Ecofeminismo: A luta pela liberdade da “Mãe – Terra” / Ecofeminism: The struggle for "Mother Earth's" freedom

Adrieli Laís Antunes Aquino, Daniel Rubens Cenci, Vitor Kinalski de Souza

Abstract


O presente trabalho faz uma análise das diferentes concepções do movimento social ecofeminismo, sua evolução histórica partindo do feminismo na sociedade. Tratando-se como uma teoria da libertação da dominação dos homens sobre as mulheres, que ocorre da mesma forma sobre a natureza, um paralelo acerca da importância social do lugar político das mulheres na sociedade em busca da sustentabilidade ambiental. Identifica também a relevância da participação política e social feminina no ativismo ambiental. Para a realização deste trabalho foram efetuadas pesquisas bibliográficas em livros, sites, internet em geral, de modo a compreender os conceitos e paradigmas que perduram em sociedade sobre o tema. Utilizando os fatos e teorias para revelar a importância do tema, enriquecendo a discussão. Finaliza concluindo que é imprescindível uma ampla consciência ecológica nos cidadãos, esse empoderamento feminino promove essa importante ação, atuando na proteção ao meio ambiente e promovendo a resiliência do mesmo.


Keywords


Mulheres, Emancipação, Sociedade, Vida, Meio Ambiente.

References


ALVES, Branca Moreira; PITANGUY, Jacqueline. O que é Feminismo. Editora Brasiliense, Coleção Primeiros Passos, 1985.

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo 1. Fatos e Mitos. Le Deuxiême Sexe Les Faits et les Mythes. 4ª Edição, Difusão Européia do Livro, 1970.

BONACCHI, Gabriella; GROPPI, Angela. O Dilema da Cidadania: Direitos e Deveres das Mulheres. Editora UNESP, 1994.

BORIS, Georges Daniel Janja Bloc; CESÍDIO, Mirella de Holanda. Mulher, Corpo e Subjetividade: uma análise desde o patriarcado à contemporaneidade. Revista Subjetividades, v. 7, n. 2, 2007. Disponível em: < http://periodicos.unifor.br/rmes/article/view/1594/3576>. Acesso em Setembro de 2018.

COULANGES, Fustel de. A Cidade Antiga. (1830-1889) Título original La Cité Antique - Étude sur Le Culte, Le Droit, Les Institutions de la Grèce et de Rome. Editora das Américas S.A. - EDAMERIS, São Paulo, 1961.

DUBY, Georges; PERROT, Michelle. A História das Mulheres no Ocidente. Storia dele Donne. Edições Afrontamento Ltda. Nº da edição:470, ISBN: 972-36-0314-4, Porto, 1990.

FLORES, Bárbara Nascimento; SALVADOR, Dal Pozzo Trevizan. Ecofeminismo e Comunidade Sustentável. Estudos Feministas, vol. 23, no. 1, 2015, pp. 11–34. Disponível em: < https://www.jstor.org/stable/estufemi.23.1.11?read-now=1&seq=1#page_scan_tab_contents> Acesso em Maio de 2019.

GEBARA, Ivone. Teologia Ecofeminista. Ensaio para Repensar o Conhecimento e a Religião. Editora Olho d’água, 1997.

NIELSSON, Joice Graciele. O liberalismo democrático-igualitário e a justiça feminista: um novo caminho. Tese de Doutorado, UNISINOS, 2016. Disponível em:

. Acesso em Outubro de 2018.

PACHECO, Maria Emília Lisboa. Os caminhos das Mudanças na Construção da Agroecologia Pelas Mulheres. Revista Agriculturas, v. 6, nº4, dezembro de 2009. Disponível em: < http://aspta.org.br/wp-content/uploads/2014/10/Artigo-1-Os-caminhos-das-mudan%C3%A7as- na-constru%C3%A7%C3%A3o-da-Agroecologia-pelas-mulheres.pdf>. Acesso em Maio de 2019.

PISCITELLI, Adriana. Feminismos y Prostitución en Brasil: una lectura a partir de la antropología feminista. Cuad. antropol. soc.,Buenos Aires , n. 36, p. 11-31, dic. 2012. Disponível em: . Acesso em Fevereiro de 2019.

RUETHER, Rosemary Radford. Ecofeminismo: mulheres do primeiro e do terceiro mundo.

Revista Estudos Teológicos, 36(2):129-139, 1996. Disponível em:

. Acesso em Outubro de 2018.

SHIVA, Vandana. Monoculturas da Mente. Editora Gaia Ltda, 2002.

SILIPRANDI, Emma. Mulheres e Agroecologia: transformando o campo, a floresta e as pessoas. Editora UFRJ, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-601

Refbacks

  • There are currently no refbacks.