Qualidade de vida de usuários da atenção primária à saúde com doenças crônicas não transmissíveis: revisão narrativa de literatura / Quality of life of users of primary health care with chronic non-communicable diseases: narrative literature review

Giulia dos Santos Goulart, Bárbara Belmonte Bedin, Gabriely de Almeida, Flávia Camef Dorneles, Carla da Silveira Dornelles, Claudete Moreschi

Abstract


Objetivo: identificar a produção científica nacional que versa sobre qualidade de vida de usuários com doenças crônicas no âmbito da Atenção Primaria à Saúde. Método: Trata-se de um estudo de Revisão Narrativa de Literatura, desenvolvida de fevereiro a junho de 2020 nas bases de dados Medical Literature Analysis and Retrieval System Online, Scientific Electronic Library Online, e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, utilizando como descritores: “Qualidade de Vida”, “Doença Crônica” e “ Atenção Primária à Saúde”, tendo por conector boleano a palavra and. A amostra foi composta por cinco artigos. Resultados e discussão: emergiram duas categorias temáticas: Indicadores de DCNTs que implicam na qualidade de vida de pessoas atendidas na Atenção Básica; e Prevenção de DCNTs visando à qualidade de vida dos usuários atendidos na Atenção Básica. Conclusão: Notou-se que muitos são os fatores que afetam a qualidade de vida das pessoas atendidas na APS, principalmente os hipertensos. Ademais, percebeu-se a função indispensável atribuída à APS, no entanto, emerge a necessidade de educação permanente com as equipes que atendem esses usuários, acerca das particularidades das DCNTs.


Keywords


Qualidade de vida, Doença crônica, Atenção Primária à Saúde.

References


ALELUIA, I. R. C. et al. Coordenação do cuidado na atenção primária à saúde: estudo avaliativo em município sede de macrorregião do nordeste brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 6, p.:1845-1856, 2017. DOI: 10.1590/1413-81232017226.02042017.

ANDRADE, D. D. B. C. et al. O papel da atenção primária à saúde em cuidados paliativos de idosos. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 6, p.: 35307-35320, 2020. DOI:10.34117/bjdv6n6-172.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições, 2009.

BECKER, R. M. et al. Práticas de cuidado dos enfermeiros a pessoas com Doenças Crônicas Não Transmissíveis. Rev Bras Enferm,; v. 71, n. (suppl 6), p.:2800-7, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0799.

BECKER, R. M; HEIDEMANN, I. T. S. B. Promoção da saúde no cuidado às pessoas com doença crônica não transmissível: revisão integrativa. Texto & Contexto Enfermagem, v. 29: e20180250, p.; 1-18, 2020. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2018-0250.

BORGES, C. L. et al. Prática clínica do enfermeiro no cuidado ao idoso fragilizado: estudo de reflexão. Revista UFPE online, v. 10, n. Supl. 2, p.: 914-918, 2016. DOI: 10.5205/reuol.6884-59404-2-SM-1.1002sup201629.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil. 2011, 160p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde Brasil 2016: uma análise da situação de saúde e das causas externas, 2017, p.: 102 – 105.

BRISCHILIAN, S.C.R. et al. Doenças crônicas não transmissíveis e associação com fatores de risco. Rev Bras Cardiol, v. 27, n. 1, p. 35-42, 2014.

CÔBO, V. A. et al. Cuidados paliativos na atenção primária à saúde: perspectiva dos profissionais de saúde. Boletim Academia Paulista de Psicologia, v. 39, n. 97, p. 225 – 235, 2019. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1415-711X2019000200008.

Francisco, P. M. S. B. et al. Desigualdades sociodemográficas nos fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis: inquérito telefônico em Campinas, São Paulo. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, p. 7-18, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000100002.

JUNIOR, S.V.S. et al. Cuidados paliativos à pessoa idosa hospitalizada: discursos de enfermeiros assistenciais. Revista Enfermagem Atual In Derme, v. 87, n. Edição Esp, p.: 1-7, 2019. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/166/68.

MENDES E.V. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília, 2012.

MORAES, S. A; LOPES, D. A; FREITAS, I. C. M. Avaliação do efeito independente de doenças crônicas, fatores sociodemográficos e comportamentais sobre a incapacidade funcional em idosos residentes em Ribeirão Preto, SP, 2007 – Projeto EPIDCV. Rev Bras Epidemiol, v. 18, n.4, p.: 757-770, 2015. DOI: 10.1590/1980-5497201500040007.

OMS. (2018). Global Health Estimates 2016: Disease burden by Cause, Age, Sex, by Country and by Region, 2000-2016, 2018. Disponível em http://www.who.int/healthinfo/globalburdendisease/estimates/en/index1.html

OMS. From burden to “best buys”: reducing the economic impact of non-communicable diseases in low and middle-income countries: executive summary, 2011. Disponível em http://www.who.int/nmh/publications/bestbuyssummary/en/

OMS. Global status report on noncommunicable diseases 2010. Disponível em http://www.who.int/nmh/publications/ncdreport2010/en/

PIMENTA, F. B. et al. Fatores associados a doenças crônicas em idosos atendidos pela Estratégia de Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 8, p.:2489-2498, 2015. DOI: 10.1590/1413-81232015208.11742014.

SCHIMIDT, M. I. et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. The Lancet, v.377, n.9781, p.: 1949-1961, 2011. Disponível em https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(11)60135-9/fulltext. .

SILVA, S. R. A; AMORIM, R. C; ALMEIDA, A. M. Percepção de feirantes hipertensos sobre o adoecer crônico. Rev enferm UERJ,; v. 23, n. 6, p.: 761-6, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2015.8494.

SOUZA, H. L. et al. Cuidados paliativos na atenção primária à saúde: considerações éticas. Rev. bioét. (Impr.), v. 23, n. 2, p.: 349-59, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-80422015232074.

SUZANO, D. S. et al. A importância da qualidade de vida em pacientes hipertensos. Revista Saúde em Redes, v. 2, n. 1, p.: 53-63, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n1p53-63.

ULBRICH, E. M. et al. Escala para o cuidado apoiado na atenção primária: um estudo metodológico. Rev Gaúcha Enferm., v. 38,n. 4, p.: 1- 7, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.04.63922.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-534

Refbacks

  • There are currently no refbacks.