Conflitos socioespacias entre os agricultores tradicionais e sojicultores no município de Balsas Maranhão / Socio-spatial conflicts between traditional farmers and soybean farmers in the municipality of Balsas Maranhão

Vanderson Viana Rodrigues, Ademir Terra

Abstract


Os conflitos socioespaciais no município de Balsas tem sua gênese ligada às políticas de povoamento e incentivos agrícolas efetivadas pelos governos militares no período de 1970, quando Balsas recebeu um grande número migrante vindos do sul do país, eles trouxeram consigo a “cultura da soja” e aqui encontraram apoio para se desenvolver. Contudo a partir de então se instalam os conflitos socioespaciais que seguem até os dias atuais, pois as atividades desempenhadas pelos produtores de soja nem sempre têm sido executadas com os melhores critérios do ponto de vista de preservação da natureza e da valorização da territorialidade preexistente, o que de certa forma, contribui para criar novos conflitos além do agravamento daqueles que já se faziam presente, como por exemplo o acirramento das mazelas urbanas ao impelir os camponeses em direção a cidade. Fato esse que contribuiu para o agravamento da realidade socioeconômica dos camponeses, que pressionados pela grande massa de produção mecanizada, são inviabilizando de manter seu modo de vida e a forma de uso da terra.

 


Keywords


Conflitos; Camponeses; Agronegócio

References


ANTAQ. Boletim Informativo Aquaviário: 3º Trimestre 2015, São Paulo, 2015. Disponível em: Acesso em: 03 de jan. 2017.

ASSELIN, V. Grilagem: Corrupção e Violência em Terras de Carajás. Petrópolis: Vozes, 1982

BRASIL.Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção Agrícola Municipal. Serie 1999 – 2015. Disponível em acesso em 16 de junho de 2017.

_________. Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA.Decreto nº 8.447, de 6 de maio de 2015. aceso em 04 de Julho de 2017.

_________.Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA. Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento dos Cerrados – PRODECER. aceso em 09 de Julho de 2017.

Comissão Pastora da Terra – CPT. Caderno de Conflitos no Campo Brasil 2007. Goiânia 2008.

_________. Caderno de Conflitos no Campo Brasil 2016. Goiânia, 2017.

_________. Ocorrência de Conflito por Terra. Serie: 1985 a 2017. Disponível em: . Acesso em: 05 de junho 2017.

Diário de Balsas, Balsas é o terceiro maior município produtor de grãos de soja da região do Matopiba, Balsas-MA (2016). Disponível em:. Acesso em: 27 de dez. 2016.

FERNANDES, B. Mançano. Teoria dos territórios e da questão agrária. UNESP, São Paulo, 2008. p. 296.

FERREIRA, A. J. A. Políticas Territoriais e a reorganização do espaço maranhense. São Paulo, 2008. Tese (Doutorado em Geografia - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Universidade de São Paulo).

GIORDANO, S. Ribeiro. Competitividade Regional e globalização. São Paulo: Departamento de Geografia, USP. 1999. Doutorado em Geografia. (Tese)

GROSSMAN, S. L. The political ecology of bananas: contract farming, peasants, and agrarian change in the Eastern Caribbean. Chapel Hill: University of North Carolina Press, 1998.

IBGE. Censo 2010 - Cidade. IBGE, 2010. Disponível em: . Acesso em: 27 de nov. 2016.

IMESC. Produto Interno Bruto dos Municípios do estado do Maranhão: Série: 2010 a 2014, São Luís, V. 10, p. 1-87, 2016. Disponível em: . Acesso em: 03 de jan. 2017.

LITTLE, P. E. Ecologia política como etnografia: uma guia teórica e metodológica. Revista Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, n. 25, p. 85-103, jan./jun. 2006.

MARQUES, M.I.M. A atualidade do uso do conceito de camponês. Revista NERA – Ano 11, N.12 – Presidente Prudente, 2008.

MST. Assassinato do padre Josimo completa 20 anos. 9 de maio de 2006. Disponível em: . Acesso em 03 de julho de 2017.

PISCIOTTA, Kátia. Pesquisa científica em unidades de conservação da Mata Atlântica paulista. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

RODRIGUES, S.J.D. & ALENCAR, F.A.G. Conflitos territoriais no espaço agrário maranhense. apud MOREIRA, R. O espaço e o contra-espaço: as dimensões territoriais da sociedade civil e do Estado, do privado e do público na ordem espacial burguesa. (2007)

RUGANI, Jurema Marteleto. Conservação do patrimônio no contexto da cultura especulativa. In: FERNANDES, Edésio e RUGANI, Jurema Marteleto (orgs.). Cidade, Memória e Legislação: a preservação do patrimônio na perspectiva do direito urbanístico. Belo Horizonte: IAB/MG, 2002, p. 159-167

SILVA, A. R./ CUNHA, V. V. A Luta pela Terra no Maranhão: Caso do Bico do Papagaio. XXI Encontro Nacional de Geografia Agrária. Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia 2012.

SINDIBALSAS; BALSAS, Prefeitura Municipal de. Solicitações e Reivindicações da Classe Produtora do Maranhão. 2005. (impresso).

ZHOURI, A.; OLIVEIRA, P. Desenvolvimento, conflitos sociais e violência no Brasil mal: o caso das usinas hidrelétricas. Revista Ambiente & Sociedade, v. 10, n. 2, p. 119-135, jul./dez. 2007.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n4-174

Refbacks

  • There are currently no refbacks.