O trabalho de campo e aplicação de questionários para o estudo da delimitação de inundação: caso do Rio Subaé na zona urbana de Santo Amaro – Bahia/ Field work and questionnaire's application for study of flood delimitation: the case of Subaé River in the urban area of Santo Amaro - Bahia

Luiz Felipe Moura Bastos Borges, Dária Maria Cardoso Nascimento

Abstract


A cidade de Santo Amaro possui um processo de ocupação antigo, datado do período colonial onde se estabeleceu as margens do rio Subaé ocasionando supressão de matas e ecossistemas de manguezais que além de proporcionar impactos ambientais favorece a frequência e intensidade de inundações. Nesse contexto, este trabalho tem por objetivo mapear a delimitação da mancha de inundações da zona urbana do município por meio de trabalho de campo e questionários, de modo a relacionar as consequências na população da zona urbana de Santo Amaro – Bahia. Por meio de trabalho de campo e aplicação de questionários foi possível delimitar a mancha de inundação segundo as respostas obtidas e informações históricas encontradas. Ao utilizar os dados do censo demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobreposto ao delineamento da mancha de inundação constatou que a mesma pode ter atingindo 11.719 habitantes e 3.540 domicílios sob uma área mapeada de 64 hectares. Em campo, foi investigado e corroborado que os bairros que possuem maiores riscos a inudações são Ideal, Bonfim, Sacramento, Caeira, Trapiche e o Centro, na altura do Mercado Municipal. Portanto, o trabalho de campo bem como aplicação dos questionários tornou-se inexorável no procedimento metodológico no qual foi possível estimar a população atingida e identificar suas condições socioeconômicas, e, aliado às técnicas cartográficas permitiu a espacialização e análise da mancha de inundação.


Keywords


Mapeamento, inundação, campo e questionário, Santo Amaro - Bahia .

References


ALENTEJANO, P. R. R.; ROCHA-LEÃO, O. M. Trabalho de campo: uma ferramenta essencial para os geógrafos ou um instrumento banalizado? In: Boletim Paulista de Geografia, n. 84. p. 51-68, jul, 2006.

BORGES, L. F. M. B. Estudo das Inundações na Zona Urbana de Santo Amaro – Bahia: um resgate entre os anos de 1999, 2003, 2010 e 2015. 2018. 91 f. Dissertação (Mestrado em Geografia). Instituto de Geociências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

COELHO, M. C. N. Impactos ambientais em áreas urbanas – teorias, conceitos e métodos de pesquisa. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. da (Org.) Impactos ambientais urbanos no Brasil. – 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DO ESTADO DA BAHIA - CONDER. Base planialtimétrica de Santo Amaro. Sistemas de Informações Geográficas Urbanas do Estado da Bahia – INFORMS. Salvador, 2010a.

____. Ortofoto da Região Metropolitana de Salvador e Recôncavo Baiano – 60 cm. Sistemas de Informações Geográficas Urbanas do Estado da Bahia – INFORMS. Salvador, 2010b.

COMPANHIA DE PESQUISA DE RECURSOS MINERAIS - CPRM. Ação Emergencial para delimitação de Áreas em Alto e Muito Alto Risco a Enchentes, Inundações e Movimentos de Massa do município de Santo Amaro – Bahia. Departamento de Gestão Territorial. Salvador: CPRM-BA, 2014.

GERARDI, L. H. O.; SILVA, B. C. M. N. Quantificação em Geografia. São Paulo: DIFEL, 1981.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de Pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas. 2008.

IBGE. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. Vol. XX. Rio de Janeiro: IBGE, 1958.

____. Base de Informações do Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

PAIM, Z. Isto é Santo Amaro. 3 ed. Salvador: Academia de Letras, 2005.

SANTOS, P. S. Aplicação de Sensoriamento Remoto para análise da dinâmica da cobertura e uso da terra no município de Santo Amaro – Bahia. 2012. 72 f. Monografia (Graduação em Geografia). Instituto de Geociências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012.

VENTURI, L. A. B. Praticando a Geografia: técnicas de campo e laboratório em geografia e análise ambiental. São Paulo: Oficina de textos, 2005.

VENTURI, L. A. B. O papel da técnica no processo de produção científica. In: Boletim Paulista de Geografia, n. 84. p. 69-76, jul, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-374

Refbacks

  • There are currently no refbacks.