O direito humano à saúde reprodutiva e à assistência ao parto das mulheres imigrantes/ The human right to reproductive health and childbirth care for immigrant women

Danilo Milev

Abstract


O trabalho visa avaliar aspectos legislativos da assistência à saúde, enquanto um direito humano, em especial a saúde reprodutiva, e consequentemente, a assistência ao parto das mulheres imigrantes, levando em consideração,  as diferenças socioculturais existentes entre a cultura brasileira de predomínio do parto cesáreo, portanto, uma intervenção cirúrgica,  e a cultura de mulheres de outros países,  que tem como preferência que o parto seja conduzido de forma mais natural possível.  Pretende-se entender a discrepância  entre o que as legislações preconizam e a violência obstétrica e xenofobia em que as mulheres estão sujeitas dentro de um centro de cirurgia,  devido, a entre outros fatores,  uma ausência de um profissional capacitado para realizar a intervenção de modo humanizado, sem violações a direitos humanos,  por conta de situação migratória no país,  buscando o respeito, sempre que possível, ao desejo da mãe da maneira desejada, e também, à cultura dessa mulher. 


Keywords


Direitos humanos, Saúde, Imigração, Saúde Reprodutiva.

References


BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei n. 8080, de 19 de Setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 300 p.: il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica, n. 26)

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 1459, de 24 de Junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS a Rede Cegonha.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS, ONU, 1948. Disponível em: http://www.un.org/es/documents/udhr/

Dutra, Cristiane Feldmann. Além do Haiti: Uma análise da imigração haitiana para o Brasil. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.

Foucault, Michel. Microfísica do poder. Organização, introdução e revisão técnica de Roberto Machado. – 3. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

Fundação Osvaldo Cruz.. Determinantes Sociais. In. Pense SUS. Disponível em: http://pensesus.fiocruz.br/determinantes-sociais

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. 1ª Ed. – [Reimpr.] – Rio de Janeiro: LTC, 2015.

ONU Mulheres. Guia de Enfrentamento ao Racismo Institucional

MONTEIRO, Simone; SANSONE, Lívio (org.). Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004.

Silva, Martiniano José da. Racismo à Brasileira: Raízes históricas. Um novo nível de reflexão sobre a história social do Brasil. 4ª Ed. São Paulo: Anita Garibaldi, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-412

Refbacks

  • There are currently no refbacks.