Sistema Simplificado de Controle de Estoque – SISCE / Simplified Inventory Control System - SISCE

Shie Chen Fang, Profa. Dra. Miroslava Hamzagic, Prof. Dr. Arcione Ferreira Viagi, Prof. Antonio Ricardo Mendrot

Abstract


A gestão e o controle de estoque são assuntos importantes e relevantes para as empresas, porque possibilitam maximização o uso dos recursos para conseguir maior lucro mantendo os níveis de satisfação dos clientes. As modernas tecnologias de informações ajudam as empresas na boa gestão do controle de estoque. Isso significa que, seja possível para as empresas, por meio de um software, mensurar com mais exatidão a quantidade de material que deve ser adquirido e também o período mais adequado para aquisição, atendendo a demanda corrente e também demandas pontuais e imprevistas. Apesar da importância do controle de estoque, as publicações acadêmicas são realizadas, algumas vezes, usando planilhas eletrônicas e/ou folhas de papeis planilhadas, limitando o conhecimento do valor que poderia ser ganho com uma boa gestão de controle de estoque. A proposta desse artigo é apresentar o software de controle de estoque para comunidade acadêmica aqui chamado  de ‘Sistema Simplificado de Controle de Estoque – SISCE’. O software ‘SISCE’ consegue simular, em um prazo mais curto, o que for necessário ao atendimento das demandas, consolidando assim reduções necessárias e ganhos financeiros, resultado em um melhor controle dos recursos materiais.


Keywords


Controle de Estoque, Tecnologia da Informação, Simulação.

References


ACCIOLY, F; AYRES, A.P.S; SUCUPIRA,C. Gestão de Estoques. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008.

BIJORA, H. Excel: como criar uma planilha de controle de estoque, https://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/2018/02/excel-como-criar-uma-planilha-de-controle-de-estoque.ghtml, 2018, acessado em 12/09/2020.

BORGES, T.C; CAMPOS, M. S.;BORGES, E. C. Implantação de um sistema para o controle de estoques em uma gráfica/editora de uma universidade. Revista Eletrônica Produção & Engenharia, v. 3, n. 1, p. 237-247, Jan./Jul. 2010.

CUNHA, G. B., MACEDO, R. T.,SILVEIRA, S. R., Informática Básica, Universidade Federal de Santa Maria, 2017.

DIAS, Marco Aurélio. Administração de materiais. São Paulo: Atlas, 2008.

DYKES, L., TITTEL, E., XML For Dummies®, 4th Edition, Wiley Publishing, Inc, 2005.

GASNIER, D. G., A Dinâmica dos Estoques, Instituto IMAM, 2011.

GOMES, C.F.S; RIBEIRO, P.C.C. Gestão da Cadeia de Suprimentos Integrada à Tecnologia da Informação. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Editora Cengage Learning, 2014.

GRAZIANI, A. P. Gestão de Estoques e Movimentação de Materiais, UnisulVirtual, 2013.

HOFFMAN, C. What Is a CSV File, and How Do I Open It?, disponível no link ttps://www.howtogeek.com/348960/what-is-a-csv-file-and-how-do-i-open-it/, 2017, acessado em set/2020.

JÓNSSON, A., SVENSON, V., Systematic Lead Time Analysis, Master´s Thesis E2016:026, Chalmers University of Technology, 2016.

NUNES, R. S., Administração de Materiais, Depto. de Ciências da Administração (CAD/CSE/UFSC), 2010.

OLIVEIRA, R. A. A., SANTOS, R. L., SOUSA, M. C. M., ASSUNÇÃO, M. V. D., SILVEIRA, M. L. S., Nova metodologia para determinação do estoque de segurança: um estudo aplicado a um banco de sangue no Rio Grande do Norte, Brazilian Journal of Development, DOI:10.34117/bjdv6n5-389, 2020.

POZO, H. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. São Paulo: Editora Atlas, 2015.

ROUSE, M., TXT File Format, disponível no link https://whatis.techtarget.com/fileformat/TXT-ASCII-text-formatted-data, 2010, acessado em set/2020.

SILVA, J. R., HENZEL, M. E., Gestão de Estoques: Fator Decisivo para a Lucratividade Organizacional, Iberoamerican Journal of Industrial Engineering, Florianópolis, SC, Brasil, v. 4, n. 7, p.100-117, 2012.

STAUDT, F. H., Cálculo do estoque de segurança, as suas diferentes abordagens,Revista mundo Logística, artigo publicado na edição 18, set/2011.

TAYLOR, D. A. Logística na Cadeia de Suprimento Uma Perspectiva Gerencial, tradutora Claudia Freire, revisor técnico Paulo Roberto Leite, Person Addilson-Wesley, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-427

Refbacks

  • There are currently no refbacks.