Processo de trabalho da equipe de saúde bucal no municipio de Nordestina-BA / Work process of the oral health team in the municipality of Nordestina-BA

Naire Ferreira de Oliveira, Aise Cleise Mota Mascarenhas, Bruna Mendes Carvalho, Caroline Brito dos Santos, Catharine Luanne da Cruz Batista, Christian Almeida Santos, Izabelle Alves Mendes de Oliveira, João Victor dos Santos Cardoso, Liliane Oliveira Gomes, Matheus Sousa Santos, Elielson de Oliveira Santos, Ana Áurea Alécio Oliveira rodrigues

Abstract


A realização de um trabalho em saúde bucal, de qualidade, atendendo as diretrizes do SUS, na busca de elevar os resultados em qualidade da saúde da população, deve apresentar uma dinâmica facilitadora em seu processo. O presente trabalho teve como objetivo geral compreender como ocorre o trabalho da equipe de saúde bucal no município de Nordestina-BA.  Os objetivos  específicos são entender como se organiza a oferta e demanda de serviços de saúde bucal nas unidades básicas de saúde no município de Nordestina e analisar as dificuldades enfrentadas pela equipe de saúde bucal no processo de produção do cuidado em saúde bucal. Para alcançar os objetivos propostos, foi realizada uma pesquisa qualitativa, com abordagem crítica e reflexiva por meio de entrevista semiestruturada com o auxílio de um roteiro orientador. O foco em ações educativas e o investimento em políticas de prevenção às doenças, proteção e promoção da saúde têm sido o orientador do trabalho das equipes de saúde bucal de Nordestina-BA, pois acredita-se que esse é o caminho para a melhoria das condições de saúde do município.


Keywords


Trabalho, Saúde bucal, Território Sisal.

References


ALBUQUERQUE, V. S. et al. A integração ensino-serviço no contexto dos processos de mudança na formação superior dos profissionais da saúde. Rev Bras Educ Med. v. 32, n. 3, p. 356-362, 2008.

AYACH. C. et. Al. Saúde bucal na USF: os desafios do cumprimento de metas. J Health Sci Inst. v. 32, n. 3, p. 253-259, 2014.

BITENCOURT, F.V. et al. Experiências de perda dentária em usuários adultos e idosos da Atenção Primária à Saúde. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 169-180, jan. 2019.

BOARETO, P. P. A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família (ESF). Núcleo de Educação em Saúde Coletiva. Minas Gerais, 2011.

BRASIL. Atenção Primária à Saúde. Como organizar o acolhimento à saúde?. Telessaúde Santa Catarina, 2014.

BRASIL. Equipe de Saúde da Família. Departamento de Atenção Básica, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. A Política Nacional de Saúde Bucal no Brasil: Registro de uma conquista histórica. Brasília, DF: Ministério da Saúde. 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. ABC DO SUS DOUTRINAS E PRINCÍPIOS. Brasília/DF, 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília, DF, 1997.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde, jan. 2004.

BRASIL. Passo a Passo das Ações da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde, p. 20, 2016.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988.

BRUNELLO, M. E. F. et. al. O vínculo na atenção à saúde: revisão sistematizada na literatura, Brasil (1998-2007). Acta Paul Enferm. São Paulo. v. 23, n. 1, p. 131-135, 2010.

CARVALHO, D. Q. et. al. A DINÂMICA DA EQUIPE DE SAÚDE BUCAL NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA. Boletim da Saúde. Porto Alegre. Jan./jun. 2004.

CODES – Conselho Regional de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Sisaleira do Estado da Bahia. Plano territorial de desenvolvimento sustentável do Sisal. Valente: CODES, 2010. 112 p.

COSTA, J. P. et al. Resolubilidade do cuidado na atenção primária: articulação multiprofissional e rede de serviços. Saúde em debate, v. 38, p. 733-743, 2014.

ELLERY, A. E. L., BOSI, M. L. M., LOIOLA, F. A. Integração ensino, pesquisa e serviços em saúde: antecedentes, estratégias e iniciativas. Saúde Soc. v.22, n. 1, p. 187-198, 2013.

FONTANA, K. C.; LACERDA, J. T.; MACHADO, P. M. O. O processo de trabalho na Atenção Básica à saúde: avaliação da gestão. Rev. Saúde debate. v. 40, n. 110, jul-set. 2016.

GONZÁLEZ, A. D., ALMEIDA, M. J. Integralidade da saúde: norteando mudanças na graduação dos novos profissionais. Cien Saude Colet. 2010;

III ENCONTRO NACIONAL DE AGROECOLOGIA. CARAVANA AGROECOLÓGICA E CULTURAL DA BAHIA. Juazeiro, maio de 2014. Disponível em https://aarj.files.wordpress.com/2014/05/caderno-iiiena-1.pdf.

MARQUI, A. B. T. et al. Caracterização das equipes da Saúde da Família e de seu processo de trabalho. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 44, n. 4, p. 956-961, Dezembro. 2010.

MINAYO, M. C. S. O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em Saúde. 13ª ed. São Paulo: Hucitec, 404 p, 2013.

PAULINO, J. A. Demanda espontânea x Demanda programada: Lidando com a procura maior que a oferta. Minas Gerais, 2014.

PEDUZZI, M. et al. Trabalho em equipe: uma revista ao conceito e aos seus desdobramentos no trabalho interprofissional. Trabalho de Educação em Saúde, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, 2020.

ROCHA, T. A. H., et al. Human resource management in health and performance of work process in the primary health care-an efficiency analysis in a Brazilian municipality. J Health Manag. 2014;

RODRIGUES, A. et al. SAÚDE BUCAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UM MUNICÍPIO DO SEMIÁRIDO BAIANO. Revista Baiana de saúde pública, v.35, n.3, p.695-709, 2011.

RODRIGUES, A; SANTOS, A; ASSIS, M. Agente comunitário de saúde: sujeito da prática em saúde bucal em Alagoinhas, Bahia. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, p. 907-915, May. 2010.

SANTOS, D. S.; MISHIMA, S. M.; MERHY, E. E. Processo de trabalho na Estratégia de Saúde da Família: potencialidades da subjetividade do cuidado para reconfiguração do modelo de atenção. Rev. Ciênc. saúde colet. v. 23, n. 3, mar. 2018.

SILVA, F. P. M. DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL: A EXPERIÊNCIA DO TERRITÓRIO DO SISAL NA BAHIA. Corecon-Ba. Minas Gerais, 2012.

SIMAS, P. R. P.; PINTO, I. C. M. Trabalho em saúde: retrato dos agentes comunitários de saúde da região Nordeste do Brasil. Rev. Ciênc. saúde colet. v.22, n 6, jun. 2017.

SIT - SISTEMA DE INFORMAÇÕES TERRITORIAIS. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. Território Rural, Abrangência Território do Sisal-BA. 2020.

SORATTO, J. et al. Satisfação dos Profissionais da Estratégia de Saúde da Família no Brasil: Um Estudo Qualitativo. Texto & Contexto Enfermagem; v. 29, Jan. - Dec. 2020.

TEIXEIRA, C. et al. PLANEJAMENTO EM SAÚDE: CONCEITOS, MÉTODOS E EXPERIÊNCIAS. Editora da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010.

TEXEIRA C. F. Epidemiologia e Planejamento em Saúde: Contribuição ao Estudo da Prática Epidemiológica no Brasil. 1990-1995. 300 folhas. Tese de Doutorado. Instituto de Saúde Coletiva. Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1995.

ZAFFALON, G. T. et al. Avaliação da Efetividade da Instrução de Higiene Bucal em Alunos do Primeiro Ano do Curso de Graduação em Odontologia da Universidade Metropolitana de Santos. Brazilian Journal of Development. v. 6, n. 8, p. 58719 – 58729. Curitiba, aug. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-232

Refbacks

  • There are currently no refbacks.