Construindo o conceito e operacionalizando frações com materiais concretos / Building the concept and operating fractions with concrete materials

Givaldo da Silva Costa

Abstract


Em pleno Século XXI, grande parte dos estudantes brasileiros, nos mais diversos níveis de escolaridade, sentem dificuldades em assimilar o ensino-aprendizagem envolvendo números racionais, em especial as frações.  Na hipótese de que um dos principais motivos está na restrita exploração, no ambiente escolar, da aplicação de apenas um dos seus significados conceituais: o significado de repartição e deixando em segundo plano o de medição, bem como na falta da prática cotidiana do uso de materiais concretos manipulativos, este trabalho, que tem tido ótima aceitação nas Formações  Continuadas de Professores, tem como prioridade construir o conceito de frações à luz dos seus principais significados, buscando uma explicação na origem epistemológica da sua palavra, associando à nomenclatura dos seus termos e fazendo um paralelo entre razão e fração, tendo como suporte a utilização de um kit fracionário, confeccionado com materiais simples (cartolina). Procura também entrar nos bastidores das abstrações contidas nos algoritmos das quatro operações fundamentais dos números fracionários com uma linguagem clara e objetiva, compatível com o nível de escolaridade do Ensino Fundamental, que seja dos anos iniciais ou finais. Busca refletir sobre a utilização de materiais concretos manipuláveis, apontando que é fácil perceber que, por motivos não totalmente esclarecidos, à medida que o nível de escolaridade aumenta, a assiduidade no uso de materiais concretos manipuláveis vai escasseando em nossas salas de aulas, fazendo com que as informações contidas em nossas regras, convenções e propriedades matemáticas não sejam demonstradas e/ou justificadas, contribuindo assim para que a Matemática continue a ser aplicado de forma mecânica e restrita à memorização de procedimentos técnicos, sem nenhum significado para a maioria dos estudantes, o que faz aumentar a rejeição que grande parte deles tem pela Matemática.


Keywords


conceito, significado, instrumentalização, compreensão

References


D’AMBRÓSIO, U. Matemática, ensino e educação: uma proposta global. Temas & Debates. São Paulo – SP, v. 4, n. 3, p. 1-15, 1991.

EDUCAÇÃO, Secretaria de. Parâmetros para a Educação Básica de Pernambuco. Parâmetros Curriculares de Matemática – Ensino Fundamental e Médio. P. 51, CAEd, 2012.

FERREIRA, A. B. H., Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa – 4ª edição, Editora Positivo, Curitiba – PR, p. 931, 2009.

LINS, R. C., SILVA, H., Pró-Letramento (Matemática). Brasília – DF. Ministério da Educação e Cultura, fascículo 4,p. 10-12, 2008.

LOPES, A. J. O Que Nossos Alunos Podem Estar Deixando de Aprender Sobre Frações, Quando Tentamos Lhes Ensinar Frações.Bolema, Rio Claro – SP, v. 21, n. 31, p. 1-22, 2008.

NACARATO, A. M. Eu Trabalho Primeiro o Concreto. Revista de Educação Matemática, São Paulo - SP, v. 9, n. 9-10, p. 1-6, 2005, SBEM – SP.

ROMANATTO, M. C. Número Racional: Uma Teia de Relações. Zetetiké, Campinas – SP, v. 7, n.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-504

Refbacks

  • There are currently no refbacks.