Uso do biossólido como fertilizante em plantio de Paricá (Schizolobium parahyba var. Amazonicum (huber x ducke) barneby) na Amazônia Oriental / Use of biosolid as a fertilizer in Paricá planting (Schizolobium parahyba var. Amazonicum (huber x ducke) barneby) in the Eastern Amazon

Jurandir Thiago Pereira Ramos, Fabiele Araújo Gomes, Cleibiane da Silva Martins, Luiz Fernandes Silva Dionisio, Camila de Almeida Milhomem, Gleidson Marques Pereira, Madson Alan Rocha de Sousa

Abstract


O lodo de esgoto tratado, principal resíduo da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), apresenta benefícios ambientais e econômicos quanto ao seu uso como biofertilizante, devido à elevada concentração de matéria orgânica e nutrientes presentes no material. Assim, o objetivo do trabalho foi avaliar o uso do biossólido e interações com adubação mineral, no desenvolvimento inicial da espécie florestal Schizolobium parahyba var. amazonicum [Huber x Ducker] (paricá), em monocultivo. O biossólido foi oriundo da ETE de Paragominas e o experimento instalado em uma fazenda localizada no município de Ipixuna do Pará. Os tratamentos analisados foram: testemunha; N+P+K mineral; biossólido; biossólido+P+K; biossólido+N+P+K. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e 18 repetições por tratamento. Para a avaliação do desenvolvimento inicial da espécie, foram coletados os dados de mortalidade, altura e diâmetro do coleto, a cada 15 dias durante os meses de julho a outubro de 2017. Nos tratamentos onde houve adição de biossólido, a partir da terceira medição, houve maior desenvolvimento das mudas, para ambas as variáveis avaliadas, que nos tratamentos testemunha e NPK. As médias de diâmetro de coleto e altura em plantas tratadas com biossólido foram superiores às plantas que receberam apenas o adubo mineral. Assim, o uso do biossólido em plantios florestais apresentou resultados positivos e favoreceu o desenvolvimento inicial dos paricás. O tratamento com aplicação de adubo mineral complementado com biossólido e o tratamento somente com uso de biossólido não apresentaram diferenças significativas, mostrando-se como melhores opções para o desenvolvimento do diâmetro de coleto e altura das mudas de paricá. Conclui-se que o biossólido é um fertilizante eficiente para plantios florestais de paricá, apresentando-se como uma alternativa eficaz e ecologicamente adequada para plantio comercial, contribuindo também para destinação final adequada do resíduo.


Keywords


Sustentabilidade florestal, reaproveitamento de resíduos urbanos, estação de tratamento de esgoto.

References


ALVINO, R.; Oliveira, F.; ROSA, L. S.; RAYOL, B. P. Efeito do espaçamento e do uso de leguminosas de cobertura no manejo de plantas invasoras em reflorestamento de Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke (Paricá). Revista Árvore, v. 35, n. 3, p. 391-399, 2011. https://doi.org/10.1590/S0100-67622011000300003.

ASSENHEIMER, A. Benefícios do uso de biossólidos como substratos na produção de mudas de espécies florestais. Ambiência, v. 5, n. 2, p. 321-330, 2009. https://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/view/345/pdf.

BASTOS, T. X.; PACHECO, N. A.; FIGUEIRÊDO, R. D. O.; SILVA, G. Características agroclimáticas do município de Paragominas. Embrapa Amazônia Oriental-Documentos (228), 2005. https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/407905/1/OrientalDoc228.pdf.

CABREIRA, G. V., SANTOS LELES, P. S., ALONSO, J. M., ABREU, A. H. M., LOPES, N. F., SANTOS, G. R. Biossólido como componente de substrato para produção de mudas florestais. Floresta, v. 47, n. 2, p. 165-176, 2017. https://doi.org/10.5380/rf.v47i1.44291.

CALDEIRA, M. V. W.; DELARMELINA, W. M.; LÜBE, S. G., GOMES, D. R.; OLIVEIRA GONÇALVES, E.; ALVES, A. F. Biossólido na composição de substrato para a produção de mudas de Tectona grandis. Floresta, v. 42, n. 1, p. 77-84, 2012. https://revistas.ufpr.br/floresta/article/view/26302/17503.

DEUS, A.S. et al. Efeito do biossólido de indústria têxtil para o solo e para a produção do capim-elefante Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 7, jul. 2020. https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/13780/11532

FERNANDES, M. M.; PEREIRA, M. G.; MAGALHÃES, L. M. S.; CRUZ, A. R.; GIÁCOMO, R. G. Aporte e decomposição de serapilheira em áreas de floresta secundária, plantio de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) e andiroba (Carapa guianensis Aubl.) na Flona Mário Xavier, RJ. Ciência Florestal, v. 16, n. 2, p. 163-175, 2006. https://www.redalyc.org/pdf/534/53416205.pdf.

GODOY, L. C. A logística na destinação do lodo de esgoto. Revista Científica on-line-Tecnologia, Gestão e Humanismo, v. 2, n. 1, 2013. http://www.fatecguaratingueta.edu.br/revista/index.php/RCO-TGH/article/view/43/26.

GUEDES, M. C.; ANDRADE, C. A. D.; POGGIANI, F.; MATTIAZZO, M. E. Propriedades químicas do solo e nutrição do eucalipto em função da aplicação de lodo de esgoto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 30, n. 2, p. 267-280, 2006. https://doi.org/10.1590/S0100-06832006000200008.

LIMA FILHO, P.; LELES, P.S.S.; ABREU, A.H.M.; SILVA, E.V.; FONSECA, A.C. Produção de mudas de Ceiba speciosa em diferentes volumes de tubetes utilizando o biossólido como substrato. Ci. Fl., Santa Maria, v. 29, n. 1, p. 27-39, jan./mar., 2019. https://doi.org/10.5902/1980509819340.

LIRA, A. C. S.; GUEDES, M. C.; SCHALCH, V. Reciclagem de lodo de esgoto em plantação de eucalipto: carbono e nitrogênio. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 13, n. 2, p. 207-216, 2008. https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/348782/1/ArtigoTecnico10706.pdf.

MOREIRA, S.F.; SANTOSA, S.D.O.; PEREIRA JÚNIOR; A. A potencialidade do lodo de esgoto como componente de substrato para mudas de espécies florestais. Multidisciplinary Science Journal. https://doi.org/10.29327/multiscience.2020006.

PAIVA, A. VI.; POGGIANI, F.; GONÇALVES, J. L. M.; FERRAZ, A. V. Crescimento de mudas de espécies arbóreas nativas, adubadas com diferentes doses de lodo de esgoto seco e com fertilização mineral. Scientia Forestalis, v. 37, n. 84, p. 499-511, 2009. https://www.ipef.br/publicacoes/scientia/nr84/cap18.pdf.

SANEPAR – Agência de Saneamento Básico de Paragominas. Sistema de esgotamento sanitário – Morada do Sol, 2017. http://saneparagominas.com.br/esgoto/estacoes_tratamento/.

SILVA, P. H. M. Produção de madeira, ciclagem de nutrientes e fertilidade do solo em plantios de Eucalyptus grandis, após aplicação de lodo de esgoto. Dissertação (Mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz, 117 p. 2006. https://teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-15022007-143118/publico/PauloSilva.pdf

STIPP, N. A. F.; STIPP, M. E. F. Análise ambiental em cidades de pequeno e médio porte. GEOGRAFIA, v. 13, n. 2, p. 23-36, 2010. http://www.uel.br/revistas/geografia/v13n2/2.pdf.

VIANI, R. A. G.; RODRIGUES, R. R. Sobrevivência em viveiro de mudas de espécies nativas retiradas da regeneração natural de remanescente florestal. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 8, p. 1067-1075, 2007. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2007000800002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-458

Refbacks

  • There are currently no refbacks.