Análise epidemiológica em 10 anos de tumor de WILMS na infância na cidade de Goiânia/Goiás/ Epidemiological analysis in 10 years of WILMS tumor in childhood in the city of Goiânia/Goiás

Maria Fernanda de Sene Lima, Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, Thiago Vinicius Marreiros Silva, Luiza Carneiro Bertazzi, Eduardo Bernardo Chaves Neto, Bruna Hanauer, Jordana Nascimento Machado, Lara Nascimento Machado

Abstract


Anualmente, mais de 160.000 crianças são diagnosticadas com câncer em todo o mundo, sendo esse, a principal causa de óbitos infanto-juvenis por doença. O tumor de Wilms (TW) é o câncer renal mais comum em crianças (95%), resultante de uma falha no desenvolvimento celular durante a formação glomerular do rim. O prognóstico positivo depende do estadiamento da doença, enquanto o tratamento é variável. No Brasil, estudos epidemiológicos sobre o TW são escassos, e desta forma, esse trabalho objetiva traçar um panorama por meio da análise de prontuários arquivados e dados do Registro de Câncer de Base Populacional da Associação de Combate ao Câncer em Goiás, no período de 1999 a 2009. Dos 407 casos analisados, 31 foram de TW. A média de idade dos pacientes foi de 2,8 anos (0,25 – 12 anos) e 58,1% eram do sexo masculino, com etnia predominantemente parda (54,8%). Foi realizada a estratificação dos pacientes quanto ao tratamento e a ocorrência de metástases. A quimioterapia foi a intervenção terapêutica mais comum nos pacientes (83,9%), seguida de cirurgias (51,6%) e radioterapia (32,3%). Quanto as metástases, 25,8% foram à distância, e 3,2% linfonodal. Aproximadamente 51,6% de todos os pacientes com TW vieram a óbito. Assim, conclui-se que a distribuição e características da população observada não demonstraram semelhança completa aos dados de outros estudos epidemiológicos de TW.


Keywords


Epidemiologia, Câncer infantil, Tumor de Wilms.

References


AMERICAN CANCER SOCIETY. Key statistics for Wilms Tumors. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/wilms-tumor/about/key-statistics.html. Acesso 10 set 2020.

CUNNINGHAM, Megan E. et al. Global Disparities in Wilms Tumor. journal of surgical research, v. 247, p. 34-51, 2020.

HOSPITAL A.C.CAMARGO. Tumor de Wilms. Câncer Infantil. Pacientes e Tudo sobre o Câncer. Hospital A.C. Camargo. Disponível em: https://www.accamargo.org.br/sobre-o-cancer/tipos-de-cancer/wilms. Acesso 10 set 2020.

INCA/MINISTÉRIO DA SAÚDE/BRASIL. Instituto Nacional de Câncer. Câncer Infantojuvenil. 2011. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-infantojuvenil. Acesso 10 set 2020

INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER (IARC). Cancer tomorrow. Disponível em: https://gco.iarc.fr/tomorrow/home. Acesso 11 set 2020.

INTERNATIONAL AGENCY FOR RESEARCH ON CANCER (IARC). Global Cancer Observatory Database. Disponível em: https://www.who.int/cancer/PRGlobocanFinal.pdf. Acesso 10 set 2020.

LESLIE, Stephen W.; SAJJAD, Hussain; MURPHY, Patrick B. Wilms Tumor (Nephroblastoma). 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs297/es/. Acesso 10 set 2020.

SMITH, Malcolm A. et al. Declining childhood and adolescent cancer mortality. Cancer, v. 120, n. 16, p. 2497-2506, 2014.

STELIAROVA-FOUCHER, Eva et al. International incidence of childhood cancer, 2001–10: a population-based registry study. The Lancet Oncology, v. 18, n. 6, p. 719-731, 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Cancer. International Childhood Cancer Day: Questions & Answers. Disponível em: https://www.who.int/cancer/media/news/Childhood_cancer_day/en/. Acesso 10 set 2020.

XIE, Wenli et al. Physiological functions of Wilms’ tumor 1‐associating protein and its role in tumourigenesis. Journal of cellular biochemistry, v. 120, n. 7, p. 10884-10892, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-297

Refbacks

  • There are currently no refbacks.