Protagonismo do enfermeiro na atenção básica de saúde / Nursing protagonism in basic health care

Paulo Henrique Santana Feitosa Sousa, Raianne Freitas Souza, Maria Regivalda Santana De Souza Costa, Marcel Vinicius Cunha Azevedo, Ruth Cristini Torres, Gilmara Carvalho Nascimento, Maria Morgana Lima Silva, Juliana Brito Vieira

Abstract


A atenção primária à saúde (APS) foi internacionalmente discutida com a Declaração de Alma-Ata, em 1978. No Brasil, nasceu em dezembro de 1993, estruturando e organizando a APS dentro do SUS. O modelo brasileiro para APS é o programa Estratégia Saúde da Família (ESF), tendo o enfermeiro como parte da equipe. O objetivo deste estudo foi identificar elementos que denotam o papel do enfermeiro na atenção básica de saúde. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura. O levantamento dos dados foi realizado no período de fevereiro de 2020 a abril do mesmo ano. As bases de dados da pesquisa foram: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Base de Dados de Enfermagem (BDENF) e na Biblioteca Eletrônica Scientific Eletronic Library Online (SciELO). No estudo observou-se que o enfermeiro exerce diversas ações na Atenção Básica de saúde sendo possível destacar: enfermeiro na assistência direta às ações da Estratégia de Saúde da Família, o enfermeiro como gerenciador e o enfermeiro frente as ações educativas. A sobrecarga de trabalho dos enfermeiros, exige adaptação da rotina diária desses profissionais, fazendo com que tenham que priorizar algumas ações. As abordagens realizadas nesta pesquisa favorecem o direcionamento do foco das atividades que são ou serão desenvolvidas pelos profissionais que atuam ou buscam atuar como enfermeiro, na medida que traz considerações importantes para o esclarecimento de quais devem ser as atividades prioritárias no cotidiano deste profissional.


Keywords


Enfermeiro, Atenção primária, Atenção Básica.

References


BARTH, P. O. Educação permanente em saúde: concepções e práticas de

enfermeiros de unidades básicas de saúde. Rev. Eletrônica Enfermagem, v.

, n. 3, p. 604 -11, 2014.

BIFF, D. et al Cargas de trabalho de enfermeiros: luzes e sombras na estratégia saúde da família. Ciência E Saúde Coletiva, Santa Catarina, v. 25, n. 1, p. 147-158, agosto, 2019.

BRAGHETTO, G. T. et al Dificuldades e facilidades do enfermeiro da saúde da

família no processo de trabalho. Cadernos Saúde Coletiva, São Paulo, março,

BRASIL. Ministério da saúde. Portaria n° 2488 de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde. Brasília. 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde; Secretária de vigilância à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, 2012.

BRASIL. Portaria n° 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário oficial, 22 set. 2017.

CAÇADOR, B. S. et al Ser enfermeiro na estratégia de saúde da família: desafios e possibilidades. Rev. Min. Enferm. Reme, Minas Gerais, v. 19, n. 3, p. 612-619, julho, 2015.

CORRÊA, V. D. A. F.; ACIOLI, S.; TINOCO, T. F. Cuidado do enfermeiro na

estratégia saúde da família: práticas e fundamentações teóricas. Revista

Brasileira De Enfermagem Reben, Rio de Janeiro, julho, 2018.

COSTA, V.T. Melhores práticas dos enfermeiros gerentes na gestão de riscos.

Rev. Latino-am Enfermagem, v. 21, n. 5, 2014.

FERNANDES, M.C. et al Ações de gerencia do cuidado na estratégia saúde da

família. Revista Rene, Ceara, v.16, n.5, p. 664-71, set-out, 2015.

FERNANDES, M. C. et al Identidade do enfermeiro na atenção básica:

percepção do faz de tudo. Revista Brasileira De Enfermagem Reben,

Fortaleza- CE, março, 2017.

FREITAS, G. M.; SANTOS, N. S. S. Atuação do enfermeiro na atenção básica

de saúde: revisão integrativa de literatura. Revista De Enfermagem Do Centro Oeste Mineiro, Minas Gerais, v. 4, n. 2, p.1194-1203, maio-agosto,2014.

KAHL, C. et al Ações e interações na pratica clínica do enfermeiro na atenção primaria à saúde. Revista Da Escola De Enfermagem Da USP, São Paulo, dezembro, 2017.

LANZONI, G. D. M. et al Ações/interações motivadoras para liderança do

enfermeiro no contexto da atenção básica à saúde. Florianópolis- SC, p.1121-

, agosto, 2015.

LIMA, C. D. A. et al Atenção integral à comunidade: autoavaliação das equipes

de saúde da família. Av. Enferm, Montes Claros- MG, v. 37, n. 3, p. 303-312,

agosto, 2019.

LOWEN, I. M. V. et al Inovação na pratica assistencial do enfermeiro: ampliação do acesso na atenção primaria. Revista Brasileira De Enfermagem Reben, Curitiba- PR, fevereiro, 2017.

MONTENEGRO, L. C. A formação profissional do enfermeiro: avanços e

desafios para a sua atuação na atenção primaria à saúde. Belo Horizonte:

Escola de Enfermagem, Minas Gerais, 98 f., 2010.

PEDRAZA, D. F. et al Caracterização do trabalho de enfermeiros e profissionais do núcleo de apoio à saúde da família na atenção primaria. Arquivos Brasileiros De Ciências Da Saúde, Campina Grande- PB, v. 43, n. 2, fevereiro, 2018.

ROCHA, G. S. D. A. et al Sentimentos de prazer no trabalho das enfermeiras na atenção básica. Revista Brasileira De Enfermagem Reben, Recife-PE, v. 72, n. 4, p. 1036-43, outubro, 2018.

SALES, M. C. et al Caracterização do trabalho de enfermeiros e profissionais

do núcleo de apoio à saúde da família na atenção primaria. Arquivos Brasileiros De Ciências Da Saúde, Campina Grande- PB, v. 43, n. 2, fevereiro, 2018.

SILVA, L. M. S. D. et al Ações de gerencia do cuidado na estratégia saúde da

família. Revista Rene, Ceara, v.16, n.5, p. 664-71, set-out, 2015.

VIANA, D. M. A educação permanente em saúde na perspectiva do enfermeiro

na estratégia de saúde da família. Rev. Enferm Centro-oeste Mineiro, v. 5, n.

, p. 1658-68, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-151

Refbacks

  • There are currently no refbacks.