Manifestações Neurológicas por Privação de Oxigênio em Parada Cardiorrespiratória: uma revisão integrativa / Neurological Manifestations from Oxygen Deprivation in a Cardiorespiratory Arrest: an integrative review

Tatiane Maria Lisbôa de Lira, Ariane Aragão Alves, Marcelo Moraes Valença

Abstract


Objetivo: A presente pesquisa objetivou realizar uma revisão da literatura existente acerca dos danos neurológicos decorrentes da privação de oxigênio em pacientes que sofreram PCR. Método: A questão norteadora foi: quais são as manifestações neurológicas decorrentes de uma anóxia provocada por PCR? Assim, a revisão de literatura foi realizada em março de 2020, com os descritores consultados no DeCS: “manifestações neurológicas”, “hipóxia encefálica”, “parada cardíaca” e seus correspondentes em inglês, nas bases de dados: Cambridge Core, LILACS, MedLine, PubMed, SciELO e ScienceDirect. Foram incluídos artigos datados de 2010 a 2020, em português, inglês ou espanhol e descartados artigos de revisão ou com linhas de pesquisa divergentes da temática proposta, além de capítulos de livros e teses, selecionado, ao final da pesquisa, 13 artigos. Resultados: A hipóxia cerebral é a principal causa de mortalidade e morbidade dos pacientes sobreviventes de PCR (taxa variável de 24,0 a 47,5%), sendo a maioria durante o primeiro mês após o evento, por isso a importância da avaliação neurológica na detecção de lesões cerebrais. Os fatores indicativos de mau prognóstico são a permanência no estado vegetativo, redução na resposta motora ou sensitiva e o índice da enolase específica de neurônio sérica. As áreas do cérebro mais afetadas pela lesão isquêmica são o claustrum, os núcleos lentiformes, núcleos talâmicos e as células de Purkinje do cerebelo, sendo o menos sensível o tronco cerebral. As alterações microscópicas na substância cinzenta são neurônios dispersos e com necrose laminar e na substância branca são perda axonal, núcleos apoptóticos, proliferação microglial difusa, astrocitose fibrilar, palidez da mielina e, principalmente, alterações vacuolares. O hipocampo se apresenta reduzido e comumente pode-se notar confusão mental, delírio, alterações de memória e cognição. Conclusão: Destaca-se a importância da realização da avaliação neurológica precoce para garantir melhor previsão dos principais prejuízos sofridos pelo encéfalo, além da análise dos fatores de mau prognóstico. Durante a elaboração da pesquisa, observou-se uma escassez de estudos na América Latina sobre o tema proposto, por isso através do presente trabalho, visa-se fomentar a discussão e pesquisa acerca da temática apresentada, que proporcionem um melhor cuidado aos pacientes com danos neurológicos resultantes da PCR, conduzindo a melhores prognósticos e a uma melhor qualidade de vida.


Keywords


manifestações neurológicas; hipóxia encefálica; parada cardíaca.

References


ALTURKUSTANI, M. ANG, L. Claustral neurons are vulnerable to ischemic insults in cardiac arrest encephalopathy. Int J Clin Exp Pathol, [S.l.], v. 11, n. 5, p.2735-2741, 15 mai. 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6958261/. Acesso em: 05 out. 2020.

ALTURKUSTANI, M.; ANG, L. Acute hypoxic-ischemia in cardiac arrest encephalopathy causes only minimal demyelination. Neuropathology, [S.l.], v. 36, n. 5, p.413-420, 2 mar. 2016. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26932424/. Acesso em: 05 out. 2020.

BOTNARU, T. et al. Improved neurologic outcomes after cardiac arrest with combined administration of vasopressin, steroids, and epinephrine compared to epinephrine alone. CJEM, [S.l.], v. 17, n. 2, p.202-205, mar. 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26052973/. Acesso em: 05 out. 2020.

CHOI, K. et al. Therapeutic and prognostic implications of subarachnoid hemorrhage in patients who suffered cardiopulmonary arrest and underwent cardiopulmonary resuscitation during an emergency room stay. Clinical Neurology And Neurosurgery, [S.l.], v. 115, n. 10, p.2088-2093, out. 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23932383/. Acesso em: 05 out. 2020.

LOMA-OSORIO, P. et al. Clinical Characteristics and Vital and Functional Prognosis of Out-of-hospital Cardiac Arrest Survivors Admitted to Five Cardiac Intensive Care Units. Revista Española de Cardiología (english Edition), [S.l.], v. 66, n. 8, p.623-628, ago. 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24776330/. Acesso em: 05 out. 2020.

MAPP, J. G. et al. Dispatcher Identification of Out-of-Hospital Cardiac Arrest and Neurologically Intact Survival: A Retrospective Cohort Study. Prehospital And Disaster Medicine, [S.l.], v. 35, n. 1, p.17-23, 29 nov. 2019. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31779716/. Acesso em: 05 out. 2020.

NEKOUI, A. et al. Recovery of brain function after cardiac arrest: case report and review. Acta Anaesthesiol Belg, [S.l.], v. 67, n. 1, p.43-47, 2016. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27363214/. Acesso em: 05 out. 2020.

ORBO, M. C. et al. Memory performance, global cerebral volumes and hippocampal subfield volumes in long-term survivors of Out-of-Hospital Cardiac Arrest. Resuscitation, [S.l.], v. 126, p.21-28, mai. 2018. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29462642/. Acesso em: 05 out. 2020.

PAN, H. et al. Protective and biogenesis effects of sodium hydrosulfide on brain mitochondria after cardiac arrest and resuscitation. European Journal Of Pharmacology, [S.l.], v. 741, p.74-82, out. 2014. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0014299914005743. Acesso em: 05 out. 2020.

RANDHAWA, V. K. et al. Cardiac Intensive Care Unit Management of Patients After Cardiac Arrest: Now the Real Work Begins. Canadian Journal Of Cardiology, [S.l.], v. 34, n. 2, p.156-167, fev. 2018. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29407008/. Acesso em: 05 out. 2020.

STAMENOVA, V. et al. Long-term effects of brief hypoxia due to cardiac arrest: Hippocampal reductions and memory deficits. Resuscitation, [S.l.], v. 126, p.65-71, maio 2018. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29474878/. Acesso em: 05 out. 2020.

STEINBUSCH, C. V. M. et al. Cognitive impairments and subjective cognitive complaints after survival of cardiac arrest: A prospective longitudinal cohort study. Resuscitation, [S.l.], v. 120, p.132-137, nov. 2017. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28818523/. Acesso em: 05 out. 2020.

YAMASHINA, Y. et al. Differentiating between comatose patients resuscitated from acute coronary syndrome-associated and subarachnoid hemorrhage-associated out-of-hospital cardiac arrest. Journal Of Cardiology, [S.l.], v. 65, n. 6, p.508-513, jun. 2015. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0914508714002482. Acesso em: 05 out. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-490

Refbacks

  • There are currently no refbacks.