A concepção do professor sobre como se aprende / The teacher's conception of how to learn

Carolina Pasquini Ribeiro, Érica de Cássia Gonçalves, Leonardo Crevelário de Souza Carvalho, Reginaldo dos Reis Pereira

Abstract


Neste artigo, apresentamos um estudo exploratório de natureza qualitativa cujo objetivo central foi de investigar e analisar, por meio de entrevistas, a concepção que os professores possuem sobre a maneira como as crianças aprendem. Para isso, foi realizada com um grupo de 12 docentes dos anos iniciais (Educação Infantil, Pré-escola e Primeiro ano do Ensino Fundamental) da educação básica. As entrevistas semiestruturadas seguiram o método clínico piagetiano e foram submetidas à análise de conteúdo. Os resultados indicaram que muitos docentes apontam seguir uma corrente teórica para explicar a maneira como as crianças aprendem, contudo exemplificam com práticas tradicionais de transmissão de conhecimento.

 

 


Keywords


Professor, Aprendizagem, Desenvolvimento, Concepções Epistemológicas, Piaget.

References


Alves, L.M.M, Mauer, M & Severo, R.C.B. (2020). Narrativas de jovens acerca da educação matemática nos diferentes espaços escolares. Brazilian Journal of Development, 6(8), 55047-55057. Retrieved 30 September, 2020, from http://dx.doi.org/ 10.34117/bjdv6n8-065

Baptista, M. N., & Campos, D. C. (2015). Metodologias de Pesquisa em Ciências: Análises quantitativa e qualitativa. Rio de Janeiro: LTC.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Becker, F. (2012). Convicção epistemológica e cotidiano pedagógico. Em Mantovani de Assis, O. Z. (org). Escola, torna-te o que és. Anais do XXV Encontro Nacional de Professores do PROEPRE. (p. 67 – 84). Campinas, SP: FE/Unicamp.

Borges, M.S.R. (2019). O profissional da educação infantil: sua formação específica, perspectiva, avanços e conquistas. Brazilian Journal of Development, 5(7), 9510-9523. Retrieved 30 September, 2020, from http://dx.doi.org/ 10.34117/bjdv5n7-136

Brasil. (2012). Secretária de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: formação do professor alfabetizador: caderno de apresentação. Brasília: MEC, SEB.

Cunha, N. B. & Boruchovitch, E. (2016). Percepção e conhecimento de futuros professores sobre seus processos de aprendizagem. Pro-Posições. Vol. 27 nº3. Campinas: Sept/Dec.

Delval, J. (2002). Introdução à prática do método clínico: descobrindo o pensamento das crianças. Trad. Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed.

Delval, J. (2003). Aprender a aprender. Trad. Jonas Pereira dos Santos. Campinas, SP: Papirus.

Delval, J. (2007). A escola possível. Trad. Carmem Campy Scriptori. Campinas, SP: Mercado das letras.

Denzin, N. K., & Lincoln, Y. S. (2000). Handbook of qualitative research. London: Sage.

Dolle. J-M. (2018). Instruir uma nação é civilizá-la. Trad: José Carlos Moreira. In Mantovani de Assis, O. Z. (Org.). A educação do século XXI à luz do construtivismo piagetiano. (p.103 – 130). Campinas.

Günther, H. (2006). Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta É a Questão? In Psicologia: Teoria e Pesquisa. Vol. 22 n. 2, pp. 201-210.

Macedo, L. (1994). Ensaios construtivistas. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Macedo. L. (2002). A questão da inteligência: todos podem aprender? In Marta Kohl de Oliveira, Denise Trento R. Souza e Teresa Cristina Rego (Orgs.). Psicologia, educação e as temáticas da vida contemporânea. São Paulo: Editora Moderna.

Mantovani de Assis, O. Z. (2002). Uma nova metodologia de educação pré-escolar. 7ª ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Piaget, J. (2005). A Representação do Mundo na Criança. Trad: Adail Ubirajara Sobral (colaboradores de Maria Stela Gonçalves). Aparecida, SP: Ideias & Letras.

Piaget, J. (2015). A formação do símbolo na criança – Imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Trad: Álvaro Cabral e Cristiano M. Oiticica. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

Piaget, J. (1972). Development and learning. In Lavatelly, C. S. e Stendler, F. Reading in child behavior and development. New York: Hartcourt Brace Janovich.

Piaget, J. (2011). Para onde vai a educação? Rio de Janeiro: José Olympio.

Ramozzi-Chiarottino, Z., Franck-Cunha, G., Freire, J.J. & Ferraz, A. A. (2017). “Jean Piaget’s Unrecognized Epigenetic Ontogenesis of the Logical – Mathematical Thought”, Athens: ATINER’S Conference Paper Series, No: LEI2017-2349.

Sampieri. R. H., Collado. C. F., & Lucio. M. P.B. (2013). Metodologia de Pesquisa. Porto Alegre: Penso/Mc Graw Hill.

Vinha, T. (2012). Considerações sobre as dificuldades do professor na construção de um ambiente cooperativo na sala de aula. In: Mantovani de Assis, O. Z.; Dal Coleto, A. P. Currículo: planejamento e organização da Educação Infantil. (p. 13 -51). Campinas: Graf. FE; LPG.

World Economic Forum. (2016). The Human Capital Report 2016. Disponível em: www.weform.org/docs/HCR2016_Main_Report.pdf. Acesso em: fevereiro, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-210

Refbacks

  • There are currently no refbacks.