A Relevância das Mídias Digitais em Educação na Concepção de Acadêmicos de um Curso de Licenciatura em Química / The Relevance of Digital Media in Education in the Conception of Academics of a Degree Course in Chemistry

Ismael Laurindo Costa Junior, Lili Mirian Gums Costa, Leticia Maria Effting, Cesar Augusto Kappes, Kevin Augusto Ferreira, Roberta Sofia de Alcântara Losso, Vanessa Séves Deister de Sousa

Abstract


O professor em formação ou acadêmico de um curso de licenciatura coloca-se como um ator onde são depositadas expectativas quanto a sua atuação no que se refere ao desenvolvimento de um senso crítico em relação a método tradicionalmente consolidado e a possibilidade de abertura para um novo panorama onde as mídias possam efetivamente fazer parte da rotina e escolar e servir de suporte para a aprendizagem. Nesse sentido, foi investigada a percepção de acadêmicos do curso de licenciatura em química da UTFPR, Campus Medianeira, quanto a relevância das mídias digitais e recursos tecnológicos como ferramentas em potencial para o ensino de química. Para esta finalidade realizou-se um estudo de campo no segundo semestre de 2017. Os sujeitos da pesquisa foram 144 alunos com matrícula regular. O instrumento de coleta de dados foi um questionário semiestruturado. A análise de dados obtidos nas questões objetivas compreendeu a tabulação e representação gráfica de categorias percentuais. Para as questões descritivas foi realizada a análise de conteúdo. Os resultados indicaram que os sujeitos dispõem de uma significativa familiaridade com mídias e recursos tecnológicos. Também foi observado que estes percebem a relevância do tema e que possuem a noção de que a apropriação destes recursos pode trazer contribuição para o ensino de química. No entanto, a formação efetiva sobre o tema é pouco ou superficialmente abordada ao longo do curso.


Keywords


Formação de Professores, Ensino de Química, Mídias, Recursos Tecnológicos.

References


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BENITE, A. M. C.; BENITE, C. R. M. O Computador no ensino de química: impressões versus realidade. Em foco as escolas públicas da Baixada Fluminense. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte), Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 320-339, 2008.

BRASIL. Ministério de Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares Nacionais: Parte III – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília, 1998.

CHASSOT, A. Educação conSciência. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2003.

DAROIT, L. O Ensino De Fenômenos Físicos Através Da Modelagem Matemática. X Encontro Gaúcho de Educação Matemática. 2009. Ijuí. RS. Disponível em: . Acesso em: 18. set. 2017.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNANBUCO, M. M. Ensino de ciências: Fundamentos e Métodos. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2009.

FREITAS, M. T. M.; NACARATO, A. M.; PASSOS, C. B.; FIORENTINI, D.; FREITAS, F. F.; ROCHA, L. P.; MISKULIN, R. S. O desafio de ser professor de matemática hoje no Brasil. In: FIORENTINI, D.; NACARATO, A. M. (Org.) Cultura, formação e desenvolvimento profissional de professores que ensinam matemática. São Paulo: Musa, 2005.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIORDAN, M. Computadores e linguagens nas aulas de Ciências. Ijuí: Unijuí, 2013.

GONÇALVES, T. O; GONÇALVES, T. V. O. Reflexões sobre uma prática docente situada: buscando novas perspectivas para a formação de professores. In: Geraldi, C. M. G.; Fiorentini, D.; Pereira, E. M. A.(org.) Cartografias do trabalho docente: professor (a) pesquisador (a). São Paulo: Mercado das Letra. 2007.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 7. Ed. São Paulo: Cortez, 2010.

INEP. Censo da educação superior 2012: resumo técnico, Brasília, 2014.

KENSKI, V. M. O Ensino e os recursos didáticos em uma sociedade cheia de tecnologias. In VEIGA, Ilma P. Alencastro (org). Didática: o Ensino e suas relações. Campinas, SP: Papirus, 1996.

LEMOS, A. Cibercultura, tecnologia e vida social contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002.

LIMA, L. M.; BIANCHINI, A. R. Seletividade E/Ou Democratização Da Educação Superior Em Tempos Do Sisu. Revista de Políticas Públicas, v. 21, n. 1, p. 495, 2017.

MAHEU, Cristina M. T. Decifra-me ou te devoro: o que pode o professor frente ao manual escolar? Tese. (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

MARQUES, K. M. G. M. Utilização Das TICs Pelos Professores De Ciências Da Cidade De Maputo. Dissertação. (Mestrado em Educação). Universidade de Lisboa. 2009 Disponível em:< http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/3411/1 /ulfc055567_tm_katia_marques.pdf> Acesso em: 26.jun.2017.

MAZZETTO, S. E.; BRAVO, C. C.; CARNEIRO, S. Licenciatura em Química da UFC: perfil sócio-econômico, evasão e desempenho dos alunos. Quím. Nova, São Paulo, v. 25, n. 6b, p. 1204-1210, Dec. 2002.

MILARE, T.; WEINERT, P. L. Perfil e perspectivas de estudantes do curso de licenciatura em química da UEPG. Quím. Nova, São Paulo, v. 39, n. 4, p. 522-529, May 2016.

MIRANDA, G. Limites e possibilidades das TIC na educação. Sísifo, (3), 41-50. 2007.

MORAN, J. M.; MASETTO, M.T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 6. ed. Campinas: Papirus, 2000.

PENIN, S. T. de S. Didática e Cultura: O Ensino comprometido com o social e a contemporaneidade. In: CASTRO, A. D.; Carvalho, A. M. P. (org). Ensinar a Ensinar. São Paulo: Editora Pioneira Thomson Learning. Cap. 2, p. 33-51. 2001.

PINTO, S.; GOUVÊA, G. Mediação: significações, usos e contextos. Revista Ensaio, Belo Horizontes, v.16, n.2, p.53-70. 2014.

PRETTO, N. L. Desafios para a educação na era da informação: o presencial, à distância, as mesmas políticas e o de sempre. In BARRETO, R.G. (org.). Tecnologias Educacionais e Educação a Distância: avaliando políticas e práticas. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.

SANCHO, J. M. De tecnologias da Informação e Comunicação a Recursos Educativos. In: SANCHO, J. M.; HERMÁNDEZ, F. Tecnologias para transformar a Educação. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SILVA, S. L. R; BIÉGAS, P. S. G; GAUDÊNCIO, J. D. S.; ANTUNES, D. M.; MAINARDES, A. V.; GLUGOSKI, L. P. Perfil tecnológico de acadêmicos de cursos de licenciatura das ciências da natureza. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 7, n. 3, 2014.

TAVARES, R.; SOUZA, R. O. O.; CORREIA, A. O. A Study on "Ict" and Teaching of Chemistry. Revista Gestão, Inovação e Tecnologias, v. 3, n. 5, p. 155-167, 2014.

TRIVELATO, S. L. F. Perspectivas para a formação de professores. In: TRIVELATO, S. L.F. (Org.). 3ª Escola de verão para professores de prática de ensino de física, química e biologia. São Paulo: FEUSP, p. 35-48. 1995

VALENTE, J. A. A espiral da aprendizagem e as tecnologias da informação e comunicação: repensando conceitos. In: JOLY, M.C. (Ed.) Tecnologia no ensino: implicações para a aprendizagem. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

Valente J. A. O Computador na Sociedade do Conhecimento. Campinas: UNICAMP/NIED; 1999.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-011

Refbacks

  • There are currently no refbacks.