Percepção pública acerca de solos em ambientes urbanos: Um indicador subjetivo / Public perception about soils in urban environments: A subjective indicator

Niriele Bruno Rodrigues, Camilla Santos Reis de Andrade da Silva, Dieini Melissa Teles dos Santos, Maura Santos Reis de Andrade da Silva, Davy William Hidalgo Chávez, Tancio Gutier Ailan Costa, Matheus da Silva Afonso, Carolina Santos Reis de Andrade da Silva

Abstract


A temática de solos tem sido frequentemente abordada em diversos meios de comunicação, devido aos inúmeros problemas socioambientais, em especial relacionado com as atividades antropogênicas que corrobora com o uso inadequado deste recurso natural. Entretanto, quando se tem o meio urbano como recorte espacial, essa discussão acerca do conhecimento etnográfico e comportamento de solos sob viés de ambientes, encontra-se de modo geral com lacunas, dificultando a propagação da divulgação do conhecimento do solo e sua importância no ecossistema global.  Nesse contexto, objetiva- se a partir da avaliação quali-quantitativa (mediante a aplicação de questionário), compreender a percepção da população urbana sobre o papel das funções ecossistêmicas que o solo exerce no meio ambiente. Constatou-se que, os entrevistados apresentaram adequado conhecimentos sobre solos e sua importância, devido aos maiores percentuais nas repostas corretas sobre solos. A partir da correlação de Pearson, evidenciou-se que o nível de formação dos participantes está correlacionado nestas respostas.  Por fim, frisa-se que são necessários estudos abrangendo mais ambientes urbanos, e uma amostragem mais heterogênea e multidisciplinar, para obter resultados e estimativas mais consistentes sobre a funcionalidade e a importância do solo neste recorte espacial.

Keywords


Concepção Pública, Educação em solos, Solos e ambiente.

References


BECK, F.L., KLAMT, E. Organização do conteúdo do ensino de solos e sua relação com a sociedade. In: MONIZ, A.C., FURLANI, A.M.C., FURLANI, P.R., FREITAS, S.S. (Eds.). A responsabilidade social da ciência do solo. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1988. p.169-181.

BOUMA, J.; MCBRATNEY, A. Framing soils as an actor when dealing with wicked environmental problems. Geoderma, v. 200–201, p. 130–139, jun. 2013.

CIA, F.; PAMPLIN, R. C. DE O.; DEL PRETTE, Z. A. P. Comunicação e participação pais-filhos: correlação com habilidades sociais e problemas de comportamento dos filhos. Paidéia (Ribeirão Preto), v. 16, n. 35, p. 395–406, dez. 2006.

CÉSPEDES, L.G.; ESPINO, I.C.; NOLES, S.P.Z. Análisis jurídico del ordenamiento territorial y el uso del suelo como recurso natural insustituible. Universidad y Sociedad, Cuba, v. 8, n. 3, p. 6-12, 2016.

EMBRAPA - Empresa brasileira de pesquisa agropecuária. Marco referencial em serviços ecossistêmicos / Rodrigo Peçanha Demonte Ferraz [et al.], editores técnicos. – Brasília, DF: EMBRAPA, 2019. 160 p

EMBRAPA – Empresa brasileira de pesquisa agropecuária. Programa Nacional de Solos do Brasil (PronaSolos). Rio de Janeiro, Documentos 183, 2016.

FAO – Food and agriculture organization of the united nations. Solos saudáveis são a base da produção alimentar. Roma 2015. Disponível em: . Acesso em: 04.abr.2020.

GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

IBGE. Características da população e dos domicílios no Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: . Acesso em: mar.2020.

IUSS Working Group WRB (2006) World reference base for soil resources. International soil classification system for naming soils and creating legends for soil maps World Soil Resources Reports, 106. FAO, Rome.

JESUS, O. S. F. DE et al. O vídeo didático “Conhecendo o Solo” e a contribuição desse recurso audiovisual no processo de aprendizagem no ensino fundamental. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 37, n. 2, p. 548–553, abr. 2013.

KÖCHE, J. C. Fundamentos de metodologia científica. 27. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

LIMA, Marcelo Ricardo de. O solo no ensino de ciências no nível fundamental. Ciência & Educação (Bauru), v. 11, n. 3, p. 383-395, 2005.

OLIVEIRA, J. J. A. Solos e processos erosivos na geografia escolar brasileira. Desafios - Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, v. 7, n. 1, p. 78–87, 24 mar. 2020.

PERUSI, M. C.; SENA, C. C. R. G. DE. Educação em solos, educação ambiental inclusiva e formação continuada de professores: múltiplos aspectos do saber geográfico. ENTRE-LUGAR, v. 3, n. 6, p. 153–164, 21 dez. 2012.

PRESTES, Maria Luci de Mesquita. A pesquisa e a construção do conhecimento cientifico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 2.ed. São Paulo: Rêspel, 2003.

RAMOS, E.C. O processo de constituição das concepções de natureza: uma contribuição para o debate na Educação Ambiental. Revista Ambiente e Educação, v.15, p. 67-91, 2010.

ROOS, A.; BECKER, E. L. S. Educação ambiental e sustentabilidade. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, REGET/UFSM, Santa Maria. v.5, n.5, p. 857- 866, 2012.

ROWLAND, D.; ARKKELIN, D. & CRISLER, L., 1991. Computer-Based Data Analysis. Using SPSS in the Social and Behavioral Sciences. Chicago: Nelson-Hall Inc.

Soares, Gláucio A. D. 2005. “O Calcanhar Metodológico da Ciência Política no Brasil”. Sociologia, Problemas e Práticas. Lisboa, v. 2, n. 48, p. 27-52.

VEZZANI, F.M.; MIELNICZUK, J. Uma visão sobre qualidade do solo. Revista Brasileira Ciência do Solo, v. 33, p. 743-755, 2009.

VRIES, F.T.; THÉBAULT, E.; LIIRI, M.; BIRKHOFER, K.; TSIAFOULI, M.A.; BJØRNLUND, L.; JØRGENSEN, H.B.; BRADY, M.V.; CHRISTENSEN, S.; RUITER, P.C.; D’HERTEFELDT, T.; FROUZ, J.; HEDLUND, K.; HEMERIKC, L.; HOL, W.H.G.; HOTES, S.; MORTIMER, S.R.; SETÄLÄ, H.; SGARDELIS, S.P.; UTESENY, K.; PUTTEN, W.H.V.; WOLTERS, V.; BARDGETT, R.D. Soil food web properties explain ecosystem services across European land use systems. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 110, n. 35, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-346

Refbacks

  • There are currently no refbacks.