Avaliação teórica das propriedades farmacocinéticas, fisico-químicas e farmacodinâmicas do composto isolado de Valeriana Officinalis em transtorno de ansiedade / Theoric evauliation of pharmacokinectis, phisicochemistry and pharmacodinamics of isolate compound from Valerian Officinalis in anxiety disorders

João Alberto Lins de Lima, Marielena Rodrigues da Silva, Caio José Anselmo de Lima, Maria Milânia de Amorim Francelino Silva, Marcos Antônio da Silva Araújo, Francisco Henrique da Silva, Arnon de Melo Andrade Júnior, Renata Janaína Carvalho de Souza

Abstract


Objetivo Descrever as propriedades farmacocinéticas, físico-químicas e farmacodinâmicas de compostos isolados da Valeriana officinalis em transtornos de ansiedade, destacando a escolha desta planta até sua incorporação como fitoterápico, através de seus constituintes. Método: Foi realizado uma revisão bibliográfica através de artigos científicos e periódicos publicados em inglês e português indexados nas bases de dados Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Scientific Library Online (Scielo), LILACS e NCBI. Além disso, foi realizado uma descrição das propriedades físico-químicas, farmacocinéticas e farmacodinâmicas utilizando-se as ferramentas SwissADME e SwissTarget presentes na plataforma de bioinformática suíça (Swiss). Resultados: A Valeriana officinalis é mais comumente usada devido a sua eficiência para o tratamento de distúrbio de ansiedade e do sono. Foram feitos estudos fitoquímicos e farmacológicos que identificaram a presença de uma variedade de metabólitos supostamente responsáveis pelas suas atividades, sendo o valeprotriato, substâncias derivadas do ácido valerênico (AV) e produtos do óleo essências constituintes majoritários provavelmente associados as ações depressoras do SNC, visto que estudos experimentais feito com diferentes espécies de valeriana não confirmam que esta atividade esteja atribuída diretamente a estes compostos. A avaliação dos diferentes perfis farmacológicos demonstrou a importância da espécie no transtorno de ansiedade. Conclusão: O Brasil é o país que possui a maior taxa de pessoas que sofrem com esse transtorno no mundo. A valeriana officinalis é uma a alternativa aos medicamentos sintéticos, causando menos efeitos colaterais ao paciente e por ser um medicamento de fácil acesso, a orientação do profissional farmacêutico é fundamental para a melhor adesão da terapia. O uso de ferramentas analíticas permitiu um entendimento melhor acerca das características pertinentes a esta planta de interesse farmacológico.

Keywords


Ansiolíticos, Transtornos de ansiedade, Valeriana officinalis.

References


AL-ATTRAQCHI, Omar HA; DEB, Pran K.; AL-ATTRAQCHI, Noor Husham Ahmed. Review of the Phytochemistry and Pharmacological Properties of Valeriana officinalis. Current Traditional Medicine, v. 6, n. 4, p. 260-277, 2020.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Memento Fitoterápico, Farmacopeia Brasileira 1° edição. Brasília. 2016.

BARA, M. T. F.; RIBEIRO, P. A, ARANTES, M. D. C. B.; AMORIM, L. L. S. S.; PAULA, J. R. D. Determinação do teor de princípios ativos em matérias-primas vegetais. Revista. Brasileira. Farmacognosia, v. 16, n. 2, p. 211-215, 2006.

BARNES, J.; ANDERSON, L. A.; PHILLIPSON, J. D. Herbal medicines. Pharmaceutical Press, 2007.

BOS. R.; WOERDENBAG H. J.; HENDRIKS, H.; ZWAVING, J. H.; DE SMET, P. A. G. M.; TITTEL, G.; WIKSTRÖM, H. V.; SCHEFFER, J. J. C. Analytical aspects of phytotherapeuticvalerian preparations. Phytochem Anal, v. 7, p.143 –51, 1996.

COSTA, A. N. B. Padronização de excipientes para manipulação de cápsulas gelatinosas duras contendo extrato seco de valeriana (valeriana officinalis), produzidas no projeto farmácia viva em Sobral-CE. Infarma-Ciências Farmacêuticas, v. 28, n. 2, p. 105-112, 2016.

DOYLE, Timothy M. et al. Activation of sphingosine-1-phosphate receptor subtype 1 in the central nervous system contributes to morphine-induced hyperalgesia and antinociceptive tolerance in rodents. Pain, v. 161, n. 9, p. 2107-2118, 2020.

DUREJA, H.; KAUSHIK, D.; KUMAR, V. Developments innutraceuticals. Indian journal of pharmacology, v. 35, n. 6, p. 363-372, 2003.

FAUSTINO, T. T.; ALMEIDA, R. B.; ANDREATINI, R. Plantas medicinais no tratamento do transtorno de ansiedade generalizada: uma revisão dos estudos clínicos controlados. Revista Brasileira Psiquiatria, v. 32, n. 4, p. 429-36, 2010.

FERNÁNDEZ, S.; WASOWSKI, C.; PALADINI, A. C.; MARDER, M. Sedative and sleep-enhancing properties of linarin, a flavonoid-isolated from Valeriana officinalis. Pharmacology Biochemistry and Behavior, v. 77, n. 2, p. 399-404, 2004.

GINSBURG, Golda S. et al. School-based treatment for anxiety research study (STARS): a randomized controlled effectiveness trial. Journal of abnormal child psychology, v. 48, n. 3, p. 407-417, 2020.

GOMES, ELISA FRAGA. Importância da Assistência e da atenção farmacêutica aplicada a pacientes com transtornos mentais. 2013.

HAUSER, Kurt F.; KNAPP, Pamela E. Opiate drugs with abuse liability hijack the endogenous opioid system to disrupt neuronal and glial maturation in the central nervous system. Frontiers in pediatrics, v. 5, p. 294, 2018.

HÖLZL, Josef. The pharmacology and therapeutics of Valeriana. In: Valerian. Routledge, 2017. p. 55-76.

JACOBO-HERREIRA, N. J.; VARTIAINEN, N.; BREMMER, P.; GIBBONS, S.; KOISTINAHO, J.; HEINRICH, M. NF-kB modulators from Valeriana officinalis. Phytotherapy research, v. 20, p. 917-919, 2006.

KHOM, S.; BABURIN, I.; TIMIN, E.; HOHAUS, A.; TRAUNER, G.; KOPP, B.; HERING, S.Valerenic acid potentiates and inhibits GABAA receptors: molecular mechanism and subunit specificity. Neuropharmacology, v. 53, n. 1, p. 178-187, 2007.

MANAYI, Azadeh et al. Natural terpenoids as a promising source for modulation of GABAergic system and treatment of neurological diseases. Pharmacological Reports, v. 68, n. 4, p. 671-679, 2016.

NANDHINI, S.; NARAYANAN, K. B.; ILANGO, K. Valeriana Officinalis: a review of its traditional uses, phytochemistry and pharmacology. Asian J Pharm Clin Res, v. 11, n. 1, p. 36-41, 2018.

SOUSA, R F.; OLIVEIRA, Y. R.; CALOU, I. B. F. Ansiedade: aspectos gerais e tratamento com. enfoque nas plantas com potencial ansiolítico. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, v. 11, n. 1, 2018.

UPTON, R. Valerian Root Valeriana Officinalis Analytical, Quality Control, and Therapeutic Monograph. Santa Cruz, CA: American Herbal Pharmacopoeia (AHP), 1999.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Depression and other common mental disorders: global health estimates. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-051

Refbacks

  • There are currently no refbacks.