Impactos do uso e ocupação do solo e do curso d´água no lago Macurany/Impacts of land use and water course on Lake Macurany

Fabiana Rocha Campelo, José Camilo Ramos de Souza, Wescley Tavares Dray

Abstract


A ocupação humana nas margens dos rios tem definido, historicamente, a formação das cidades na Amazônia, impulsionando o processo degradante e impactante sobre a qualidade das águas superficiais e subterrâneas. Esses impactos são resultantes do desmatamento de Áreas de Preservação Permanente (APPs) para uso e ocupação do solo que promovem sua compactação e o carreamento de particulados para o leito do rio, tornando-o, com o passar do tempo, assoreado, a ações dos citadinos que destinam o esgoto sem tratamento e resíduos sólidos para o leito dos rios, além da falta de planejamento e fiscalização dos gestores em relação à expansão das cidades. Nesse cenário, o lago Macurany, localizado na sede do município de Parintins, estado do Amazonas, por sua localização geográfica, vem ao longo dos últimos dez anos sofrendo grande pressão antrópica, resultando na transformação do manancial de águas límpidas, naturais e navegáveis para um leito ocupado por flutuantes e entorno por diversas residências, que além de alterarem a paisagem, alteram significativamente a qualidade da água. Esta pesquisa teve como objetivo identificar os diversos usos e ocupação do solo e do leito do lago, e seus impactos sobre o local. Para a realização da pesquisa, foram realizadas observações diretas do uso e ocupação do solo no entorno e no leito do lago, constatando-se a crescente invasão das suas margens por residências de alto padrão e atividades comerciais, além do leito por diversos flutuantes que fazem uso do local como fonte de renda com serviços de guarda e manutenção de embarcações regionais, diversas fontes de lançamento de efluentes não tratados, resultando na proliferação de macrófitas e algas, redução do fluxo de água no período da vazante, emanação de odores indesejados, demonstando a necessiade de adoção de políticas públicas de reordenamento das ocupações às margens e sobre o seu leito, ações de saneamento básico (melhoria dos serviços de coleta de resíduos, implantação de sistema de tratamento de esgoto e fiscalização), recuperação de áreas desflorestadas, eliminação dos pontos de poluição e contaminação, dentre outras, que venham contribuir com a redução dos impactos ambientais no lago.


Keywords


Impactos ambientais,Uso e ocupação do solo, Recursos hídricos.

References


BARTOLI, Estevan; BARBOSA, Tatiana da Rocha. Paisagem e morfologia urbana na cidade Parintins: tecido urbano ou colcha de retalho? In: Anais do 5º Seminário Internacional de Arquitetura, Urbanismo e Design – produtos e mensagens para ambientes sustentáveis, 2011, São Paulo, SP. Anais do NUTAU, 2011.

BRASIL. Lei n° 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos e cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Disponível em: . Acesso em: 28 de fevereiro de 2018.

. Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências.

. Normas da autoridade marítima para obras, dragagens, pesquisa e lavra de minerais sob, sobre as margens das águas jurisdicionais brasileiras. Marinha do Brasil. Diretoria de Portos e Costas. NORMAM-11/DPC. 1ª. REVISÃO. 2017. Disponível em: . Acesso em: set. 2019.

CAMPELO, Fabiana Rocha. DIAGNÓSTICO HÍDRICO PARA A GESTÃO DO LAGO MACURANY EM PARINTINS, AMAZONAS, BRASIL. Dissertação (Mestrado). Universidade do Estado do Amazonas. Programa de Pós-Graduação em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos. Parintins, 2019.

CARDOSO, Adriana Sales. Desenvolvimento de metodologia para Avaliação de alternativas de intervenção em cursos de água em áreas urbanas. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Engenharia da UFMG. Belo Horizonte, Minas Gerais. 2008

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CETESB. Relatório de Qualidade das Águas Superficiais: Apêndice C - Índices de Qualidade das Águas. São Paulo: CETESB, 2013.

PARINTINS, Prefeitura Municipal. Lei no. 375, de 05 de outubro de 2006. Institui o plano diretor do município de Parintins e dá outras providências.

. Plano Municipal de Saneamento Básico e Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – versão para aprovação de julho de 2012. Parintins, 2012.

RIGHETTO, Antônio Marozzi; MOREIRA, Lúcio Flávio Ferreira; SALES, Thaise Emmanuele Andrade de. Manejo de Águas Pluviais Urbanas. Antônio Marozzi Righetto (coordenador). Rio de Janeiro: ABES, 2009.

TAKEDA, Tatiana de Oliveira. Uso e ocupação do solo urbano: Breves considerações sobre as principais ferramentas que subsidiam o uso e ocupação do solo urbano. 2013. Disponível em: . Acesso em: outubro, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-550

Refbacks

  • There are currently no refbacks.