Carcinoma de pênis e próstata: impactos entre a prevenção e diagnóstico para população masculina / Penis and prostate carcinoma: impacts between prevention and diagnosis for male population

Aline Jussara Alves de Oliveira Bezerra, Cristina Candido da Silva Francisco, Wilzemberg de Oliveira Carvalho, Claudia Larissa de Souza, Carlos Eduardo da Silva Nascimento, Maria de Fatima Lima Barbosa, Marcos André Araújo Duque

Abstract


Dentre as inúmeras condições de saúde que acometem os homens, o carcinoma de pênis e o carcinoma de próstata está entre as neoplasias que requer uma atenção peculiar por parte dos profissionais de saúde. Embora sejam duas doenças de proporções epidemiológicas diferentes, ambas possuem um impacto significativo no que se refere a saúde da população masculina. Sendo o carcinoma de pênis considerado uma neoplasia mais rara, tendo o equivalente a 1% dos casos de câncer para essa população, é considerado -também- característico de países subdesenvolvidos. Divergindo do câncer de pênis em vários aspectos o carcinoma de próstata é uma neoplasia característica de países desenvolvidos sendo considerado uma condição da população masculina idosa, com diversos fatores de risco diretamente ligados à sua incidência. Esta pesquisa tem como objetivo contribuir com a identificação dos impactos entre prevenção e diagnóstico dos carcinomas de pênis e próstata para população masculina. Tendo sido realizado um estudo de revisão de literatura nas bases de dados eletrônicas Scientific Electronic Library Online (Scielo), EBSCO e Google Acadêmico, onde foram utilizados artigos publicados entre os anos 2015 a 2020, em língua portuguesa. Diante do exposto, concluiu-se que: nos resultados que as principais implicações para o diagnóstico e tratamento precoce para os carcinomas de pênis e próstata, é a dificuldade dos profissionais, especialmente da Atenção Primária à Saúde, na captação do público alvo em questão, observou-se também a baixa quantidade de materiais de pesquisa no que se refere ao carcinoma de pênis, principalmente. O que aponta para uma maior necessidade de pesquisas a respeito do mesmo.


Keywords


Neoplasias dos genitais masculinos, Prevenção de doenças, Política de saúde.

References


ANDRADE, L. A. et al. Analise espacial e tendência da mortalidade por câncer de pênis em Sergipe, 2000 a 2015. v. 25, p. 1-14. Curitiba: Cogitare Enfermagem, 2020. Disponível em: Acesso em: 8 maio 2020.

ARAÚJO, J. F.; ZAGO, M. M. F. Masculinidades de sobreviventes de câncer de próstata: uma metassíntese qualitativa. v. 72, n. 1, p. 240-249. São Paulo: Revista Brasileira de Enfermagem, 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

ARAÚJO, J. F.; NASCIMENTO, L. C.; ZAGO, M. M. F. Hegemonias corporificadas: dilemas morais no adoecimento pelo câncer de próstata. v. 53, p. 1-7. São Paulo: Revista da Escola de Enfermagem da USP, 2019. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342019000100476> Acesso: 10 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticos Estratégicos. Política nacional de atenção integral à saúde do homem (Princípios e Diretrizes). p. 1-40. Brasília: Ministério da Saúde, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer (INCA). Estimativa de Câncer no Brasil em homens, Brasil, 2020. Brasil: Instituto Nacional do Câncer, 2020. Disponível em: < https://www.inca.gov.br/numeros-de-cancer> Acesso em: 18 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer (INCA). Mortalidade proporcional não ajustada por câncer de pênis, homens, Brasil, entre 2000 e 2018.

Brasil: Atlas On-line de Mortalidade, 2018. Disponível em: < https://mortalidade.inca.gov.br/MortalidadeWeb/pages/Modelo01/consultar.xhtml#panelResultado> Acesso em: 11 maio 2020.

CARDOSO, R. N. et al. Educação como estratégias de prevenção do câncer de pênis. Estância: Anais da 18ª Semana de Pesquisa da Universidade Tiradentes, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

CHAVES, J. N. et al. Avaliação do conhecimento dos homens sobre câncer de pênis. v. 22, n. 43, p. 182-189. Rio de Janeiro: Revista Augustus, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

CONCEIÇÃO, V. M. et al. Determinantes sociais de pacientes com neoplasia peniana. v. 3, n. 1, p. 338-345. Recife: Revista de Enfermagem UFPE Online, 2019. Disponível em:. Acesso em: 10 maio 2020.

CORREIA, A. S. et al. Câncer de pênis: resultados e importância de uma campanha de prevenção. v. 3, n. 1, p. 628-638. Alagoas: Revista Portal: Saúde e Sociedade, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

COSTA, L. S.; TEIXEIRA, J. K. F.; CASTRO, S. F. F. Saberes e práticas do enfermeiro acerca do câncer de pênis. v. 7, n. 3, p. 2781-2795. Rio de Janeiro: Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

FIGLIUOLO, G. et al. Perfil clínico-epidemiológico associado a fatores de risco de pacientes com câncer de pênis atendidos em um Hospital de Referência Oncológica em Manaus. v. 11, n. 40, p. 60-65. Belo Horizonte: Revista Brasileira de Oncologia Clínica, 2015. Disponível em: Acesso em: 11 maio 2020.

GOMES, A. C. F. et al. Educação em saúde para prevenção do câncer de pênis: relato de experiência. v. 2, n. 4, p. 2948-2960. Curitiba: Brazilian Journal of health Review, 2019. Disponível em:< https://www.sboc.org.br/sboc-site/revista-sboc/pdfs/40/artigo1.pdf> Acesso em: 11 maio 2020

IZIDORO, L. C. R. et al. Qualidade de vida em homens submetidos à prostectomia: Revisão integrativa. v. 18, n. 1, p. 186-202. Lisboa: Psicologia, Saúde & Doenças, 2017. Disponível em: < http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000100016> Acesso em: 24 abr. 2020.

LINDOSO, G. S. et al. Epidemiologia e estratégias de prevenção do câncer de pênis no estado do Maranhão. v. 10, n. 3, p. 237-242. São Luís: Revista de Investigação Biomédica, 2018. Disponível em: Acesso em: 11 maio 2020.

MODESTO, A. A. D. et al. Um novembro não tão azul: debatendo rastreamento de câncer de próstata e saúde do homem. v. 22, n. 64, p. 251-262. Botucatu: Revista Interface Comunicação, Saúde, Educação, 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2020.

QUIJADA, P. D. S. et al. Qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com câncer de próstata. v. 8, n. 3, p. 1826-1838. Bucaramanga: Revista Cuidarte, 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

RAMOS, F. P. et al. Câncer de próstata: revisão geral da literatura acerca dos diversos aspectos da doença. Manhuaçu: Anais IV Seminário Científico da UNIFACIG, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

SACRAMENTO, R. S. et al. Associação de variáveis sociodemográficas e clínicas com os tempos para início do tratamento do câncer de próstata. v. 24, n. 9, p. 3265- 3274. Rio de Janeiro: Ciência & Saúde Coletiva, 2019. Disponível em: Acesso em: 24 Abr. 2020.

STEFFEN, R. E. et al. Rastreamento populacional para o câncer de próstata: mais riscos que benefícios. v. 28, n. 2, p. 1-12. Rio de Janeiro: Revista de Saúde Coletiva, 2018. Disponível em: < https://www.scielosp.org/pdf/physis/2018.v28n2/e280209> Acesso em: 11 maio 2020.

SIQUEIRA, M. F. C et al. Conhecimento de homens universitários sobre câncer de pênis e práticas preventivas. v. 4, n. 1. p. 92-112. Tangará da Serra: Journal Health NPEPS, 2019. Disponível em: Acesso em: 8 maio 2020.

VERAS, A. S. P. et al. Saúde preventiva com ênfase no câncer de próstata: uma revisão de literatura. v. 54, n. 1, p. 59-71. Maringá: Revista Uningá, 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2020

WIND, M. M. et al. Câncer de pênis: aspectos epidemiológicos, psicológicos e fatores de risco. v. 5, n. 9, p. 14613-14623. Curitiba: Brazilian Journal of Development, 2019. Disponível em:< http://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/3137> Acesso em: 11 maio 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-146

Refbacks

  • There are currently no refbacks.