos em América Latina. Paidós. Barcelona.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-680

Refbacks

  • There are currently no refbacks.