As relações de (Inter)dependência, fluxos e deslocamentos entre cidades para acesso a bens e serviços / (Inter)dependency relationships, flows and displacements between cities for access to goods and services

Fausto Amador Alves Neto, William Rodrigues Ferreira

Abstract


Tem-se que a oferta, ou não, de determinados bens e serviços nas cidades, pode ser consequência do modo de utilização e apropriação de cada espaço urbano e da forma de desenvolvimento específico do centro comercial inserido em determinada região. Nesse sentido, temos que o modo de utilização e uso do solo é o que define suas áreas, sendo que a divisão da cidade em setores específicos, tais como, os locais de concentração de atividades comerciais, de serviço e de gestão, áreas residenciais e industriais, fruto da organização espacial da cidade, ou ainda, fruto da fragmentação do espaço urbano, leva à sedimentação de centralidades por meio do fluxo populacional demandado. Do mesmo modo, em escala regional, percebe-se diferentes e crescentes intensidades de interações entre os centros comerciais das cidades a partir do fluxo territorial de pessoas para a aquisição dos produtos e serviços oferecidos em cada em cada uma delas, o que leva à chamada mobilidade de consumo, sendo esta entendida como uma característica da organização social e de seu desenvolvimento, ocasionada por diversos fatores inerentes à evolução da ciência, das técnicas e do sistema produtivo capitalista. Esta mobilidade intermunicipal é realizada por meio do transporte rodoviário influenciado pelos anseios demandados pela população. Durante o estudo percebeu-se que esses fluxos regionais ocorrem de acordo com os anseios de consumo da população para determinadas localidades, em razão da disponibilidade de bens e serviços, o que os leva, através do transporte rodoviário, a se locomoverem à algumas centralidades dentro ou fora de seu domicílio urbano, o que revela a importância de pesquisas mais aprofundadas para melhor entender esta interação entre cidades, mobilidade, centralidades e o consumo.

Keywords


Mobilidade, Transporte, Centralidades, Consumo.

References


ALVES, Lidiane Aparecida; RIBEIRO FILHO, Vitor. Reestruturação urbana das atividades de comércio e serviços em Uberlândia–MG. Horizonte Científico, v. 2, n. 2, 2008.

CORRÊA, Roberto Lobato et al. O espaço urbano. Ática, 1989.

FERREIRA, William R.; OLIVEIRA, Fernando F.; VIEIRA, Andréa dos S. Constituição e evolução das redes de transportes no Triângulo Mineiro: territórios, territorialidades e influência de atores hegemônicos. IN: Brazilian Geographical Journal, v. 3, p. 250-266, 2012.

GHIZZO, MÁRCIO ROBERTO. A mobilidade do consumo na cidade de Maringá-PR: o ensaio de uma noção. 2006. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Maringá.

OJIMA, Ricardo; MARANDOLA JR, Eduardo. Mobilidade populacional e um novo significado para as cidades: dispersão urbana e reflexiva na dinâmica regional não metropolitana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 14, n. 2, p. 103, 2012.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História, memória e centralidade urbana. Mosaico, v. 1, n. 1, p. 3-12, 2008.

PINTO, Ana Flavia Magalhães. A NOÇÃO DE MOBILIDADE HUMANA E A MACROMOBILIDADE FÍSICA PARA O CONSUMO DO ESPAÇO E DE MERCADORIAS/PRODUTOS E SUA ESPACIALIZAÇÃO NA MALHA URBANA DE FOZ DO IGUAÇU-PR. Revista Percurso, v. 5, n. 1, p. 87-109, 2013.

ROCHA, Cristine Fursel. O transporte de cargas no Brasil e sua importância para a economia. 2015.

ROCHA, Marcio M. A Espacialidade das Mobilidades Humanas: um olhar para o norte central paranaense. Tese de doutorado apresentada ao Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, SP, 1998.

SCHMIDT, Elcio Luís. O sistema de transporte de cargas no Brasil e sua influencia sobre a Economia. Florianópolis: 2011. 88p. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) – Departamento de Ciências Econômicas – Universidade de Santa Catarina. 2011.

SINGER, Paul. O uso do solo urbano na economia capitalista. Boletim paulista de Geografia, n. 57, p. 77-92, 2017.

STROHAECKER, Tânia Marques. A zona periférica ao centro: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Geografia, v. 50, n. 4, p. 1-1, 1988.

VILLAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. Studio nobel, 1998.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-326

Refbacks

  • There are currently no refbacks.