A naturalização da violência contra a mulher / The naturalization of violence against women

Nathaly Cristina Fernandes, Carolina dos Santos Jesuino da Natividade

Abstract


O presente trabalho trata da questão da naturalização da violência contra a mulher, nele objetivou-se de modo geral refletir sobre os processos que naturalizam e promovem a violência contra a mulher, especificadamente destacar quais fatores promovem essa violência com base em construções sociais sobre gênero e sexualidade; Analisar aspectos da cultura que perpetuam e/ou validam a violência contra a mulher. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica em que foram utilizadas como fontes científicas livros, mapas da violência, revistas e indexados nas bases de dados Scielo (Scientific Electronic Library Online), Pepsic (Periódicos Eletrônicos de Psicologia) e BVS (Biblioteca Virtual em Saúde). Concluímos a partir dessa pesquisa que a naturalização da violência contra a mulher está apoiada a diversas construções históricas, como o patriarcado, o sexismo, o machismo, a misoginia e a cultura do estupro, que perpetuam e/ou validam essa violência, tomando como naturais situações de desigualdade de poder. Muitas vezes a violência contra a mulher é banalizada, o que reforça a ideia de que a violência   contra mulheres seja tolerada, a aceitação e reprodução de tais atitudes fazem com que situações de violência sejam vistas como normais e/ou próprias da natureza masculina. As relações sociais de gênero construídas historicamente definem papéis e criam modelos a serem seguidos, limitando e oprimindo vidas há séculos.


Keywords


violência, gênero, machismo.

References


ALVES, Ângela Gilda; SILVA, Edinamar Aparecida Santos da; CESAR, Flaviane Cristina Rocha; BARSOSA, Maria Alves; RODRIGUEZ-MARTIN, Dolors; OLIVEIRA, Lizete Malagoni de Almeida Cavalcante; SOUZA, Sara Oliveira; COSTA, José André da. Análise teórico-epistêmica da violência baseada em gênero: a vulnerabilidade da mulher durante o distanciamento social. Brazilian Journal of Development., Curitiba, v. 6, n. 7, p. 47192-47200, jul. 2020.

ARAUJO, Maria de Fátima. Gênero e violência contra a mulher: o perigoso jogo de poder e dominação. Psicologia para América Latina. México, n. 14, out. 2008. Disponível em < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2008000300012 >. Acesso em 22 março 2018.

BIANCHINI, Alice. Os três contextos da violência de gênero: doméstico, familiar ou relação íntima de afeto, 2012. Disponível em:

. Acesso em 08 maio 2018.

COSTA, Renata Gomes da; SILVERA, Clara Maria Holanda; MADEIRA, Maria Zelma de Araújo. Relações de gênero e poder: tecendo caminhos para a desconstrução da subordinação feminina. 17º Encontro Nacional da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre a Mulher e Relações de Gênero. Paraíba: 2012.

DIAS, Monica Silva; COTRIM, Lívia Cristina Aguiar. Violência contra a mulher, ninguém mete a colher? Um estudo em área de manancial. Cordis: Revista Eletrônica de História Social da Cidade, Pesquisas, p. 281 – 297. 27 jan. 2015.

MESQUITA FILHO, Marcos; EUFRÁSIO, Cremilda; BATISTA, Marcos Antônio. Estereótipo de gênero e sexismo ambivalente em adolescentes masculinos de 12 a 16 anos. Saúde e sociedade. São Paulo. 2011. v. 20, n. 3. p. 554-567.

OLIVEIRA, Ana Carolina. Gondim de. A; COSTA, Mônica Josy Souza; SOUZA, Eduardo Sérgio Soares. Feminicídio e Violência de Gênero: Aspectos Sociojurídicos. Revista Online do CESED – Centro de Ensino Superior e Desenvolvimento. Vol. 16, nº 24/25, dez. 2015.

VIANA, Alba Jean Batista; SOUSA, Eduardo Sérgio Soares. O poder (in) visível da violência sexual: abordagens sociológicas de Pierre Bourdieu. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 45, n. 2, p. 155-183, jul./dez. 2014.

PINTO, Lucas Alencar ; BRAGA, Ana Elisa Linhares de Meneses. Mulheres em luta por direitos: Rompendo com o patriarcado. Revista Direito & Dialogicidade, v. v.6, p. 57-67,

SANTOS, Cecília MacDowell Santos. IZUMINO, Wânia Pasinato. Violência contra as Mulheres e Violência de Gênero: Notas Sobre Estudos Feministas no Brasil. Revista Estudios Interdisciplinários de America Latina y El Caribe. Israel, Vol. 16, no 1, 2005. Disponível em:

. Acesso em: 30 maio 2018.

SANTOS, Renata Bravo dos ; BUSSINGUER, Elda Coelho de Azevedo. A cultura do estupro e o poder disciplinar nos corpos femininos na perspectiva foucaultiana. 2017.

SANTOS, Simone Alves. Assédio sexual nos espaços públicos: reflexões históricas e feministas. História, Histórias, Brasília, v. 3, n. 6, p.27-41, jun. 2015.

SOUSA, Renata Floriano de. Cultura do estupro: prática e incitação à violência sexual contra mulheres. Revista Estudos Feministas [online]. 2017, vol.25, n.1, pp.9-29.

TONELI, Maria Juracy Filgueiras. Sexualidade, gênero e gerações: continuando o debate. In JACÓ-VILELA, AM., and SATO, L., orgs. Diálogos em psicologia social [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2012. p. 147-167.

TORRAO FILHO, Amílcar. Uma questão de gênero: onde o masculino e o feminino se cruzam. Cadernos Pagu, Campinas , n. 24, p. 127-152, Jun. 2005. Disponível em:

. Acesso em: 14 maio 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-145

Refbacks

  • There are currently no refbacks.