Estudos rurais: Uma breve retórica sobre o patriarcado / Rural studies: A brief rhetoric about patriarchy

Ângela Aparecida Santos, Ivana Pires de Sousa Baracho, Mariane Rodrigues Silva, Hulie Gonçalves Andrade

Abstract


A história feita pelos homens está repleta de figuras do gênero masculino como protagonistas.Quando as mulheres passam a fazer parte da elaboração do mundo, elas irão falar de um mundo que pertence aos homens, sob égide de um sistema em meio a divisão sexual do trabalho, dos espaços públicos e privados, simbolismos, suas normatizações, o pensar binário, entre outras coisas. Este trabalho tem como objetivo trazer reflexões das relações de gênero no espaço rural brasileiro. A metodologia adotada é a revisão de literatura, buscando bibliografias de autores e autoras que dialogam sobre a temática. Realizou-se também, a análise de dados do Censo Agropecuário/IBGE(2006), bem como a análise dos extratos do Cadastro Ambiental Rural (CAR) do ano de 2018 (disponibilizados no Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural/SICAR)e o levantamento de Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAPs)emitidas no município de Japonvar até a data de15 de novembro de 2017(por meio de pesquisa dos extratos de Declaração de aptidão ao Pronaf (DAP) pessoa física por município no site do MDA/SEAD). Observa-se que a sociedade engendrou a categoria de gênero que determina comportamentos e legitimam relações de poder patriarcal e, consequentemente, a falta de equidade, que limita a representatividade da mulher em alguns espaços. Portanto, urge a necessidade de ressignificar essas relações. 

Keywords


mulher, agricultura, gênero, Japonvar, Caipira

References


BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo: Fatos e mitos. Tradução: Sérgio Milliet. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2016. 339 p

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os caipiras de São Paulo. v. 75. Editora Brasiliense, 1983.

BRASIL. Resolução GGPAA nº 44 de 16/08/2011.Disponível em: https://www.normasbrasil.com.br/norma/?id=114919. Acesso em 29 de Nov. 2020.

BRASIL. PORTARIA Nº 234, DE 4 DE ABRIL DE 2017. Disponível em Acesso em 29 de Nov. 2020.

CAMPOS, Judas Tadeu de. A educação do caipira: sua origem e formação. Educação & Sociedade. Campinas, v. 32, n 115, p. 489-506, 2011.

CÂNDIDO, Antônio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação do seu meio de vida. 11ª edição. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2010. 323p.

DEERE, Carmen & LEÒN, Magdalena. O Empoderamento da Mulher: Direitos terra e direito na América Latina, Porto Alegre:Editora d. UFGS,2002, p. 54.

DE MORAES SILVA, Maria Aparecida. Mulheres trabalhadoras rurais: trajetórias e memórias. Revista do Centro de Estudos Rurais-UNICAMP, v. 4, n. 2, 2010.

FAO. Censos Agropecuários e sexo - Conceitos e Metodologia. El enfoque de gênero: Gênero e Desenvolvimento. 1998. Disponível em Acesso em: 01 de nov. 2017.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: Mulheres, o corpo e a acumulação primitiva. São Paulo: Elefante Editora. 2017. 460 p

IBGE. Instituto Brasileiro De Geografia E Estatísticas:Censo Agropecuário2006.Disponívelem:. Acesso em: 25 de mai 2018.

LACERDA, Marina Basso. Colonização dos corpos: Ensaio sobre o público e o privado. Patriarcalismo, patrimonialismo, personalismo e violência contra as mulheres na formação do Brasil. Dissertação (mestrado). Programa de Pós-Graduação em Direito. PUC-Rio. Rio de Janeiro, 2010

LEMOS,Silse Teixeira de Freitas.O trabalho das mulheres da agricultura familiar à indústria capitalista contemporânea e a incidência dos mitos nas relações de gênero na sociedade patriarcal. Revista Políticas Públicas. São Luís, n especial, p. 347-354, 2016.

MARQUES, Rogério dos SB. Engenharia e ambiente rural: o gênero na agronomia. Seminário Trabalho e Gênero, v. 3, 2010.

PAULILO, Maria Ignez S. Trabalho familiar: uma categoria esquecida de análise. EstudosFeministas, Florianópolis, n 12, v1, p. 229-252, 2004.

SANTOS, A. A.; CHAVES, E. R.; MELO, M. G.;FERREIRA, I. J. S. Agricultura familiar e política pública: o programa Brasil sem miséria em Japonvar-MG (2014-2018). Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 8, p.62707- 62727 aug. 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade. n. 2, v. 20, p 71-99,1995.

SEAD. Extrato da DAP. Pessoa Física. Disponível em: Acosso em 15 de nov 2017

SICAR.Base de Downloads: Minas Gerais. Disponível em: . Acesso em: 26 de jul2018

SILIPRANDI, E.; CINTRÃO, R. As mulheres rurais e a diversidade de produtos no Programa de Aquisição de Alimentos. In: PAA: 10 anos de aquisição de alimentos. -Brasília, DF: MDS; Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional; Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação, 2014. p.115-151

SILVA, Carla da. A desigualdade imposta pelos papeis de homem e mulher: uma possibilidade de construção da igualdade de gênero. Direito Em Foco, 2012.

TIBA, Içami. Disciplina – Limite na medida certa. São Paulo: Integrare, 2006.

ZERZAN, John Pessoa. Patriarcado, Civilização e as Origens do Gênero. Revista Gênero & Direito, v. 1, n. 2, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-177

Refbacks

  • There are currently no refbacks.