Composição florística e infraestrutura de viveiros localizados na cidade de Brejo Santo, Ceará / Floristic composition and infrastructure of nurseries located in the city of Brejo Santo, Ceará

Sheyla Henrique Morais Santana, Josefa Sayonara dos Santos, Jaqueline Silva Moura, Ana Carolina de Moura Pereira, Maria Amanda Menezes Silva, Wanessa Nepomuceno Ferreira

Abstract


Os viveiros são os grandes responsáveis pela produção de mudas utilizadas na arborização das cidades, assim, é importante que possuam infraestrutura adequada e evitem produzir mudas de espécies exóticas, diminuindo os riscos das invasões biológicas. Desse modo, o objetivo desse trabalho foi caracterizar a composição florística e a infraestrutura de dois viveiros (um público e um particular) localizados na cidade de Brejo Santo, Ceará. No levantamento florístico foram fotografadas todas as mudas de espécies arbóreo-arbustivas, que foram identificadas com auxílio de bibliografia especializada e classificadas quanto a origem. As informações sobre infraestrutura, produção de mudas e qualificação dos viveiristas foram obtidas através de entrevista com os responsáveis pelos viveiros. No viveiro público, foram registradas 22 espécies, distribuídas em 21 gêneros e 12 famílias; dentre as espécies identificadas 64% são nativas e 36% exóticas. Já no viveiro particular, foram registradas 16 espécies, distribuídas em 13 gêneros e 10 famílias; dentre as espécies identificadas 31% são nativas e 69% exóticas. Observou-se que nos dois viveiros a infraestrutura é limitada e não há técnicos e viveiristas qualificados. Assim, é importante que esses espaços sejam fiscalizados para que seus serviços sejam realizados de forma adequada, respeitando as leis e promovendo a valorização e a conservação da biodiversidade local.

Keywords


Viveiros, Infraestrutura, Plantas nativas e exóticas, Arborização.

References


AMATO-LOURENÇO, L. F.; MOREIRA, T. C. L.; ARANTES, B. L.; SILVA FILHO, D. F.; MAUAD, T. Metrópoles, cobertura vegetal, áreas verdes e saúde. Estudos Avançados, v. 30, n. 86, 113-130, 2016.

APG III. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 161, p. 105–121, 2009.

ARAÚJO, H. T. N.; BRITO, S. F.; PINHEIRO, C. L. A alelopatia aumenta o potencial invasor de Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. Enciclopédia Biosfera, v. 14, n. 25, p. 1–12, 2017.

BARROS, E. F. S.; GUILHERME, F. A. G.; CARVALHO, R. S. Arborização urbana em quadras de diferentes padrões construtivos na cidade de Jataí. Revista Árvore, v. 34, n. 2, p. 287-295, 2010.

BIONDI, D.; KISCHLAT, E. A vegetação urbana e a biodiversidade. Diálogo, n. 1, p.155-168, 2006.

BIONDI, D.; LEAL, L. Caracterização das plantas produzidas no Horto Municipal da Barreirinha - Curitiba / PR. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 3, n. 2, p. 20-36, 2008.

CALIXTO JÚNIOR, J. T.; SANTANA, G. M.; LIRA FILHO, J. A. Análise quantitativa da arborização urbana de Lavras da Mangabeira, CE, Nordeste do Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 4, n. 3, p. 99-112, 2009.

CEARÁ, Lei estadual nº 16002, de 02 de maio de 2016 – Cria o programa de valorização de espécies nativas. SEMACE. Quixadá, 2016.

EDSON-CHAVES, B.; DANTAS, A. G. B.; LIMA, N. S.; PANTOJA, L. D. M.; MENDES, R. M. D. S. Avaliação qualiquantitativa da arborização da sede dos municípios de Beberibe e Cascavel, Ceará, Brasil. Ciência Florestal, v. 29, p. 403-416. 2019.

FABRICANTE, J. R. Plantas exóticas e exóticas invasoras da Caatinga. Florianópolis: Bookess, 2014.

GONÇALVES, E. O.; PAIVA, H.N.; GONÇALVES, W.; JACOVINE, L. A. G. Diagnóstico dos viveiros municipais no estado de Minas Gerais. Ciência Florestal, v. 14, n. 2, p. 1-12, 2004.

GONÇALVES, E. O. Diagnóstico dos viveiros municipais no estado de Minas Gerais e avaliação da qualidade de mudas destinadas à arborização urbana. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2002.

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ. Secretaria do Planejamento e Coordenação (SEPLAN) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Perfil Básico Municipal – Brejo Santo. Fortaleza, CE: SEPLAN, 2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e estatística. Primeiros resultados definitivos do Censo 2010: população do Brasil é de 190.755.799 pessoas. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/noticias.

LEÃO, T. C. C.; ALMEIDA, W. R.; DECHOUM, M.; ZILLER, S. R. Espécies Exóticas Invasoras no Nordeste do Brasil: Contextualização, Manejo e Políticas Públicas. Recife: Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste e Instituto Hórus de Desenvolvimento e Conservação Ambiental, 2011.

LUNDGREN, W. J. C.; SILVA, L. F.; ALMEIDA, A. Q. Influência das espécies exóticas arbóreas urbanas na área de cobertura da cidade de Serra Talhada–PE. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v. 8, n. 3, p. 96-107, 2013.

MORO, M. F.; WESTERKAMP, C. The alien street trees of Fortaleza (NE Brazil):

qualitative observations and the inventory of two districts. Ciência Florestal, v. 21, p. 789-798, 2011.

MOURA, I. A.; LOPES, R. M. B. P.; NASCIMENTO, J. F.; SILVA, I. B.; THOMAS, H. Y.; SILVA, M. C. D. Arborização de Quitaiús, Lavras da Mangabeira, Ceará, Nordeste do Brasil: levantamento quantitativo. Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 5: Congestas. ISSN 2318-7603. 2017.

MOURA, J. S. Arborização urbana: inventário e percepção da população no do Município de Brejo Santo - CE. Monografia (Graduação) – Universidade Federal do Cariri, Instituto de Formação de Educadores, Curso de Licenciatura Interdisciplinar em Ciências Naturais e Matemática, Brejo Santo, 2019.

OLIVEIRA, A. S. Influência da vegetação arbórea no microclima e uso de praças Públicas. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Física, Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental, Cuiabá, 2011.

OLIVEIRA NETO, N. E.; FONSECA, C. R.; CARVALHO, F. A. O problema das espécies arbóreas exóticas comercializadas nos viveiros florestais: Estudo de caso no município de Juiz de Fora (MG). Revista de Biologia Neotropical/Journal of Neotropical Biology, v. 11, n. 1, p. 28-46, 2014.

BORGES, J. D.; VENTUROLI, F.; CALIL, F. N.; BARREIRA, S.; SETTE JÚNIOR, C. R. Viveiros florestais: projeto, instalação, manejo e comercialização. Brasília: Rede de Sementes do Cerrado, 2011. 27 p

RIBEIRO, F. A. B. S. Arborização urbana em Uberlândia: percepção da população. Revista da Católica, v. 1, n. 1, p. 224-237, 2009.

RICHARDSON, D. M.; PYŠEK, P.; REJMÁNEK, M.; BARBOUR, M. G.; PANETTA, F. D.; WEST, C. J. Naturalization and invasion of alien plants: concepts and definitions. Diversity and distributions, v. 6, n. 2, p. 93-107, 2000.

RUFINO, M. R.; SILVINO, A. S.; MORO, M. F. Exóticas, exóticas, exóticas: reflexões sobre a monótona arborização de uma cidade brasileira. Rodriguésia, v. 70, e03562017, 2019.

SAMPAIO, A. B.; SCHMIDT, I. B. Espécies exóticas invasoras em unidades de conservação federais do Brasil. Biodiversidade Brasileira-BioBrasil, v. 3, n. 2, p. 32-49, 2013.

ZEA, C. J. D.; BARROSO, R. F.; SOUTO, P. C.; SOUTO, J. S.; NOVAIS, D. B. Levantamento da Arborização Urbana de Santa Helena, no Seminário do Paraíba. Anais do Congresso Brasileiro de Arborização Urbana, Rio de Janeiro. v.11, n.4, p.53-62, 2014.

ZITIER, S. R. Plantas exóticas invasoras: A ameaça da contaminação biológica. Ciência Hoje, v. 30, p.77-79, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-076

Refbacks

  • There are currently no refbacks.