A Situação da Formação em Engenharia de Energia: Uma Política Pública para o Setor Energético Brasileiro / The State of Energy Engineering Education: A Public Policy for the Brazilian Energy Sector

Gisele Maria Ribeiro Vieira, Stella Maris Pires Domingues, Ronney Arismel Mancebo Boloy, Nival Nunes Almeida

Abstract


O poder público tem procurando promover o uso racional de energia em diversos setores e formulado políticas nacionais para aumentar a geração de energia por meio de fontes renováveis e evitar o risco de uma escassez de energia. A formação de profissionais que possam contribuir neste processo torna-se imprescindível.  Diante disso, este trabalho apresenta uma análise da situação atual dos cursos de graduação em engenharia de energia. Essa temática tem sido foco de debates na academia e no sistema profissional, uma vez que o curso representa uma habilitação recente tanto para a avaliação educacional quanto para a atribuição profissional. Além disso, essa área de formação técnico-científica é iminentemente transdisciplinar e o setor de energia vem demandando um crescente número de profissionais habilitados a pesquisar, desenvolver e atuar em empreendimentos e serviços de engenharia. Assim sendo, foram encontrados diversos tipos de cursos com características específicas que tornam o processo avaliativo, pelo sistema educacional, peculiar, bem como o sistema profissional tem dificuldades na questão de atribuição profissional.


Keywords


engenharia de energia, energias renováveis, políticas públicas.

References


Altoé, L. et al, “Políticas públicas de incentivo à eficiência energética”, Estud. av. [online], vol.31, n.89, pp.285-297, 2017.

BRASIL. Lei 10.295, de 17 de outubro de 2001. Dispõe sobre a Política Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 2001.

BRASIL. Decreto 4.059, de 19 de dezembro de 2001. Regulamenta a Lei n.10.295, de 17 de outubro de 2001, que dispõe sobre a Política Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia, e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 2001.

ANEEL. Resolução Normativa 482, de 17 de abril de 2012. Estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia elétrica, e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 2012.

ANEEL. Resolução Normativa 687, de 24 de novembro de 2015. Altera a Resolução Normativa 482, de 17 de abril de 2012. Brasília: Diário Oficial da União, 2015.

IRENA – International Renewable Energy Angency. Global Energy Transformation: A roadmap to 2050. Disponível em: http://aprobio.com.br/novosite/wpcontent/uploads/2018/04/Relatorio_Irena_2018_190418.pdf. Acesso em: 27/07/2019.

IRENA – International Renewable Energy Angency. Renewable Energy and Jobs – Annual Review 2019. Disponível em: https://www.irena.org//media/Files/IRENA/Agency/Publication/2019/Jun/IRENA_RE_Jobs_2019-report.pdf. Acesso em: 27/07/2019.

BRASIL. Profissionais para Energias do Futuro: Uma Parceria Próspera. Disponível em: http://www.energif.org/materiais/RevistaProfissionais.pdf. Acesso em: 27/07/2019.

CONFEA -Conselho Federal de Engenharia e Agronomia. Resolução 1076, de 5 de julho de 2016. Discrimina as atividades e competências profissionais do engenheiro de energia e insere o título na Tabela de Títulos Profissionais do Sistema Confea/Crea, para efeito de fiscalização do exercício profissional. Brasília: 2016.

CONFEA -Conselho Federal de Engenharia e Agronomia. Resolução 1073, de 19 de abril de 2016. Regulamenta a atribuição de títulos, atividades, competências e campos de atuação profissionais aos profissionais registrados no Sistema Confea/Crea para efeito de fiscalização do exercício profissional no âmbito da Engenharia e da Agronomia. Brasília: 2016.

BRASIL. Resolução CNE/CES no2, de 24/4/2019. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Brasília: Diário Oficial da União, 2019.

Arbix, G. et al, “O Brasil e a Nova Onda de Manufatura Avançada: O que aprender com Alemanha, China e Estados Unidos”, Novos estud. CEBRAP [online], vol.36, n.3, 29-49, 2017.

BRASIL. Resolução CNE/CES no11, de 11/03/2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Brasília: Diário Oficial da União, 2002. (Revogada pela Resolução CNE/CES no2, de 24/4/2019).




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-220

Refbacks

  • There are currently no refbacks.