Memórias e histórias de mulheres-professoras da educação infantil da rede municipal de educação de Belo horizonte-MG / Memories and stories of women teachers of early childhood education of the municipal network of education of Belo Horizon-MG

Rúbia Germano, Sandra Pereira Tosta

Abstract


Este artigo apresenta resultados parciais da pesquisa de dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local do Centro Universitário UNA. A dissertação foi concluída em 2020 e buscou compreender os modos como três professoras da educação infantil da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte-MG construíram sua identidade profissional e permaneceram na docência, por meio dos procedimentos da história oral de vida, metodologia qualitativa baseada na coleta de depoimentos orais que ocorreram em 2019. Com os resultados obtidos, foi possível concluir que a constituição identitária e permanência na docência das mulheres-professoras tem estreita ligação com as socializações primárias, secundárias e com a construção dos papéis sociais, podendo ser articuladas a cinco categorias: a) valores familiares; b) o brincar; c) o lugar do trauma e a resistência em repetir essas aprendizagens; d) os processos de escolarização; e) consciência de si e desejos na atuação docente. Tais resultados poderão contribuir para a formação continuada de professores e autoproduções em torno da gestão social e desenvolvimento local.


Keywords


Professoras, Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte, História oral de vida, Identidade, Educação Infantil.

References


ABRANTES, Pedro. Para uma teoria da socialização. Sociologia, Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. v. XXI, p. 121-189, 2011. Disponível em: https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/9864.pdf. Acesso em: 19 dez 2019.

ARROYO, Miguel González. Imagens quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. Petrópolis: Vozes, 2014.

ARROYO, Miguel González. Ofício de Mestre: imagens e autoimagens. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

COHN, Clarice. Antropologia da Criança. São Paulo: Jorge Zahar, 2005.

DUBET, François; MARTUCCELLI, Danilo. A socialização e a formação escolar. Lua Nova, São Paulo, n. 40-41, p. 241-266, ago. 1997. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64451997000200011&lng=en&nrm=iso. Acesso em 19 dez. 2019.

LANE, Silvia Tatiana Maurer. O que é psicologia social. Ed. Brasiliense, 2006.

FILHO, Altino José Martins. Práticas de socialização entre adultos e crianças, e estas entre si, no interior da creche. Pro-Posições, Campinas, v. 19, n. 1, p. 97-114, abr. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73072008000100014&lng=en&nrm=iso. Acesso em 06 jan. 2020.

MELO, Patrícia Eliane de. Na Urdidura da História, Vozes de Mulheres-Professoras: Compondo identidades de gênero - Santo Antônio do Monte (1950-1990). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Belo Horizonte, p. 63-77. 2002. Disponível em: http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Educacao_MeloPE_1.pdf. Acesso em 20 mar. 2019.

NOGUEIRA, Marlice de Oliveira e. Efeito pai professor: o impacto da profissão docente na vida escolar dos filhos. Revista Brasileira de Educação [online]. v. 18, n. 52, p. 65 – 79, jan.-mar. 2013. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782013000100005&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em 06 jan. 2020.

RIVERO, Andréa Simões; ROCHA, Heloísa Acires Candal. A brincadeira e a constituição social das crianças em um contexto de educação infantil. Revista Brasileira de Educação [online]. v. 24, p. 01 – 23, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782019000100242&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em 06 jan. 2020.

ROCHA, Gilmar.; TOSTA, Sandra Pereira. Antropologia & Educação. Belo Horizonte. 2. Ed. Autêntica Editora, 2013.

SCHEIBE, Leda. Formação dos profissionais da educação pós-LDB: vicissitudes e perspectivas. In. VEIGA, Ilma Passos Alencastro; AMARAL, Ana Lúcia (Org.). Formação de Professores: políticas e debates: Campinas: Papirus, 2002.

SETTON, Maria da Graça Jacintho. A particularidade do processo de socialização contemporâneo. Tempo Social. v. 17, n. 2, p.335-350, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702005000200015 Acesso em 19 dez. 2019.

STRAUSS, Lévi. As estruturas elementares do parentesco. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

TOSTA, Sandra Pereira. Cruzando Fronteiras: entre a antropologia e a educação no Brasil e na Argentina. Pro-posições, Campinas, v. 24, p. 95-107, mai-ago 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73072013000200008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 14 mai. 2019.

TOSTA, Sandra Pereira. Antropologia e educação: culturas e identidades na escola. Revista Internacional de Investigación en Educación Mágis, Bogotá, p. 413-431, 06 abril 2011. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/308924805/Antropologia-e-Educacao-Culturas-e-Identidades. Acesso em 18 abr. 2019.

VARKEY FOUNDATION. Índice Global Teacher Status. Reino Unido: 2018. Disponível em: https://www.varkeyfoundation.org. Acesso em 09 fev. 2020.

VIANNA, Maria José Braga. As práticas socializadoras familiares como locus de constituição de disposições facilitadoras de longevidade escolar em meios populares. Educação & Sociedade. vol. 26, n. 90, p. 107-125, jan./abr. 2005 Disponível em http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 06 jan. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-057

Refbacks

  • There are currently no refbacks.