Características clínicas e epidemiológicas de pacientes com traumatismo facial: uma revisão integrativa da literatura / Clinical and epidemiological characteristics of patients with facial trauma: an integrative literature review

Francisco Carlos Soares da Silva Júnior, Filipe Augusto de Freitas Soares, Wilson Seraine da Silva Filho, Eutrópio Vieira Batista

Abstract


O objetivo geral deste trabalho foi descrever as características etiológicas de vítimas de traumas faciais à luz da literatura brasileira nos últimos 10 anos. Trata-se de um estudo de Revisão Integrativa da Literatura a partir de artigos científicos disponíveis na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e publicados entre os anos de 2010 a 2019. Após criteriosa leitura de cada artigo e das respectivas análises de conteúdo, foi possível a identificação de duas categorias temáticas: O perfil sociodemográfico do paciente acidentado e Etiologia dos Traumas de Face. Evidenciou-se que homens são os mais acometidos por traumatismos faciais, tendo como principais causas os acidentes automobilísticos, a violência interpessoal, esportes de contato e uso de bebidas alcóolicas. Conclui-se que traumatismos faciais são considerados graves, pois, na maioria das vezes desenvolvem relevantes disfunções fisiológicas e estéticas e por possuírem um papel de destaque nos atendimentos de emergência.


Keywords


Traumas, Traumas faciais, Epidemiologia.

References


BERNARDINO I.M; BARBOSA K.G.N; NOBREGA L.M; CAVALCANTE G.M.S; FERREIRA E.F; D’ AVILA S. Violência interpessoal, circunstâncias das agressões e padrões dos traumas maxilofaciais na região metropolitana de Campina Grande, Paraíba, Brasil (2008-2011). Ciência & Saúde Coletiva, 22(9):3033-3044, 2017. DOI: 10.1590/1413-81232017229.09852016

CARVALHO T.B.O; CANCIAN L.R.L; MARQUES C.G; PIATTO V.B; MANIGLIA J.V; MOLINA F.D. Seis anos de atendimento em trauma facial: análise epidemiológica de 355 casos / Six years of facial trauma care: an epidemiological analysis of 355 cases. Braz J Otorhinolaryngol.2010;76(5):565-74.

CAVALCANTE J.R; GUIMARÃES K.B; VASCONCELOS B.C.E; VASCONCELLOS R.J.H. Estudo epidemiológico dos pacientes atendidos com trauma de face no Hospital Antônio Targino - Campina Grande/Paraíba. Braz J Otorhinolaryngol. 2009;75(5):628-33.

CAVALCANTI A.L; ASSIS, K,M; CAVALCANTE J.R; XAVIER A.F.C. AGUIAR, Y.P.C. Traumatismos Maxilofaciais em Crianças e Adolescentes. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 12(3):439-45, jul./set., 2012.

CAVALCANTI A.L; LIMA I.J.D; LEITE R.B. - Perfil dos Pacientes com Fraturas Maxilo-Faciais. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 9(3):339-345, set./dez. 2009.

COSTA, M. C. F; CAVALCANTE G.M.S; NOBREGA L.M; OLIVEIRA P.A.P; CAVALCANTE J.R; D’ AVILA S. Traumatismos faciais em mulheres por mecanismos violentos e não violentos. Braz. j. otorhinolaryngol., São Paulo , v. 80, n. 3, p. 196-201, jun. 2014.

DA SILVA H.R; MELCHIORETTO E.F; BATISTA P.S; COLOMBO M.C.S.S. Perfil Epidemiológico do Trauma dentário e facial em Curitiba. Arch Oral Res. 2011 Sept/ Dec.;7(3):267-73.

HILDEBRAND, C.R; FILHO, F.T.S; ANTONIOLLI-SILVA, A.C.M.B; FONSECA, M.J.M. Fatores associados ao encaminhamento hospitalar de vítimas de trauma ortopédico. Perspectivas Experimentais e Clínicas, Inovações Biomédicas e Educação em Saúde. PECIBES, 2015, 1, 21-28 | 21

MARTINS JUNIOR, J.C; KEIM, F.S; SANTA HELENA, E.T. Aspectos epidemiológicos dos pacientes com traumas maxilofaciais operados no Hospital Geral de Blumenau, SC de 2004 a 2009. Arq. Int. Otorrinolaringol. / Intl. Arch. Otorhinolaryngol., São Paulo - Brasil, v.14, n.2, p. 192-198, Abr/Mai/Junho - 2010.

MELLO FILHO, F. V; RICZ, H. Modificações epidemiológicas do trauma facial e suas implicações. Braz. j. otorhinolaryngol., São Paulo , v. 80, n. 3, p. 187-188, jun. 2014.

NETO A.V.R.F; MACEDO J.L.S; SILVA R.V; DANTAS C.C.B; SANTOS C.P; VIEIRA P.B; CASTRO B.C.O; BOTELHO D.L. Epidemiologia da fratura de face de pacientes

atendidos no pronto socorro de cirurgia plástica do

Distrito Federal Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(2):227-31.

RAMPASO C.L; MATTIOLI T.M.F; SOBRINHO J.A; RAPOPORT A. Estudo epidemiológico das fraturas do côndilo da mandíbula. Rev. Bras. Cir. Cabeça Pescoço, v. 38, nº 1, p.19 - 21, janeiro / fevereiro / março 2009.

ROCHA, N.S.M, ANDRADE, J.R, JAYANTHI, S.K. Imagem no trauma de face. Rev Med (São Paulo). out.-dez.;90(4):169-73.2011.

RUBACK S.P, TAVARES J.M.A.B, LINS S.M.S.B, et al. Estresse e Síndrome de Burnout em Profissionais de Enfermagem que Atuam na Nefrologia: Uma Revisão Integrativa. Rev Fund Care Online. 2018 jul./set.; 10(3):889-899.DOI:http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i3.889-899

SANTOS C.M.L; MUSSE J.O; CORDEIRO I.S; MARTINS T.M.N. Estudo epidemiológico dos traumas bucomaxilofaciais em um hospital público de Feira de Santana, Bahia de 2008 a 2009. Revista Baiana de Saúde Pública. v.36, n.2, p.502-513 abr./jun. 2012.

SANTOS, L.F.S; FONSECA, J.M.A; CAVALCANTE, B.L.S; LIMA, C.M. Epidemiologia do trauma ortopédico em um serviço público. Cad. Saúde Colet., 2016, Rio de Janeiro, 24 (4): 397-403.

SCANNAVINO F.L.F; SANTOS F.S; NETO J.P.N; NOVO L.P. Análise epidemiológica dos traumas bucomaxilofaciais de um serviço de emergência. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac., Camaragibe v.13, n.4, p. 95-100 , out./dez. 2013.

SILVA J.J.L; LIMA A.A.A.S; DANTAS T.B; FROTA M.H.A; PARENTE R.V; LUCENA A.L.S.P. Fratura de mandíbula: estudo epidemiológico de 70 casos. Rev. Bras. Cir. Plást. 2011; 26(4): 645-8.

SILVA R.S; ROVEDA O; ROSA T.F; TORRIANI M.A. Fraturas mandibulares na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. RGO, Porto Alegre, v. 57, n.3, p. 329-334, jul./set. 2009.

SILVA, L.P; SILVA, R.O. Perfil epidemiológico dos pacientes vitimas de trauma ortopédico. 2019, 13f. Trabalho de conclusão de curso. (GRADUAÇÃO). Centro Universitário São Lucas. Curso de Bacharelado em Enfermagem. Porto Velho, 2019.

SIQUEIRA, A.S; SANTOS, M.D.S. Perfil epidemiológico de pacientes vítimas de trauma ortopédico atendidos no Hospital Universitário de Lagarto em Sergipe. Trabalho de conclusão de curso. (GRADUAÇÃO). Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Medicina de Lagarto. Curso de Bacharelado em Medicina. SERGIPE, 2018.

SOUZA D.F, SANTILI C, FREITAS R.R, AKKARI M, FIGUEIREDO M.J. Epidemiologia das fraturas de face em crianças num pronto-socorro de uma metrópole tropical. Acta Ortop Bras. [online]. 2010;18(6):335-8.

SOUZA M.T, SILVA M.D, CARVALHO R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 2010; 8(1 Pt 1):102-6

WÜNSCH, C.G; ARAÚJO, L.F.S; BELLATO, R. Elementos da atenção em saúde contribuintes para a cronificação do trauma ortopédico. Revista Baiana de Saúde Pública, DOI: 10.22278/2318-2660.2017. v41.n1.a2358.

ZAMBONI R.A; WAGNER J.C.B; WOLKWEIS M.R; GERHARDT E.L; BUCHMANN E.M; BAVARESCO C.S. Levantamento epidemiológico das fraturas de face do Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre – RS. Rev Col Bras Cir 2017; 44(5): 491-497. DOI: 10.1590/0100-69912017005011




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-133

Refbacks

  • There are currently no refbacks.