Conhecimento dos estudantes de medicina acerca de hábitos sexuais e situações considerados de risco / Medical students’ knowledge about sexual habits and risk situations

Rodrigo Dias Cassimiro, Carolina Ribeiro Fernandes Oliveira, Rayssa Carolina de Lacerda Candido, Sofia de Barros Jesus, Edwilson Gonçalves Rios Filho, Rodrigo Davanço Souto, Raquel Oliveira dos Santos

Abstract


A temática sexualidade, para estudantes da área da saúde, tem relevância tanto para vida pessoal (evitando comportamentos de risco), quanto para atuação profissional (investigação de queixas e orientações). O objetivo desse trabalho foi identificar o perfil dos acadêmicos de medicina do ciclo básico (primeiro ao quarto período) do curso de medicina de uma instituição privada do Centro-Oeste brasileiro, bem como investigar se, entre os períodos, existia diferença no conhecimento básico acerca de hábitos sexuais e situações considerados de risco. Ademais, estabelecer se um maior nível de instrução refletia em maior uso de métodos protetivos às infeções sexualmente transmissíveis.  Tratou-se de um estudo epidemiológico e transversal e descritivo. Aplicaram-se 39 questões objetivas adaptadas de 4 trabalhos. A maior parte dos estudantes assinalou de forma satisfatória quanto a hábitos e situações de risco que poderiam se relacionar com infecções sexualmente transmissíveis e não houve diferença quanto ao conhecimento básico dos participantes. Por fim, ficou claro que um maior nível de instrução não necessariamente reflete em hábitos sexuais mais seguros.

 

 


Keywords


Comportamento sexual, Doenças Sexualmente Transmissíveis, Educação em saúde.

References


BRÊTAS, J.R.S.; et al. Conhecimentos de adolescentes sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis: subsídios para prevenção. Escola Paulista de Enfermagem, v. 22, n. 6, p. 786-792, 2009.

CASTRO, E.L.; et al. O conhecimento e o ensino sobre doenças sexualmente transmissíveis entre universitários. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 6, p. 1975-1984, 2016.

FALCÃO JÚNIOR, J.S.P.; et al. Perfil e práticas sexuais de universitários da área de saúde. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 11, n. 1, p. 58-65, 2007.

FERRACIN, I.; OLIVEIRA, R. M. Corrimento vaginal: causa, diagnóstico e tratamento farmacológico. Revista Infarma, v. 17, n. 5, p. 82-86, 2005.

JOINT UNITED NATIONS PROGRAMME ON HIV/AIDS (UNAIDS). Prevention gap report. Geneva: UNAIDS, 2016.

LEITE, M.T.F.; et al. Saber e prática contraceptiva e prevenção de DST/HIV/AIDS em universitários da área da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 60, n. 4, p. 434-438, 2007.

LEVIN, J. Estatística Aplicada a Ciências Humanas. 2.ed. São Paulo: Editora Harbra Ltda, 1987.

LIMA, M.C.P.; CERQUEIRA, A.T.A.R. Crenças sobre sexualidade entre estudantes de Medicina: uma comparação entre gêneros. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 32, n. 1, p. 49-55, 2008.

PEREIRA, E.C.L.; et al. Jovens universitários da área da saúde são vulneráveis ao HIV. Tempus Actas de Saúde Coletiva, v. 11, n. 2, p. 41-52, 2018.

SILVA, L.P.; CAMARGO, F.C.; IWAMOTO, H.H. Comportamento sexual dos acadêmicos ingressantes em cursos da área da saúde de uma universidade pública. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, v. 3, n. 8, p. 39-52, 2014.

SOARES, L.R.; et al. Avaliação do comportamento sexual entre jovens e adolescentes de escolas públicas. Adolescência & Saúde, v. 12, n. 2, p. 76-84, 2015.

TEIXEIRA, A.; et al. Adolescentes e uso de preservativos: as escolhas dos jovens de três capitais brasileiras na iniciação e na última relação sexual. Cadernos de Saúde Pública, v. 22, n. 7, p. 1385-1396, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-198

Refbacks

  • There are currently no refbacks.