Os impactos ambientais em decorrência da interferência negativa humana arrazoada pelo progresso econômico / Environmental impacts due to human negative interference drawn up by economic progress

Ledyane Munique Rosa de Melo, Helena Novak Manrique, José Henrique Rodrigues Machado, Hamilton Afonso da Silva

Abstract


Esse artigo aborda como temas centrais os impactos ambientais ocasionados pela interferência humana no meio ambiente e suas práticas de acumulação de lucro, pelo desenvolvimento econômico, que em sua consecução intervém diretamente nos recursos naturais. Ambos são ainda paradoxais para alguns, portanto é de suma importância o debate, inclusive como forma de reflexão e conscientização, pois é certo que são necessárias medidas eficazes de contenção dessas práticas impulsionadas pelo crescimento econômico, caso contrário o futuro será de penúria e escassez. Por meio de revisão bibliográfica, com dados científicos, será abordado como objetivo central as atividades humanas em busca do progresso econômico e os impactos gerados no meio ambiente. Para tanto, de modo específico será tratado sobre: Os impactos ao meio ambiente no contexto pós-segunda guerra mundial até a elaboração e discussão do contexto de sustentabilidade; a degradação ambiental resultante do modelo de crescimento econômico mundial e as consequências ao planeta e a vida humana e sobre a consciência ecológica, educação ambiental, atuação da coletividade e mudança no comportamento humano. As considerações finais trazem um arremate, com a reflexão final sobre a necessidade urgente de adoção de um novo comportamento em busca de um futuro melhor a natureza e a vida humana.


Keywords


Impactos ambientais, Desenvolvimento Econômico, Sustentabilidade, Consciência Ecológica.

References


BRUNACCI, A.; PHILIPPI JR. A. Dimensão Humana do Desenvolvimento Sustentável. In: PHILIPPI JR. A.; PELICIONI. A (org.) Educação Ambiental e Sustentabilidade. 2 ed. São Paulo: Manole, 2014, p. 307-333.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constituiçao.htm. Acesso em: 17 nov. 2019.

CHESNAIS, F. Alguns marcos teóricos e políticos para a construção de uma postura ecológica revolucionária. In: LENA, P.; NASCIMENTO, E. P. (org.). Enfrentando os limites do crescimento. Rio de Janeiro: Garamond, 2012, p. 157-169.

HARVEY, D. A Teoria Marxista do Estado. In: HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005. p.74-92.

HARVEY, David. A geografia da acumulação capitalista: Uma reconstrução da Teoria Marxista. In: HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005. p. 42-71.

IANNI, O. Globalização e Diversidade. In: IANNI, O. A era do globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997. p. 07-35

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 189-205, mar. 2003.

LEFF, H. Globalização, ambiente e sustentabilidade no desenvolvimento. In: LEFF, H. (org.) Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 11 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2015, p. 15-31.

LÉNA, P; NASCIMENTO, E. P. Os limites do crescimento econômico e a busca pela sustentabilidade: uma introdução ao debate. In: LENA, P.; NASCIMENTO, E. P. (org.). Enfrentando os limites do crescimento. Rio de Janeiro: Garamond, 2012, p. 23-43.

LOWY, M.. Crise ecológica e crise de civilização: a alternativa ecossocialista. In: LENA, P.; NASCIMENTO, E. P. (org.). Enfrentando os limites do crescimento. Rio de Janeiro: Garamond, 2012, p. 147-156.

MUCCI, J. L. N.. A. Introdução às Ciências Ambientais. In: PHILIPPI JR. A.; PELICIONI. (org.) Educação Ambiental e Sustentabilidade. 2 ed. São Paulo: Manole, 2014, p. 15-36.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração de Estolcomo sobre o ambiente humano. [1972] In: Anais Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano.

MILARÉ, E. Reação jurídica à danosidade ambiental: Contribuição para o delineamento de um microssistema de responsabilidade, 2016. Dissertação (Doutorado em Direito das Relações Sociais) – Faculdade de Direito, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.

PELICIONI, M. C.; PHILIPPI Jr., A. Bases Políticas, Conceituais, Filosóficas e Ideológicas da Educação Ambiental. In: PELICIONI, M. C. F; PHILIPPI JR. A. (org.) Educação Ambiental e Sustentabilidade. 2 ed. São Paulo: Manole, 2014, p. 3-12.

PINDYCK, R. S; RUBINFELD, D. Microeconomia. São Paulo: Makron Books, 1999.

RIVELLI, E. A. L. Evolução da Legislação Ambiental no Brasil: Políticas de Meio Ambiente, Educação Ambiental e Desenvolvimento Urbano. In: PHILIPPI JR. A.; PELICIONI. A (org.) Educação Ambiental e Sustentabilidade. 2 ed. São Paulo: Manole, 2014, p. 335 -353.

SANTOS, F. R.. Manuscritos Econômicos e Filosóficos de Paris: A Alienação do Trabalhador. Revista Sodebras, v. 10, n. 115, p. 144 - 147, jun, 2015.

THEODORO, S. H.; LEONARDOS, O. H.; DUARTE, L.M.G. Dilemas do Cerrado: entre o ecologicamente (in)correto e o socialmente (in)justo. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-063

Refbacks

  • There are currently no refbacks.