Influência sazonal da qualidade do ar na área urbana de Irati-PR: Bioensaios de genotoxicidade ambiental com Tradescantia clone 4430 / Seasonal influence of air quality in the urban area of Irati-PR: Environmental genotoxicity bioassays with Tradescantia clone 4430

Leatrice Talita Rodrigues, Nilton Cesar Pires Bione, Paulo Costa de Oliveira Filho, Viviane Fernandes de Souza, Artur Lourival da Fonseca Machado

Abstract


 O desenvolvimento industrial trouxe progresso para área urbana, contudo trouxe também a elevação na emissão de agentes tóxicos para a atmosfera, como o SO2, NOx, CO e materiais particulados (MP) em suspensão. Estes poluentes advindos tanto das indústrias como dos veículos automotores podem desencadear alterações genéticas em diferentes organismos. Para monitorar estas alterações, são utilizados organismos sensíveis aos diferentes poluentes que atuam com bioindicadores de poluição ambiental. Neste trabalho, foi realizado o bioensaio de mutação em pelo estaminal (Trad-SHM) em exemplares de Tradescantia clone 4430. Objetivou-se monitorar a qualidade do ar da área urbana do município de Irati-PR, através do monitoramento em quatro pontos pré-definidos e durante cada período sazonal, entre os meses de agosto/2017 e março/2018. Os resultados mostraram que houve maior alteração genotóxica nos dois pontos onde há maior circulação de veículos automotores e no período de inverno, onde há menos ocorrências de chuvas e maior concentração dos poluentes na atmosfera devido à inversão térmica. A análise estatística que relacionou a influência do uso e ocupação do solo com o índice de poluição atmosférica mostrou que houve forte correlação (CCC=0,83) entre as variáveis, ou seja, onde há menos cobertura vegetal, há mais poluentes dispersos na atmosfera. Com isso, observa-se a importância da manutenção de áreas verdes no perímetro urbano que contribui com uma melhor qualidade do ar e consequente melhor para a qualidade de vida da população.


Keywords


Biomonitoramento de poluição atmosférica, Estudo de mutagênese, Interpretação de imagens orbitais, Análise de proximidade.

References


ALVES, E.S.; GIUSTI. P.M.; DOMINGO, M.; ARISA, SALDIVA, P.H.N.; GUIMARÃES, E.; LOBO, D. Estudo anatômico foliar do clone híbrido 4430 de Tradescantia: alterações decorrentes da poluição aérea urbana. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, V.24, n.4 (suplemento), p.567-576, 2001.

ALVES, C. D. Biomonitoramento da qualidade do ar com Tradescantia pallida (Rose) D.R.Runt no campus da Universidade do Extremo Sul Catarinense no município de Criciúma, Santa Catarina, Brasil. 2017. 38 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Biológicas) – Universidade Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2017.

BARROSO, L.P.; ARTES, R. Análise multivariada. Lavras: UFLA, 2003. 151 p.

BUCCHERI FILHO, A. T.; TONETTI, E. L.; Qualidade ambiental nas paisagens urbanizadas. In: Planejamento da Paisagem como subsídio para a participação popular no desenvolvimento urbano. Estudo aplicado ao bairro de Santa Felicidade – Curitiba/PR. / Organização de João Carlos Nucci. Curitiba: LABS/DGEOG/UFPR, 2010, p. 14-25. Disponível em www.geog.ufpr.br/laboratorios/labs/?pg=publicacoes-php Acesso em: 15 ago. 2018.

BRANCO, S. M.; MURGEL, E.; Poluição do ar; 2. ed.; Moderna: São Paulo, 2004. 112 p.

CALLEGARI-JACQUES, S. M. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artemed, 2003. 255p.

CAMPOS JUNIOR, E. O.; KERR, W. E. Teste de micronúcleo com Tradescantia pallida aplicado ao Biomonitoramento da qualidade do ar da cidade de Uberlândia. Horizonte Científico, Uberlândia, v. 3, n. 8, p. 1-18, 2009.

CARNEIRO, R. M. A. Bioindicadores vegetais de poluição atmosférica: uma contribuição para a saúde da comunidade, 2004. Dissertação (Mestrado em Enfermagem em Saúde Pública) Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 169 p.2004.

CARNEIRO, M. F. H.; RIBEIRO, F. Q.; FERNANDES-FILHO, F. N.; LOBO, D. J. A.; BARBOSA JR., F.; RHODEN, C. R.; MAUAD, T.; SALDIVA P. H. N.; CARVALHO-OLIVEIRA, R. Pollen abortion rates, nitrogen dioxide by passive diffusive tubes and bioaccumulation in tree barks are effective in the characterization of air pollution. Environmental and Experimental Botany, Oxford, v. 75, n. 2, p. 272-277, 2011.

CEPAGRI – Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas a Agricultura. Vendavais. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

CHIQUETTO, J. B.; YNOUE, R. Y.; CABRAL-MIRANDA, W. SILVA, M. E. S. Concentrações de ozônio troposférico na Região Metropolitana de São Paulo e a implementação de parques urbanos: observações e modelagem. Boletim Paulista de Geografia, v. 95, p. 1-24, 2016.

CLAXTON, L.D.; MATTHEWS, P.P.; WARREN, S.H. The genotoxicity of environment outdoor air, a review: Salmonella mutagenicity. Mutation Research 567: 347-399, 2004.

COLTRO, E. M.; MIRANDA, G. M. Levantamento da arborização urbana pública de Irati-PR e sua influência na qualidade de vida de seus habitantes. Revista Eletrônica Lato Sensu, v. 2, n. 1, p. 27-48, 2007.

CRUZ, C. D.; CARNEIRO, P. C. S. Modelos Biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa: UFV, 2006. 585 p.

FREEDMAN, B.. Environmental ecology. Academic Press Inc. 2a ed. San Diego. 1995.

GRANT, W. F.; LEE, H. G.; LOGAN, D. M.; SALAMONE, M. F. The use of Tradescantia and Vicia faba bioassays for the in situ detection of mutagens in an aquatic environment. Mutation Research. v. 270, p. 53-64, 1992.

GRANT, W. F. Higher Plant Assays for the Detection of Genotoxicity in Air Polluted Environments. Ecosystem Health, New York, v. 4, n. 4, p. 210-229, 1998.

HOUGH, M. Naturaleza y ciudad: planificacion urbana y processos ecologicos. Barcelona: G. Gilli, 1998. 315 p.

IAPAR – Instituto Agronômico do Paraná. Cartas climáticas do Paraná: classificação climática segundo Köppen. IAPAR, 2000 Disponível em:

, e . Acesso em: 15 jun.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades: Irati-PR. IBGE, 2016. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/irati/panorama>. Acesso em: 15 jun. 2018.

INMET – Instituto Nacional de Meteorologia. Dados Históricos. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

IRATI. Prefeitura Municipal de Irati-PR. Histórico. Disponível em: . Acesso em 15 jun. 2018.

IRATI. Lei Municipal nº 4231 de 20 de dezembro de 2016. Dispõe sobre o uso e a ocupação do solo urbano e rural no Município de Irati e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

EVERITT, B.S. Cluster analysis. London: Heinemann Educational Books, 1993. 122 p.

KAWANO, M. Desenvolvimento, validação e aplicação de um modelo matemático para dispersão de poluentes atmosféricos. 2003. 109f. Dissertação (Pós graduação em Engenharia Ambiental – Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2003.

KLUMPP, A.; ANSEL, W.; KLUMPP, G.; FOMIN, A. Um novo conceito de monitoramento e comunicação ambiental: a rede européia para a avaliação da qualidade do ar usando plantas bioindicadoras (Euro-Bionet). Revista Brasileira de Botânica 2001; 24(4):511-518.

LICCARDO, A.; BASSO, L. C.; PIMENTEL, C. S. Geodiversidade e educação não formal no município de Irati, PR – Brasil. Observatório Geográfico América Latina. 12p. 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2018.

MA, T. H. Tradescantia micronucleus (Trad-MCN) test of environmental clastogens, In: KOLBER, A. R., WONG, T. K., GRANT, L. D., DEWONKI, R. S. & HUGHES, T. J. (Eds). In vitro Toxicity Testing of Environmental Agents, Current and Future Possibilities, New York: Plenum, p.191-214. 1983.

MANLY, B. J. F. Randomization and regression methods for testing for associations with geographical, environmental and biological distances between populations. Research in Population Ecology, v. 28, n. 2, p. 201–218, 1986.

NUCCI, J. C. Qualidade Ambiental e Adensamento Urbano: um estudo de ecologia e planejamento da paisagem aplicado ao distrito de Santa Cecília (MSP). Curitiba: Edição do autor, 2008 (2ª ed.). 142p. Disponível em www.geog.ufpr.br/laboratorios/labs/?pg=publicacoes-php Acesso em: 15 ago. 2018.

PALOMO, P. J. S. La planificación verde em las ciudades. 1 ed. Barcelona: Gustavo Gili, 2005. 326p.

RODRIGUES, G. S.; MA, T. H.; PIMENTEL, D.; WEINSTEIN, L. H. Tradescantia bioassays as monitoring systems for environmental mutagenesis - a review. Critical Reviews in Plant Sciences. v. 16, n. 4, p. 325-359, 1997.

RODRIGUES, G. S. Bioensaios de Toxicidade Genética com Tradescantia. Jaguariúna (SP): Embrapa Meio Ambiente, Série Documentos. 1999. 56 p.

SAVÓIA, E. J. L. Potencial de para biomonitoramento da poluição aérea de Santo André – São Paulo, por meio do bioensaio Trad – MCN e do acúmulo foliar de elementos tóxicos. 2007. 102 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SAVÓIA, E. J. L. ;DOMINGOS, M.; GUIMARÃES, E. T.; BRUMATI, F.; SALDIVA, P. H. N. Biomonitoring genotoxic risks under the urban weather conditions and polluted atmosphere in Santo André, SP, Brazil, through Trad-MCN bioassay. Ecotoxicology and Environmental Safety, Santo André, v. 72, n. 1, p. 255-260, 2008.

SCHIRMER, W. N.; RUDNIAK, A. Avaliação das emissoes gasosas de diferentes tipos de combustíveis utilizados e seus impactos ambientais. Tecno-Lógica, v. 13, n. 1, p. 25-34, jan./jun. 2009.

SILVA, J.S. Efeitos genotóxicos em tétrades de Tradescantia pallida (Rose) D.R. Hunt var. purpurea induzidos por poluentes atmosféricos na cidade do Salvador-BA. Monografia (Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia. 2005.

SILVA DIAS, M.A.F. Inversão térmica. Pesquisa FAPESP. São Paulo, n.198, p.11, 2012.

SILVEIRA, R.B.; ALVES, M.P.A.; MURARA, P. Estudo de caracterização da direção predominante dos ventos no litoral de Santa Catarina. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CLIMATOLOGIA GEOGRÁFICA. Anais do 10º Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica. Curitiba: CoC-UGI, 2014. Disponível em: http://www.labclima.ufsc.br/files/2010/04/80.pdf. Acesso em: 15 jun. 2018.

SIMEPAR – Sistema Meteorológico do Paraná. Boletim Climatológico. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

SOUZA, K. R. Estimativas de emissões de gases poluentes por veículos automotores rodoviários nos municípios paulistas e sua relação com a saúde. 2017. 181f. Tese (Doutorado em Economia Aplicada), USP – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Piracicaba, 2017.

SPIRN, A. W. O Jardim de Granito: A Natureza no Desenho da Cidade. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1995.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-017

Refbacks

  • There are currently no refbacks.