Escolha dos técnicos de enfermagem pelo curso de graduação na área: motivos e perspectivas/ Choice of nursing technicians by the undergraduate course in the area: reasons and perspectives

Melissa Lúcia Melo, Munyra Rocha Silva Assunção, Zélia Marilda Rodrigues Resck, Rogério Silva Lima, Roberta Seron Sanches

Abstract


No Brasil, a enfermagem é exercida por enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, categorias profissionais que diferem no que diz respeito às atribuições e ao nível de escolaridade. Isso possibilita aos profissionais de enfermagem de nível médio, ou seja, os técnicos e auxiliares de enfermagem, a oportunidade de dar prosseguimento em sua formação por meio do ensino universitário. Tem sido descrito que estudantes de graduação em enfermagem sem atuação prévia na área podem realizar a escolha da profissão de maneira pouco reflexiva, ao contrário daqueles que já atuam como profissionais de enfermagem de nível médio. Buscou-se neste estudo, apreender o motivo da escolha dos técnicos de enfermagem pelo ensino superior na área. Trata-se de pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória, realizada em uma universidade pública, com a participação de oito estudantes. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, gravadas e para organização e análise dos dados, utilizou-se análise temática. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (parecer nº 2.487.606 e CAAE nº 80836117.6.0000.5142). Apreendeu-se que a escolha pela profissão tem relação com a percepção de uma oportunidade, sendo o curso superior, uma continuidade desta escolha. Inseridos no curso de graduação em enfermagem, os acadêmicos elaboram perspectivas futuras, que incluem atuação como enfermeiros e realização de pós-graduação. Conclui-se que no cenário de expansão do ensino superior, a escolha pela continuidade da formação em enfermagem parece não se dar necessariamente porque os profissionais elaboram um projeto de carreira, mas também, para aproveitar a oportunidade de ingresso no ensino superior.


Keywords


Enfermagem, Escolha da Profissão, Mobilidade Ocupacional, Bacharelado em Enfermagem, Educação Técnica em Enfermagem.

References


ALKAYA, S.A.; YAMAN, S.; SIMONES, J. Profesional values and carrer choice of nursing students. Nursing Ethics, v.25, n.2, p.243-52, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

BARROS, A.S.X. Expansão da educação superior no Brasil: limites e possibilidades. Educ Soc., v.36, n.131, p.361-90, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v36n131/1678-4626-es-36-131-00361.pdf. Acesso: 04 Dez. 2019.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Reflecting on reflexive thematic analysis. Qualitative Research in Sport, Exercise and Health, v.11, n.4, p.589-97, 2019. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, v.3, p.77-101, 2006. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

CHAGAS, S.N.F.; BRITO, R.S.; BORGES, A.M.M. Percepção dos estudantes de graduação em enfermagem sobre o trabalho do enfermeiro. R. Enferm. Cent. O. Min., v.6, n.3, 2421-9, 2016. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

CHINELLI, F.; VIEIRA, M.; SCHERER, M.D.A. Trajetórias e subjetividades no trabalho de técnicos de enfermagem no Brasil. Laboreal, v.15, n.1, p.1-17, 2019. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

CORRÊA, A.K. et al. O perfil do aluno ingressante em um curso de bacharelado e licenciatura em enfermagem de uma instituição de ensino superior pública. Educ. rev., v.34, e185913, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

DILIG-RUIZ, A. et al. Job satisfaction among critical care nurses: a systematic review. International Journal of Nursing Studies, v.88, p.123-34, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

FERREIRA JUNIOR, A.R. et al. A socialização do profissional no percurso de técnico a enfermeiro. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v.16, n.3, p.1321-35, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

LEAL, J.A.L.; de MELO, C.M.M. Processo de trabalho da enfermeira em diferentes países: uma revisão integrativa. Rev bras. Enferm., v.71, n.2, p.441-52, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v71n2/pt_0034-7167-reben-71-02-0413.pdf. Acesso: 04 Dez. 2019.

MACEDO, R.M. Resistência e resignação: narrativas de gênero na escolha por enfermagem e pedagogia. Cad. Pesqui., v.49, n.172, p.54-76, 2019. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

MAIA, D.C. et al. Ensino público e acesso ao ensino superior: a questão das cotas. Revista do Curso de Direito da Faculdade de Humanidades e Direito, v.14, n.14, p.71-105, 2017. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

MACHADO, M.H. et al. Características gerais da enfermagem: o perfil sociodemográfico. Enferm. Foco, v.7, n.esp., p.9-14, 2016a. Disponível em: . Acesso: 02 Jan. 2019.

MACHADO, M.H. et al. Aspectos gerais da formação da enfermagem: o perfil da formação dos enfermeiros, técnicos e auxiliares. Enferm. Foco, v.7, n.esp, p.15-34, 2016b. Disponível em: . Acesso: 02 Jan. 2019.

MACHADO, M.H. et al. Mercado de trabalho da enfermagem: aspectos gerais. Enferm. Foco, v.7, n.esp., p.35-53, 2016c. Disponível em: . Aceso: 02 Jan. 2019.

MACHADO, M.H. et al. Condições de trabalho da enfermagem. Enferm. Foco, v.7, n.esp, p.63-71, 2016d. Disponível em: . Acesso: 02 Jan. 2019.

KRISTOFFERSEN, M.; FRIBERG, F. Remaining in the nursing profession: The relevance of strong evaluations. Nursing ethics, v.25, n.7, p.928-38, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

LIMA, R.S. et al. Representação da prática gerencial do enfermeiro na unidade de internação: perspectiva da equipe de enfermagem. Rev. gaúcha enferm., v.37, n.1, e54422, 2016. Disponível em: . Acesso: 02 Jan. 2019.

MONTEIRO, R.P. et al. O processo de transição profissional na perspectiva de técnicos de enfermagem que se tornaram enfermeiros. Rev. eletrônica enferm., v.16, n.4, p.777-86, 2014. Disponível em: . Acesso: 07 Jun. 2018.

MOREIRA, L.R. et al. Percepção do enfermeiro acerca da formação acadêmica para o exercício profissional. Enfermagem revista, v.21, n.1, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

NOGUEIRA, V.O.; CUNHA, I.C.K.O. Coordenação de cursos de graduação em enfermagem à luz das tendências de métodos de cenários. Enferm. Foco, v.9, n.4, p.23-7, 2018. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019

OZANAM, M.A.Q. et al. Satisfação e insatisfação no trabalho dos profissionais de enfermagem. Braz. J. of Develop., v.5, n.6, p.6156-78, 2019. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

SIGAUD, C.H.S. et al. Motivos de estudiantes de enfermagem para la escolha da carreira. Rev. iberoam. Educ. investi. Enferm., v.6, n.4, p.18-24, 2016. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

SILVA, K.L. et al. Expansão dos cursos de graduação em enfermagem: dilemas e contradições frente ao mercado de trabalho. Rev Esc. Enferm. USP, v.47, n.5, p.1219-26, 2013. Disponível em: . Acesso: 07 Jun. 2018.

TEIXEIRA, E. et al. Panorama dos cursos de Graduação em Enfermagem no Brasil na década das Diretrizes Curriculares Nacionais. Rev. bras. Enferm., v.66, n.spe, p.102-10, 2013. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

TEODOSIO, S.S.; PADILHA, M.I. “Ser enfermeiro”: escolha profissional e a construção dos processos identitários (anos 1970). Rev. bras. Enferm., v.69, n.3, p.428-34, 2016. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.

WERMELINGER, M.; FRANÇA LIMA, J.C.; VIEIRA, M. A formação do auxiliar e do técnico em enfermagem: a ‘era SUS’. Divulgação em Saúde para Debate, n. 56, p. 36-51, 2016. Disponível em: . Acesso: 06 Dez. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-266

Refbacks

  • There are currently no refbacks.