Análise do sistema de transporte da cidade de curitiba a partir da ótica da do índice de vulnerabilidade social (IVS) / Analysis of the system of transport of the city of curitiba from the optical of the index of social vulnerability (IVS)

Luziane Machado Pavelski, Marcia Pereira de Andrade Bernardinis

Abstract


Os sistemas de transporte possuem três dimensões fundamentais segundo a ótica da mobilidade sustentável: ambiental, econômica e social. Esse último, foco deste artigo. Em países em desenvolvimento como o Brasil, em que os núcleos urbanos se formaram de modo acelerado e desordenado, atenção especial é necessária aos elementos da dimensão social, cuja negligencia pode resultar em exclusão social por conta da falta de acessibilidade a oportunidades, tais como, estudo, emprego, saúde e lazer. Nesse sentido, o uso de Índices que avaliam os aspectos sociais pode apresentar contribuições essenciais na avaliação, monitoramento e planejamento de cidades mais inclusivas. Esse artigo utiliza o IVS – índice de Vulnerabilidade Social, como fundo para a análise do sistema de transporte de Curitiba, constatando que os meios de transporte que exigem menor custo de aquisição e manutenção são predominantes em regiões com maior vulnerabilidade social, enquanto carros e estacionamentos predominam em áreas de menor vulnerabilidade social.

 


Keywords


Índice de vulnerabilidade social (IVS), transporte, acessibilidade, justiça social, mobilidade urbana sustentável.

References


ASSOCIAÇÃO TRANSPORTE ATIVO. Pesquisa nacional do perfil do ciclista. Disponível em: Acesso em: 20 jan 2019.

BRASIL (2001). Lei Federal Nº10. 257, de 10 de julho de 2001. Estatuto da Cidade. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 11 jul 2001.

DUARTE, F. (2009). Planejamento Urbano. Curitiba. IBPEX.

FALAVIGNA, C.; RODRIGUES, T,G.; HERNÁNDEZ, D. (2017). “Mobilidade justa socialmente”. In: PORTUGAL, L, da S. Transporte Mobilidade e Desenvolvimento Urbano. Rio de Janeiro. Elsevier.

FERRAZ, A. C. P.; TORRES. I. G. E. Transporte público urbano. São Paulo: Rima 2004.

IBGE (2010). POF 2008/2009 mostra desigualdades e transformações no orçamento das famílias brasileiras. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/13846-asi-pof-2008-09-mostra-desigualdades-e-transformacoes-no-orcamento-das-familias-brasileiras. Acesso em: 13 abr 2019.

IPEA. Mobilidade urbana sustentável: conceitos, tendências e reflexões. Brasília-DF. 2016.

IPEA. O Atlas - Atlas da vulnerabilidade social nos municípios e regiões metropolitanas brasileiras. Disponível em: http://ivs.ipea.gov.br/index.php/pt/sobre. Acesso em: 03 jan 2019.

IPPUC. Disponível em:< http://ippuc.org.br/geodownloads/geo.htm>. Acesso em: 11 fev 2018.a.

IPPUC. Disponível em . Acesso em: 12 fev 2018.b.

LITMAN, T. (2019). Evaluating transportation equity: guidance for incorporating distributional impacts in transportation planning. Victoria Transport Policy Institute. Disponível em:

http://www.vtpi.org/equity.pdf. Acesso em: 12 abr 2019.

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES. IBEU – Índice de Bem-Estar Urbano. Disponível em: http://ibeu.observatoriodasmetropoles.net.br/. Acesso em: 18 jan 2019.

PNUD. Relatório de desenvolvimento humano. Disponível em:

Acesso em: 20 jan 2019.

PORTUGAL, L. da S. Transporte Mobilidade e Desenvolvimento Urbano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

POCHMANN, M.; AMORIM, R. (Org.). Atlas da exclusão social no Brasil. São Paulo: Cortez, 2003.

SANTOS, P, L; Et al. Nível de serviço do transporte público urbano coletivo em Brasília. BrazilianJournal of Development. V. 5, nº3, 2019. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/1277/1154. Acesso: 03 ago 2020.

URBS. Disponível em: . Acesso em: 15 dez 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-249

Refbacks

  • There are currently no refbacks.